2 de ago de 2013

"De Repente é Amor"

 

1º Capítulo - Discussão



- Será que toda vez que eu sair, vai ser esse inferno? - Disse Lua totalmente irritada. Ela tinha ido na festa de aniversário de seu amigo, Bernardo. Lua o conhecia desde que seu único e melhor amigo foi embora da cidade há 7 anos atrás, eram como irmãos, faziam tudo juntos, mas o pai do garoto acabou se separando de sua mãe e saindo da cidade.. Então apareceu, Bernardo, o Super-Bernardo. Ele foi e é uma salvação na vida da loira, que depois da separação de seus pais, a casa virou totalmente um inferno, Claudia virou outra pessoa, Melanie continuava a mesma de sempre, Claudia sempre fazendo a cabeça da morena e ela se deixando levar pelos "conselhos" de sua mãe.
- Eu disse que não era pra você ir e o que você fez? Me desobedeceu de novo LUA, MAIS UMA VEZ VOCÊ FAZENDO O QUE BEM ENTENDER. MAS ACONTECE QUE AS COISAS NÃO SÃO DO JEITO QUE VOCÊ QUER E SIM DO JEITO QUE EU QUERO! - Claudia estava alterada, com razão digamos, Lua não era aquela menina doce de uns tempos atrás, não com Claudia.
- EU NÃO SOU SURDA, TÁ? - disse a loira - E quem é que disse que você manda em mim?
- Tecnicamente ela manda, maninha - disse Melanie como se fosse o obvio.
- Deixa ela filha, ela tá se garantindo no paizinho, só que ele tá bem longe de você e nem deve se lembrar da sua existência.
- E vai colocar meu pai no meio de novo - revirou os olhos - Eu não vou ficar aqui perdendo meu tempo com você, tá? - ia saindo e Claudia se pronunciou.
- Porque sempre foge quando o assunto é seu pai, hein? - Claudia a olhava com ironia e Lua odiava isso.
- Por que não vale a pena discutir ele com você, porque no fundo isso é inveja por eu amar ele e não você - As palavras de Lua a atingiu Claudia em cheio e a mesma se preparou para responder:
- E quem foi que disse que eu te amo? - Claudia retrucou na mesma moeda, foi um tapa na cara de Lua que a fitou por meros segundos e subiu correndo para seu quarto. Claudia sentiu seus olhos marejarem e sentiu em si mesmo o peso daquelas palavras, Mel ficou em cima do muro, queria muito abraçar a mãe mas sabia o quanto a irmã sofreria com aquelas palavras.
- Mamãe - a repreendeu olhando para Claudia que se encolhia no sofá, ela limpou as lágrimas rapidamente, Mel negou com a cabeça - Pode chorar, sei que quer.
- Quem disse? - sorriu de lado - nem tem motivo pra isso - Mel ia lhe responder, mas Claudia foi mais rápida - Eu preciso dar um telefonema - disse e saiu.

Mel subiu as escadas devagar e ouviu soluços vindo do quarto de Lua, tentou abrir a porta mas estava trancada, bateu algumas vezes mas não obteve respostas. 

- Ei! maninha, abre a porta por favor. 

Melanie insistiu mais algumas vezes e viu a porta se abrir, se deparou com Lua de olhos totalmente avermelhados. Não disse nada apenas a abraçou forte, Lua correspondeu fechando os olhos com força, não gostava das brigas que tinha com sua mãe, a amava e muito mas era orgulhosa demais par admitir isso.
As duas caminharam até a cama e Mel deu colo a irmã e ficaram lá, as duas abraçadas durante um tempo até Lua cair no sono, estava muito cansada. Mel desceu para a cozinha e encontrou com Claudia preparando o almoço.

- Como ela tá? - perguntou por impulso.
- Sofrendo... mamãe você prometeu que iria parar com isso - sentou na cadeira.
- Foi ela quem começou, Mel. Você queria que eu fizesse o que?
- Conversasse com calma com ela, é tão difícil assim? 
- Me ajuda aqui? - Mudou de assunto e Mel suspirou.

(Narrado por Lua)
Fingi que estava dormindo para a Mel me deixar sozinha, eu e minha mãe brigávamos com bastante frequência, já estava até acostumada mas.. sei lá, doeu bastante as palavras dela - confesso. Estava deitada olhando o teto quando veio um verso para a letra da música que eu estou compondo, fui procurar meu caderninho e encontrei uma foto do meu pai. Foi como um choque pra mim, não via ele desde o verão passado, estava com muita saudade, realmente ele faz uma falta e tanta pra mim. Até por que ele era o único que me amava de verdade,  além da minha irmã.. Depois de um tempo no quarto, tomei um banho e desci. Encontrei com Claudia sentada no sofá.

- Aonde você vai? - perguntou assim que viu Lua ir em direção a porta.
- Na casa de uma pessoa, posso? - irônica.
- Não, você não pode.
- Até parece que você manda em mim - Saiu porta a fora. 

Lua saiu apé mesmo, a casa onde iria era bem perto, apenas duas ruas depois da sua.. Tocou a campainha e Kátia logo atendeu. Kátia era mãe do garoto que avia lhe falado antes, Kátia e Lua tinham uma afinidade muito grande, se fosse para escolher Kátia como mãe ela faria isso sem arrependimentos.

- Entra pequena - Deu passagem e Lua logo entrou, foi se sentando no sofá, Lua já era de casa.
- Tia, eu posso passar a noite aqui? - Falou sem jeito.
- Claro que pode, meu amor - sorriu - Deixa eu adivinhar, você e sua mãe brigaram de novo?
- Isso é novidade quando? - riu de leve.
- Quando vocês brigam e você fica assim - Lua sorriu de canto.
- Não to assim nem assado - riu de leve - Obrigada - Kátia lhe deu um abraço confortando-a em seus braços.

Esperam que curtam. 
Será um cap. por dia =/

4 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo