17 de out de 2013

Blame it on love - Cap 1





03 de Fevereiro de 2013.


“Querido diário”? Não, clichê demais. “Essa é minha vida” nunca, não combina nada comigo.  Ah acho que apenas irei começar falando e falando, isso é o que eu faço de melhor, e até demais.

Minha vida é triste e feliz ao mesmo tempo, não me pergunte como, porque ainda estou tentando entender se isso é realmente possível. Chamo-me Lua Maria Blanco, tenho 17 anos e sou... normal, na medida do possível.
Não sou como a maioria das garotas por aí, acreditando que realmente existe “O cara”, ou simplesmente “O príncipe encantado”. Se você for como elas, desista. Não fique esperando que seu príncipe vá até a sua janela e faça uma serenata, ou que ele vá até sua casa em um cavalo branco e a busque para que juntos possam seguir até o baile de primavera. Para simplificar, isso NUNCA vai acontecer.

Sou uma garota realista, cresci achando os famosos “contos de fadas”, apenas contos. Como devem ser vistos. Contos, não um “sonho de vida”.

Não acredito em “Amor a primeira vista”, acredito em “Amor a partir de convivência”, se é que já rotularam a real causa do amor.    Em minha opinião, o amor surge depois de um bom tempo de convivência, não com um olhar, uma conversa ou um beijo. Isso é papo furado.

Mais ridículo que esperar seu príncipe encantado é não saber separar os tipos de amor. Muitos por aí andam confundindo amor de amigo com amor de namorado. Estragando amizades de anos para se arriscarem em uma “aventura romântica”, que no final sempre resulta em nada. Os idiotas sempre percebem apenas NO FINAL que se amam de uma “forma diferente”, que se amam apenas como amigos.

Mas com toda certeza, as piores de todas são aquelas pessoas estúpidas que enfiam na cabeça que PRECISAM amar aquela pessoa, apenas pelo fato de ela ser atraente. Depois de “conseguir” tal proeza, elas fazem de tudo e usam de todos para chamar a atenção da pessoa “amada”. Mas se essa pessoa não for estúpida o bastante para repetir o erro, ele (a) vai achar assim como eu tudo muito ridículo, e não vai dar atenção, o que causa na “pessoa estúpida” a famosa crise do “Eu sou invisível para ele (a)” ou “Ele (a) nem sabe que eu existo”, o que é o cúmulo da estupidez, o nível expert.

Se você não é nenhum dos tipos de pessoas imbecis, idiotas e estúpidas citadas acima, você têm o meu respeito. Se for uma delas, pode ir parando de ler isso agora mesmo, porque você irá odiar. Defendo o meu ponto de vista e o que eu acho certo.

Voltando a minha vida. Como disse tenho 17 anos, e faço o 3º ano do ensino médio. Na verdade, começarei amanhã. Então, por hoje chega, a cama está a minha espera.

Xoxo. -Lua


04 de Fevereiro de 2013.


Meu primeiro dia de aula não poderia ter sido pior, ao começar com a entrada, cheguei ao meio da segunda aula, esqueci o meu estojo e meu caderno em casa. E as coisas continuaram piorando. Sabe, dizem que quando se faz amigos no primeiro dia tudo fica bem, mas isso é uma baita de uma mentira.

Fiz amizade com duas garotas na aula de biologia, enquanto o matusalém do professor tentava limpar a mancha de café de seu jaleco branco. E adivinha? Nada mudou, meu dia continuou sendo um desastre completo. Derrubei dois tubos de ensaio e ainda caí da cadeira. O prêmio para pior dia do ano, óbvio vai para mim.

Para completar, ao sair da sala esbarrei em um garoto, fazendo todos os nossos livros irem ao chão. Abaixei-me para pega-los e ele veio junto, chocando nossas cabeças. Ótimo, ao menos não sou a única desastrada por aqui.

-Desculpe, estou em um dia ruim! –Ele falou passando a mão na testa, onde se encontrava uma leve vermelhidão, assim como a minha.
- Oh, ao menos não sou a única! –Falei voltando a catar meus livros no chão, fazendo com que ele imitasse meu gesto. Ao recolher sem querer um livro de uso dele li o nome na capa, “Arthur Aguiar”.
- Hã... Arthur? –Chamei fazendo ele ergue seus olhos para mim. Estendi o livro para que ele o pegasse. Levantei-me, pedi mais uma vez desculpas pelo ocorrido, virando-me logo em seguida, saindo da sala.

Marquei com as minhas “novas amigas” de nos encontrarmos no shopping hoje á tarde. Elas se chamam Sophia e Melanie ou Mel {como gosta de ser chamada}, são bem legais, nossas conversas são interessantes e muito, vamos dizer... ”Anormais”.

Já estou atrasada, então vou indo... Talvez escreva quando chegar, se algo de interessante acontecer.

Xoxo. - Lua

N/A:. E aqui está o primeiro capítulo, espero que gostem e comentem o que acharam.

4 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo