10 de ago de 2013

Addicted - Cap 43



(n/a: aconselho ir botando pra carregar; As Lovers Go – Dashboard Confessional)

'My hopes are so high that your kiss might kill me, so won't you kill me? So I die happy.' Eu cantarolava enquanto prendia meu cabelo em um rabo de cavalo alto. 'My heart is yours to fill or burst, to break or burry or wear as jewelery…

'Wich ever you prefeeeer.' Arthur completou entrando no banheiro e eu sorri pra ele. 'Não acredito que eu vou ver o Carrabba tocando ao vivo.' Balancei a cabeça me olhando no espelho e conferindo se tinha algum fio solto. Arthur estava numa tentativa de desarrumar o cabelo e ainda assim deixá-lo perfeitamente arrumado.

'So looong sweet suuummeeeer.' Ele praticamente gritou me fazendo rir. 'Tá pronta?' Ele me olhou pelo reflexo no espelho e eu me encarei checando se estava tudo certo. Estávamos completamente casuais, eu vestia uma camisa banca com desenhos pretos, uma calça jeans e o all star branco. Arthur vestia uma camisa amarela clara, uma bermuda bege e um tênis branco.

'Ah, já sei!' Falei pegando o brilho labial e passando cuidadosamente.

'Não sei pra que você bota isso.' Arthur balançou a cabeça saindo do banheiro. 'Depois vem parar tudo na minha boca mesmo.' Ele reclamou mais baixo, mas ainda assim eu ouvi e ri alto.

'Idiota!' Saí do banheiro pegando meu celular na cabeceira e colocando no bolso da calça, depois peguei minha identidade e algum dinheiro. 'Vamos!' Falei animada e Arthur sorriu pegando minha mão.

Os garotos tinham conseguido ingressos pro show do Dashboard Confessional de graça na gravadora. Quando Arthur me falou eu quase caí da cadeira em que estava sentada, ele sabia que era uma das minhas bandas preferidas.

Deixamos Diego com a babá e saímos cantando Dashboard até o local onde seria o show.



'Eu vou ver o Carrabba!!' Falei empolgada quando encontramos Sophia e Micael já na porta da casa de show.

'Eu também!!' Ela deu uns pulinhos empolgados me fazendo rir. Arthur e Micael se entreolharam e rolaram os olhos. 'Céus, aquele homem lindo, com aquela voz linda e aquelas musicas lindas! Não sei se aguento!' Ele se abanou.

'Tá, vamos entrar!' Micael interrompeu nosso ataque. 'Vocês já estão parecendo duas adolescentes no show dos Backstreet Boys.' Ele pegou Sophia pela mão a puxando pela porta e eu e Arthur seguimos logo atrás.

 Encontramos Chay, Mel, Pedro e Rayana já lá dentro, nos esperando.
Caminhamos pela pista procurando algum lugar bom, e Chay apontou um canto onde tinham algumas muretas não muito altas que podíamos nos sentar se ficássemos cansados e era perto do palco.

'Vamos pegar alguma coisa pra beber!' Micael falou apontando para o bar no final da pista.

 'Suco de abacaxi com hortelã' Mel levantou a mão e eu, Soph e Rayana repetimos suas ação. Os quatro se afastaram conversando e nós nos entreolhamos.

 'Só eu que estou animadíssima pra ver o Carrabba?' Mel comentou sorrindo e nós rimos. 'Ai, ouvir a voz dele ao vivo! O Chay quase desistiu de vir porque eu fiquei surtando lá em casa.'

'Ih, o Micael falou que eu e a Lu estávamos parecendo duas adolescentes no show dos Backstreet Boys, acredita?' Sophia comentou balançando negativamente a cabeça. 'Cara, impossível não ficar empolgada num show do Dashboard, fala sério!' Ela deu de ombros e eu concordei com a cabeça.

'Vindicateeed, I am selfish, I am wrooooong, I am riight, I swear I'm riight. I swear I knew it all alooong.' Cantei empolgada e as meninas riram. Olhei o relógio constatando que ainda faltavam quarenta minutos para o show e decidi engatar alguma conversa com as meninas para que o tempo passasse mais rápido.

 'Suco pra mulherada!' Pedro falou estendendo o enorme copo de suco pra Rayana e os outros fizeram o mesmo com suas devidas namoradas. 'Quanto tempo falta pro show?' Ele perguntou olhando para o palco, onde alguns técnicos faziam os últimos ajustes.

'Meia hora.' Chay consultou o relógio.

'Eu quero ver o Chriiiiiis!' Reclamei depois de dar um gole no suco gelado. Arthur rolou os olhos fazendo careta e eu sorri sozinha. 'Quando vocês forem famosos também vão ter várias menininhas falando "aiii, eu quero ver o Arthur!"' Fiz uma voz de criança chata.

'Claro, eu vou ser o mais querido da banda!' Ele fez uma cara convencida me abraçando de lado.

'Haha, nem pense nisso, Aguiar.' Balancei a cabeça torcendo mentalmente pra que aquilo nunca acontecesse.

'Na verdade, o mais querido vou ser eu.' Micael falou levantando o copo de cerveja como se brindasse. 'A mulherada vai me amar.' Ele passou a mão pelo peito recebendo um tapa aparentemente forte de Sophia. 'Outch, o que foi? Só falei que vou ser o mais querido e cobiçado, mas eu não vou dar bola pra nenhuma delas. Já to com a mulher da minha vida aqui do lado.' Ele apertou as bochechas de Sophia, deixando-a vermelha enquanto todos faziam um coro de "aaw".

 'Acho que show do Dashboard deixa a gente mais romântico.' Pedro comentou abraçado a Rayana que sorriu beijando sua bochecha.

'Esqueci de comentar que sua mãe ligou hoje cedo, você tava dormindo ainda.' Falei mais baixo abraçando Arthur pela cintura com apenas uma mão, já que na outra estava o copo de suco. 'Parece que ela vem pra Londres no próximo final de semana. Tava pensando em fazer um jantar pra ela.' Comentei pensativa.

'Você vai cozinhar?' Ele arqueou a sobrancelha sorrindo.


'Porque? Quer que eu use meus dotes culinários com a sua mãe?' Perguntei rindo e ele fez careta balançando a cabeça negativamente. 'A gente podia pedir alguma comida, lá em casa mesmo. Não queria sair pra jantar, sua mãe é mais do tipo que prefere programinhas mais caseiros.'

'O que você quiser tá ótimo.' Ele me deu um selinho demorado e eu sorri.

'Brigada por compartilhar sua opinião comigo, ajudou muito na minha decisão final.' Falei calmamente deixando um pouco de sarcasmo em minha voz e Arthur riu alto.

 'Minha mãe te ama, qualquer coisa que você fizer ela vai gostar, você sabe disso.' Ele deu de ombros olhando para o lado e fez uma careta. Quando olhei pra ver o que tinha acontecido vi que os outros três casais estavam se beijando, quer dizer... Chay e Mel estavam, os outros estavam se pegando totalmente. 'Ew, juro que eu não queria ver isso!' Ele reclamou olhando para o outro lado.

'Não olha, ué. Só imita.' Falei sugestiva dando de ombros e Arthur sorriu da forma mais tarada possível.

'Como a senhorita quiser.' Ele falou me abraçando mais apertado e encostando nossas bocas. Levei minha mão livre até sua nuca, enquanto ele passava língua por meus lábios pedindo passagem, que foi facilmente concedida. Lembrei que eu tinha dito algumas semanas antes que não gostava de ficar me beijando em publico e sorri em meio ao beijo, por mais que eu não gostasse... quando Arthur me beijava todos esses pensamentos sumiam da minha cabeça.

 As luzes se apagaram anunciando que o show estava pra começar e todos nós nos viramos para o palco. Micael, Sophia, Rayana e Pedro estavam um pouco mais a frente, enquanto eu, Arthur, Chay e Mel estávamos logo atrás, lado a lado.

 Algumas pessoas começaram a gritar, e só então me dei conta de como o local estava cheio. Quando Chris entrou no palco os gritos só pioraram, Sophia começou a gritar acompanhada de Rayana e eu não resisti e gritei também.
O show começou com Don't Wait, que foi acompanhada empolgadamente pelo público. Depois veio Hands Down e o Chris parou para falar com o publico. Sophia estava agarrada no braço do Micael e se eu bem a conhecia, estava doida pra gritar.

'Não dou um minuto pra Soph gritar.' Falei no ouvido de Arthur e ele riu.

'GOSTOSO!' Sophia acabou gritando dez segundos depois, fazendo com que nós sete déssemos risada, nem o Micael aguentou. 'Lu, grita comiigo!' Ele se virou pra mim sacudindo meu braço.

'Não, amiga, eu deixo os gritos pra você.' Fiz um joinha e ela deu língua se virando novamente pro palco. Quando eu ia gritar de novo Micael a abraçou pelos ombros colocando a mão em sua boca nos fazendo rir.

'Chega de gritos, assim vão pensar que eu não to dando conta.' Ele falou indignado.

'Tá deixando a desejar, hein, Micael?' Pedro zoou, e Micael mostrou o dedo do meio pra ele.

'Shh, quietos que eu quero curtir meu show!' Soph falou emburrada e nós todos nos calamos.

 O show já estava quase no final, já estávamos todos descabelados e sem voz. Chay e Mel estavam sentados na mureta, Pedro e Micael estavam encostados lado a lado observando Sophia e Rayana mais a frente pulando a cantando animadamente. Arthur também estava encostado na mureta, me abraçando pela cintura, curtíamos o show tranquilamente, cantando as musicas mais para nós mesmo. Eu já tinha gritado o quanto eu podia, minha garganta estava começando a doer.

A introdução de As Lovers Go começou a ser tocada e eu sorri sozinha, era uma das minhas musicas preferidas. Me recostei mais no peito de Arthur sem tirar os olhos do palco e deixei que a voz do Chris dominasse meus ouvidos.

She said "I've gotta be honest, you're wasting your time if you're fishing round here."
Ela disse "Eu preciso ser honesta, você está perdendo seu tempo se você está me esperando"
And I said "you must be mistaken, 'cause I'm not fooling, this feeling is real"
E eu disse "Você deve estar enganada, porque eu não estou me enganando, esse sentimento é real!" 
She said "you gotta be crazy, what do you take me for? Some kind of easy mark?" 
Ela disse "Você deve estar louco, para que você me quer? Só mais uma conquista?" 
"No, you've got wits, you've got looks, you've got passion, 
Não, você é esperta, você tem impressões, você tem paixão, 
But I swear that you've got me all wrong." 
Mas eu garanto que você me entendeu errado

Arthur me abraçou mais apertado e eu sorri quando ele aproximou a boca do meu ouvido e começou a cantar baixinho, acompanhando a musica e se balançando levemente no ritmo.

I'll be true, I'll be useful
Eu serei verdadeiro, eu serei útil
I'll be cavalier, I'll be yours my dear
Eu serei cavaleiro, eu serei seu, minha querida
And I'll belong to you, if you'll just let me through
E eu pertencerei a você, se você deixar. 

This is easy as lovers go, 
Isso é tão fácil quanto como os amantes fazem
So don't complicate it by hesitating
Então não complique tudo hesitando. 
And this is wonderful as loving goes, 
E isso é tão maravilhoso quanto amar é
This is tailor-made… What's the sense in waiting? 
Isso está claro... Qual é o sentido da espera? 


And I said "I've gotta be honest, I've been waiting for you all my life"
E eu disse "Eu tenho que ser honesto, eu estive esperando por você a minha vida toda"

For so long I thought I was asylum bound, 
Por muito tempo eu pensei que era confinado em um asilo, 
But just seeing you makes me think twice
Mas apenas vendo você, me faz pensar duas vezes
And being with you here makes me sane, 
E ficar com você aqui, me mantem são
I fear I'll go crazy if you leave my side
Eu temo que ficarei louco se você sair do meu lado
You've got wits, you've got looks, you've got passion 
Você tem inteligência, você tem impressões, você tem paixâo
But are you brave enough to leave with me tonight? 
Mas você é corajosa suficiente para fugir comigo hoje à noite? 

 Me concentrei apenas na voz de Arthur cantando aquela musica em meu ouvido, e quando dei por mim já estavam todos aplaudindo e gritando. Observei ao redor e vi que Sophia e Rayana tinha ido pra perto de seus namorados. O Chris conversava alguma coisa com o publico, mas eu não estava prestando atenção. O queixo de Arthur estava apoiado em meu ombro, e eu levei minha mão até seus cabelos, fazendo carinho em sua nuca. Ele suspirou levemente e ajeitou seus braços em minha cintura, segurando minha mão livre e entrelaçando nossos dedos.

Só prestei atenção no que o Carrabba estava falando quando ele anunciou a ultima música e os acordes de Vindicated foram ouvidos.


'Cara, melhor show da minha vida.' Sophia falou já do lado de fora da casa de show.

 'Ai, nem fala. To acabada!' Rayana comentou passando a mão pelos cabelos.

'Hora de ir pra casa, né?' Micael bocejou. 'Amanhã a gente tem que tá na gravadora antes das dez.' Ele fez careta.

'Aonde tá o carro de vocês?' Chay rodou a chave do carro na mão.

'Pra lá.' Cinco vozes falaram em coro, cada uma apontando pra um lugar. Rimos.

'Ok, então... até amanhã!' Pedro fez um gesto com a mão e todos nós nos despedimos.

'Tá afim de comer alguma coisa?' Arthur perguntou enquanto caminhávamos até o carro.

'To morrendo de fome!' Botei a mão na barriga. 'Tem hambúrguer lá em casa, eu faço! Prometo que não deixo queimar.' Falei animada e Arthur me olhou em duvida. 'Ah, vai, amor. Quando eu quero eu consigo fazer umas comidas legais, é só eu não me distrair.'

'Ok, ok. Fiquei com vontade de comer hambúrguer mesmo.' Ele deu de ombros entrando no carro. Fomos até em casa fazendo comentários sobre o show e discutindo sobe o que jantaríamos quando Katia fosse jantar com a gente. Arthur insistia que devíamos pedir alguma comida, mas eu queria fazer a receita de Penne que tinha aprendido com minha vó. Depois de eu jogar na cara dele que ele mesmo tinha dito que o que eu quisesse estava ótimo, ele se rendeu e disse que até me ajudava a fazer o Penne.

'Pega o alface, tomate e queijo aí na geladeira.' Falei pra Arthur enquanto ligava o fogão para fazer os hambúrgueres. Quando chegamos em casa, Kat estava dormindo na cama do quarto de Diego que estava no mais profundo sono. Depois de dispensá-la e tomarmos banho, fomos até a cozinha preparar os hambúrgueres.

Vinte minutos depois já estávamos no sofá, comendo em silêncio com a televisão desligada.

'Silêncios me assustam.' Arthur falou num tom um pouco indignado e eu sorri. 'Vou pegar cerveja.' Ele se levantou entrando na cozinha e saindo de lá segundos depois com duas latas de cerveja. Sorri em agradecimento.

'Será que a Soph e o Micael se casam?' Perguntei pensativa e Arthur me olhou sem entender. 'Ah, sei lá. Tava só pensando.' Dei de ombros.

 'Provavelmente.' Ele falou vagamente. 'Mas não antes do Chay e da Mel.' Riu.
Concordei com um aceno de cabeça e deixei que o silêncio prevalecesse mais uma vez.

'Sabe o que eu tava pensando?' Arthur perguntou depois de um tempo encarando a tv desligada a nossa frente. O olhei esperando por uma resposta e ele sorriu levemente.

'A gente podia se mudar.' Ele falou vagamente e eu continuei o olhando. 'Se a gente ficar realmente famoso, quer dizer. Eu prefiro morar em casa do que em apartamento. A gente podia ter uma piscina e um quiosque.'

'E um jardim enorme?' Sorri com a ideia e ele me olhou.

'E um jardim enorme só pra você.' Ele riu como uma criança.

Me encostei no sofá abraçando minhas pernas enquanto Arthur recolhia as latinhas de cerveja e os pratos, levando-os pra cozinha.

'Você podia ter lavado os pratos, eu não ia me importar.' Falei rindo quando ele voltou para o sofá segundos depois.

'Ná, deixei eles pra você, eu sei que você adora.' Ele deu de ombros apoiando a cabeça no encosto do sofá, bem em frente ao meu rosto, mas olhando para o teto.

Fechei meus olhos suspirando levemente, deixando que a sonolência tomasse conta de mim aos poucos. Senti meus baços ficarem moles e minhas pernas caírem um pouco para o lado, minha posição não era exatamente confortável, mas meu estado semi - adormecido não permitia que eu me movesse.

'Quer ir pro quarto?' Ouvi Arthur perguntar bem baixo e sua respiração bater em minha boca enquanto ele acariciava minha bochecha.

'Não.' Balbuciei preguiçosamente sem coragem alguma de abrir os olhos.
O perfume de Arthur me atingia em cheio devido à sua proximidade, e ele continuou fazendo carinho em meu rosto.

'Amor, sua posição aqui tá péssima. Vamos pro quarto.' Ele insistiu ainda falando baixo. Não respondi nada, meu cérebro não estava conseguindo processar as informações direito. 'Vem, eu te levo.' Senti Arthur passar um braço por trás dos meus joelhos e com o outro me segurar pela cintura. Minha cabeça repousou em seu ombro no curto caminho da sala até o quarto.

'Luz.' Eu sussurrei reclamando da claridade e Arthur riu baixo.

'Eu já vou desligar, Lu.' Falou enquanto me deitava na cama puxando o cobertor pra cima de mim.

Ouvi seus passos se distanciarem e segundos depois se aproximarem novamente. A escuridão tomou conta do quarto e eu me ajeitei embaixo do cobertor sentindo Arthur deitar ao meu lado logo depois. Seu braço passou por minha cintura fazendo com que minhas costas ficassem grudadas em seu peito e nossas pernas se intercalaram naturalmente, como se fosse a coisa certa a se fazer.

'Boa noite, pequena.' Ele depositou um beijo em meu pescoço e eu sorri apertando seu braço ainda mais em minha cintura. 'Sonha comigo?' Ele sussurrou mesmo sabendo que eu poderia não responder por causa do meu estado. Fiz um esforço para conseguir sussurrar a resposta.

'Sempre.'

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo