14 de ago de 2013

Presos num 'inferno'


6º Capítulo - A mesma cama.



Arthur Pov
Depois de dar uma olhada na casa, vi que era uma casa espaçosa, mas um pouco antiga,
só tinha a porta da frente para entrada e saida da casa, mas tinha uma bomba ligada a ela,
logo deduzi que quando aquela mulher entrou ela a desativou, a bomba tem uma espécie de
senha, e quando ela saiu a ativou novamente, estou ferrado, como vou sair daqui?

Ah não quero pensar nisso agora, quero dormir, estou cansado. Então subi para o andar de cima, duas portas estavam emperradas, e quando consegui abrir a última lá estava a Lua, dormindo feito um anjo, a observei dormir e olhei em volta. Pera ai, só tem esse quarto, e essa cama, isso significa que, nós teremos que dormir juntos? Bom até que não é má ideia, ri malicioso, a olhando dormindo.

Deitei ao seu lado e acabei dormindo, estava muito cansado, sei que ela vai falar pra caramba quando acordar mas estou com sono, e só tem essa cama. Então não posso fazer nada a não ser dormir com ela.

Lua Pov
Acordei, tentei levantar, mas estava abraçada a alguém, pera ai, olhei e vi que
eu estava abraçada ao Arthur, estou ficando louca mesmo, só pode, se bem que
esses braços quentes sobre a minha pele não é nada mal, me arrepiei e ele se
mecheu acordou e me olhou, como ele consegue ser tão lindo em? Foco Lua foco!

- Dá para me soltar? – Disse tentando me soltar dos braços dele, mas não adiantou
muito.
- Não estou te segurando.
- Está sim – Disse o olhando, seu corpo perto do meu, isso é perigoso
- Não estou não, eu estou te abraçando é diferente de segurar – Disse me puxando mais
para ele.
- É tudo a mesma coisa, e para de me puxar para perto de você, não quero ficar perto de
você – Disse tentando me afastar dele.
- Não foi isso que pareceu, você também estava dormindo me abraçando, acha que eu
não vi? – Perguntou rindo.
- Eu não te abracei – Disse desviando o olhar.
- Abraçou sim, eu só retribui o abraço – Disse rindo.
- isso não é engraçado, agora me solta – Disse fazendo bico.
- Ah vai fazer biquinho neném – Disse rindo enquanto ela ficava com raiva.
- Se ainda quiser ter filhos e um bom desempenho, se é que isso é possível – Disse
desdenhando e ele me olhou com raiva - É melhor me soltar.
- Vou te soltar porque eu quero, e se falar isso de novo, vou te provar o meu desempenho
e não vai poder reclamar – Disse a soltando.
- Ai que medo – Disse levantando, olhei na janela e vi que já tinha escurecido.
- Não me provoca – Disse sentando na cama e a olhando, porque aquele vestido tinha
que ser tão curto em?
- Se está se sentindo provocado não tenho culpa – Disse o olhando.
- Ok, chega disso, só não abrace de novo – Disse a olhando rindo.
- E você não durma mais na minha cama – Disse o desafiando.
- Pelo que me consta ela não é sua, e não tem outra, então vai se acostumando a dormir
comigo – Disse rindo e ela me olhou com raiva.
- Quer saber, estou com frio, vou tomar um banho, cansei de você! – Disse o olhando
com raiva.
- Claro esse vestido não tampa nada – Disse a olhando de cima a baixo.
- Quer parar de me olhar desse jeito? – Disse sem graça
- Que jeito? – Perguntei rindo e continuei a olhando.
- De quem quer me comer com os olhos – Disse e ele riu – Mas não tenho roupas aqui,
o que vou fazer? – Perguntei mais para mim mesma.
- Eu vi duas malas na sala, será que são nossas roupas? – disse levantando e indo
até ela, ela me seguiu.
- Ai ainda bem, minhas roupas – Disse abrindo uma das malas, as olhei – Não poderiam
trazer roupas mais descentes não? – Perguntei olhando as roupas que eles pegaram, shorts
curtos, camisetas, camisolas, me mostrava até de mais, enfim.
- E você tem roupas descentes? – Disse a olhando rindo depois que abri a outra
mala e vi minhas roupas ali, até que trouxeram muitas.
- Ér não muitas – Disse rindo – Mas agora vou tomar banho.

Micael Pov
Me ligaram avisando que eu tinha que me encontrar com Sophia Abrahão uma agente
de Manhattan, pra juntos encontrarmos Arthur e Lua Blanco, outra agente do FBI que
também está desaparecida, estou aqui sentado em uma mesa num restaurante, me
pediram pra me encontrar com ela aqui, pra não desconfiarem de nada, enquanto ela
não aparece pedi uma taça de vinho, depois de alguns minutos ela chega e muito linda
por sinal, como uma agente do FBI pode ser tão linda? Foco Mica, foco!

-Prazer Sophia Abrahão.
-Micael Borges - Disse dando um beijo em sua bochecha.
-E então como você soube do seqüestro de Arthur Aguiar?- Ela perguntou se
sentando na mesa.
-Bom, eu ele somos amigos, tinha ido até a casa dele, como em todos os sábados, fui
até o quarto dele e não o encontrei, encontrei apenas um pano com um cheiro de álcool,
guardei e levei pra examiná-lo, vê se encontravam alguma digital, mas e você como soube
do seqüestro?
- Me ligaram avisando que encontraram o carro dela abandonado, tem alguma suspeita de
quem poderia de feito isso?
- Na verdade não, é difícil saber, o Arthur tinha muitos inimigos.
-Nem sei por onde começar, temos que ir por pistas, ver se encontramos digitais no carro dela
e no apartamento dele - Essa garota é linda e muito inteligente, tenho certeza que vamos nos
dar bem, e juntos encontraremos nossos amigos.

Sophia Pov
Que gato, muito lindo, Sophia sua melhor amiga desaparecida e você aqui pensando
bobagem, foco na Lua.

-E você e Lua Blanco eram amigas ou só colegas de trabalho? - Ele me perguntou
interessado.
- Éramos amigas, melhores amigas, nos conhecíamos desde dos 17 anos - Disse me lembrando
dos momentos com Lua, eram tantas brincadeiras, palhaçadas, éramos como irmãs.
- Que legal, amanhã de manhã a gente começa com as investigações, certo?
- Sim, sim, quanto antes melhor - Disse não parando de olhar naqueles olhos intensos - Não vou
deixar nada acontecer com minha amiga.
- E não vai, juntos vamos encontrá-los- assenti e dei apenas um sorrisinho de canto.

Ficamos conversando mais um tempo, mas não falamos tanto do seqüestro pra não dar bandeira,
jantamos e ele me levou até o hotel em que eu ficaria.

Arthur Pov
A Lua foi tomar banho e eu fiquei aqui na sala. Olhei em volta, e fui na cozinha eu
estava com fome, mas iria comer daqui a pouco, levei minha mala para o quarto, já
que Lua já tinha levado a dela. A coloquei lá, e escolhi uma roupa, e fiquei sentado na
cama esperando ela sair do banheiro. Depois de alguns longos minutos, ela saiu,
para a minha morte, com um short curto, quer dizer muito curto e uma camisa
um pouco larga, ela saiu e me olhou e eu a olhei de cima a baixo.

- Pode parar – Disse saindo do banheiro e vi que ele me olhava
- Parar com? – Disse ainda a olhando, tentava desviar o olhar mas não
conseguia.
- Você sabe, de me olhar desse jeito, não posso fazer nada se eles não me
trouxeram uma roupa descente – Disse o olhando e indo até a janela.
- Vai ser difícil sair daqui, já dei uma olhada pela casa – Disse quando vi que
ela foi olhar pela janela, que tinha grades por fora e cadeados.
- É depois vou dar uma olhada por ai, preciso sair daqui o mais rápido
possível – Disse virando e o olhando.
- Depois pensamos nisso, vou tomar banho – Disse me levantando e entrando
no banheiro.

Lua Pov
Arthur foi tomar banho e eu fui para a cozinha, tinha que sair daqui, o mais depressa
possível, mas vou pensar melhor depois de comer, já está de noite e não como nada
desde cedo, ou melhor desde ontem, Dei uma olhada nos armários que estavam
cheios, pelo menos fome não passaríamos. Decidi fazer uma macarronada ao
molho branco, então comecei a fazê-la.

Arthur Pov
Sai do banho e me joguei na cama, depois de alguns minutos, decidi que iria comer,
estava com muita fome, enquanto decia as escadas, senti um cheiro bom de comida,
o que me fez sorrir, estou com muita fome, desde ontem não como, o que é bem
difícil né, já que gosto de comer. Terminei de descer as escadas e fui até a cozinha, o
cheiro da comida me chamou, e lá estava Lua cozinhando, ela cozinha é?

- Fazendo o que de bom? – Disse já na cozinha apoiado no balcão, ela estava de
costas para mim, e virou me olhando.
- Macarronada ao molho branco – Disse o olhando.
- Delicia – Disse a olhando, só não sei se falei isso pela comida ou por ela.
- Gosta? – Perguntei enquanto voltei a olhar a panela.
- Muito – Disse sorrindo – E você cozinha é? – Perguntei rindo.
- Porque a graça? Eu gosto de cozinhar – Falei o olhando novamente.
- E pelo visto cozinha bem – Disse rindo, estava com muita fome, ainda mais com aquele
cheiro de comida.
- E quem disse que você vai comer? – Perguntei o olhando e o sorriso que tinha em
seus lábios se desmanchou.
- Não vai fazer isso comigo né? – Disse com cara de cachorro que caiu da mudança, ou ela iria mesmo?
- Vou pensar no seu caso – Disse desdenhando dele.
- Poxa sabe, eu estou com fome – Disse me fazendo de coitado e estava mesmo.
- Tabom, ok você venceu – Disse e voltando a olhar a panela.
- Oba – Disse rindo – Quer ajuda?
- Agora não precisa mais – Disse o olhando novamente.
- Porque? – Perguntei sem entender.
- Porque já acabei – Disse rindo.

Comemos tranquilos, e a comida estava boa, boa até de mais, comi muito, vocês podem
imaginar a fome de um homem como eu, que não come a mais de 24 horas?


2 comentários:

  1. Nossa nem parece um sequestro , acho que podia ser mais perigoso , mais cara de sequestro mesmo , a ideia da bomba é muito legal , mas não ta parecendo um ''inferno'' eles estão na maior tranquilidade , não to dizendo que não é bom não é legal mas podia ser mais real o sequestro!!!

    ResponderExcluir
  2. Posta só o nosso amor to com saudade dessa web

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo