7 de set de 2013

55ª Capítulo: "Tudo por uma promessa"


POV NARRADOR
E quando pensamos que vamos ter para sempre os nossos amigos e família do nosso lado, uma bomba dessas acontece. Ninguém esperava que a reação da Mel, Sophia e da Don Katia ia ser desse jeito. Tanta arrogância e irritação para quê? Quando o que Lua e Arthur fizeram foi lutar por uma coisa que acreditaram e que ainda por cima deu certo.



Tá, tudo bem! Podia ter dado errado. Hoje, a Lua podia estar gravida e Arthur estar nem ai para o bebé, mas isso não aconteceu e é isso que importa.
Após a discussão, Lua perdeu a vontade de comer mas Anne a obrigou a comer algo depois do jantar pois ela está gravida e o bebe precisa de se alimentar.

Hoje, logo pela manha, Lua acordou com umas dores fora do normal. Algo que tava se tornando insuportável. Até respirar, doía. Algo não estava bem com ela e isso só deixava o Arthur preocupado, ou melhor, ainda mais né?!

Arthur: Lua, não é melhor agente ir no hospital?
Lua: não… isso já vai passar – ela continuou respirando fundo
Arthur: voce esqueceu a discussão de ontem e dormiu bem, como eu pedi?
Lua: voce acha que deu? – ela encarou ele – Eu não consegui esquecer as imagens de todo o mundo gritando com agente…
Arthur: deve ser por voce não ter descansado que voce está assim agora… - ele disse preocupado – Deita ai na cama, para voce poder dormir um pouco amor.
Lua: eu não quero… eu vou andar um pouco pelo jardim
Arthur: então eu vou com voce…

Os dois saíram do quarto, descendo até à sala e saíram pela porta de trás da casa para passearem um pouco no jardim da própria casa. É raro os momentos assim, mas finalmente chegou o dia em que aproveitam o que têm.

Arthur: tenta respirar fundo… e pensar em coisas boas
Lua: em voce? – a menina sorriu, enquanto passeava pelo jardim de mãos dadas com ele
Arthur: por exemplo – ele sorriu – esses dias temos esquecido um pouco agente, né?
Lua: nem temos… - ela fez bico – Mas assim que o nosso bebé nascer... aii…

Lua colocou a mão na barriga e segurou forte o braço d Arthur. ele ficou ainda mais preocupado quando viu que a mulher estava muito branca de novo e dessa vez não conseguia mesmo falar…

Arthur: ANNE, ANNE – gritou – CHAMA A AMBULANCIA, RAPIDO! – ele gritava desesperado

Anne estava na cozinha e quando ouviu o patrão gritar daquele jeito percebeu que o caso de Lua tinha piorado.
Muito nervosa também, ela digitava o numero da ambulância de uma maneira rápida e bem tremula. O que será que a Lua tinha? Porque está daquele jeito?

Anna chega: a ambulância está vindo…
Arthur: amor, por favor, respira fundo…
Lua: filho, por favor, chuta devagar… - ela pediu, colocando a mão na barriga – aiii…
Arthur: será que tá na hora de nascer?
Lua: não… - ela fechava os olhos para que a dor passasse – Não me rebentaram as aguas… e ainda falta uma semana
Anne: calma, vai correr tudo bem

Enquanto Arthur segurava forte a mão da mulher, Anne foi buscar água para Lua tomar.
Pouco depois, quando a ambulância chegou, os homens trataram de por a Lua na maca e colocaram logo o oxigénio para a loirinha respirar melhor.
Arthur estava quase chorando ao ver a Lua daquele jeito. Ele nunca tinha visto a sua mulher assim e agora ele entendia o estado de Lua quando ele foi atropelado.

Arthur: ela vai ficar bem? – ele disse desesperado ao homem que estava com eles na ambulância
Xx: fique calmo… - o homem disse sem jeito – Como pode calcular, eu não sou medico. Mas eu vou fazer os possíveis para ela ficar bem
Arthur: por favor… - Arthur olhou para Lua que agora estava desacordada – Amor, calma, voce vai ficar bem!

A ambulância foi a alta velocidade para o hospital porque o caso podia ser grave, já que Lua está gravida.
A cada minuto que passava, Arthur desesperava mais e mais.
Ele estava totalmente aflito ao ver a mulher assim e só de pensar que o seu filho também podia correr risco de vida era mais uma causa para a preocupação aumentar.

Depois que chegaram no hospital, Lua entrou para uma sala onde 3 médicos entraram também e Arthur ficou no corredor, andando de um lado para o outro todo nervoso.
Ele queria ligar para alguém e falar o que tinha acontecido, mas ligar para quem? Sua mãe estava chateada, assim como a Sophia e a Mel. Claro que tinha os meninos, mas ele não sabia mais o que fazer…

 Contra o seu orgulho, mandou uma mensagem para os meninos “A Lua passou mal. Estou no hospital agora.”
Pouco depois, recebeu uma mensagem do Mica “Crlho, mas o que aconteceu? To indo prai!”

(…)

Não demorou muito tempo para o Mica chegar, mas foi o tempo necessário para o Arthur quase enfartar. Porque para alem dele estar assustado com essa demora, os nervos tomaram conta dele e ele começou a chorar.

Mica: hey… - disse quando chegou – O caso é tao grave assim cara?
Arthur: porra Mica… - Arthur se levantou do banco e abraçou o amigo – Eu não sei de nada! Eles estão ali a quase uma hora e ainda não me disseram nada! – Arthur falava agora com a mao na cabeça – O que será que ela tem hein?
Mica: será que foi por causa de ontem?
Arthur: claro que foi por causa de ontem! As garotas e a minha mae sabem que a Lua não se pode irritar e o que elas fazem? Brigam com ela! A Lua não dormiu, não queria comer… tudo por causa de ontem!
Mica: eu briguei com a Sophia acredita? Cara, a vida é vossa!
Arthur: eu to desiludido com todas elas… até com a minha mae! Nunca esperei que ela falasse daquele jeito com a Lua.
Mica: fica calmo, que tudo vai dar certo.

Esperaram mais um pouco até o medico chegar.

Medico: voce é o Arthur Aguiar?
Arthur: sim, sou eu! – ele se levantou da cadeira
Medico: a sua mulher não se cansa de prenunciar o seu nome… mas bom, por falar nela…
Arthur: como ela está?
Medico: ela por acaso tem sofrido emoções?
Arthur: bom, ontem ela assistiu a uma discussão…
Medico: pois, mas isso foi o suficiente para ela se preocupar de mais e fazer com que o seu filho nascesse
Arthur: O QUE? ELE JÁ NASCEU? – Arthur ficou surpreendido e meio irritado
Medico: calma… eu não me expliquei bem. O que eu quero dizer, é que agente fez uns exames e vimos que o coraçao dele começou a bater muito depressa. Tem vezes que bate devagar, tem vezes que bate depressa. E esse problema já é de meses atrás.
Arthur: mas como assim? Agente sempre ia às consultas e a Medica falava que estava tudo bem com ele
Medico: pois, mas o problema ficou serio agora…
Arthur: mas, e agora?
Medico: temos de, meio que, provocar o parte à Lua
Arthur: - Arthur mordeu o lábio, para que as lagrimas não caíssem – Ela vai sofrer com isso?
Medico: não vamos utilizar a palavra “sofrer” até porque falta mesmo pouco tempo para a criança nascer. Vamos deixar essa noite, e se as agua não rebentarem, ai agente tem de fazer alguma coisa
Arthur: eu posso ver ela?
Medico: pode sim.
Mica: e eu posso ir junto?
Medico: voce é o que a ela?
Mica: amigo…
Medico: bom… pode sim.

Arthur entrou pela porta do quarto quase correndo.
Assim que viu a Lua, deitada na cama, com vários aparelhos ligados nela, seu coraçao quase veio parar à boca! ÉÉÉ, é mesmo caso para eu falar isso!
As lagrimas caíram sobre o rosto e desta vez ele não teve como segura-las.

Arthur: amor… - ele abraçou ela, deitando a cabeça sobre o seu peito – Como voce tá?
Lua: não chora Arthur… - ela limpou as lagrimas dele – Eu agora estou bem. Estou sem dor. Não fica assim – ela pediu
Arthur: não tem como conter… - ele continuou chorando
Lua: Mica? – ela estranhou a presença do Mica ali – As meninas estão ai?
Mica: não Lua… elas nem sabem que eu estou aqui. Mas tenho a certeza, que quando souberem, vao se arrepender muito. Porque voce tá aqui, por causa delas
Lua: não fala isso… eu estou aqui porque assim teve de ser
Arthur: Lua, pára de ser assim! O Mica tem razão…
Lua: Arthur, elas são minhas amigas…
Arthur: amigas Lua? Voce tá vendo onde voce está, por causa delas?
Lua: deixa Arthur… deixa pra lá.
Mica: o Guga não vem Arthur?
Arthur: ele mandou mensagem a dizer que estava trabalhando… depois ele vem.
Mica: ele também ficou bolado?
Arthur: mais ou menos… ele disse que eu era o seu melhor amigo e vice-versa e que esperava eu ter falado para ele. Mas eu não podia, so que ninguém entende isso…
Mica: está feito, não há nada a fazer para isso mudar
Arthur: fala isso para a sua namorada, para a Mel e para a minha mae.
Lua: - ela respirou fundo – Amor, o nosso bebé vai nascer?
Arthur: vai… - ele sorriu, e olhou para a barriga dela – Em breve, ele vai…

4 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo