20 de ago de 2013

51ª Capítulo: "Tudo por uma promessa"


POV NARRADOR
Vocês sabem como é… mulher gravida é fogo!
Para alem de Lua ter saído naquele momento brava do quarto, após a “discussão” com o Arthur, ela ficou sem falar com ele durante todo o jantar de ontem..



Ele bem que tentava dar a volta, mas o temperamento de uma mulher gravida é forte, bem forte! Tudo gira em torno dela e qualquer coisinha lhe afeta.
Arthur pensava que com a saída de hoje, com ela e as meninas, tudo ficasse melhor e quem sabe ficasse perfeito à noite com o jantar com o irmão dela, o Daniel.

Arthur: levem ela, falem com ela e por favor, tragam ela mais bem-disposta e bem-humorada
Sophia ri: mas ela tá brava com voce é?
Arthur: super! – ele disse sentado no sofá – Ela ainda não falou comigo hoje
Mel: ainda são 11 horas da manhã Arthur, olha o drama
Arthur: tá, mas ela não fala comigo desde ontem
Sophia: agente vai ver o que faz com essa moçinha…
Mel: ela falou que vocês vao fazer uma espécie de trabalho fotográfico?
Arthur: sim, acho que é amanha. Vamos fotografar para um cara que quer lançar um livro para gravidas…
Mel ri: nossa, que chique – eles riram

Os três esperavam Lua descer do quarto.
A loirinha estava terminando de se arranjar… mas ela falou isso à “horas” atras também.

Arthur: será que aconteceu alguma coisa? – perguntou preocupado
Mel: se ela não chegar aqui daqui a 5m…

Os três olharam ao mesmo tempo para o topo das escadas após ouvirem uns barulhos vindos de lá.
Vestida ainda com a camisa de pijama, vinha Lua, com o cabelo preso e um rosto de carência.
Ela desceu os degraus, sentou ao lado do Arthur, bem encostadinha e deitou  a cabeça no ombro dele…

Sophia: para o mundo que eu não estou entendendo nada! – disse, esticando os braços
Mel ri: Lua, me explica isso?
Lua: o que? A fome ou a saudade do meu maridinho? – disse de um jeito fofo

Agora Arthur se perguntava: “cade agente jeito selvagem e arrogante com que ela me olhava ontem?”

Sophia: e depois as gravidas é que são exageradas né Arthur? – encarou o moço
Mel: voce falou que ela estava impossível de se aturar…
Arthur: e estava… mas – ele estava confuso, olhando as meninas e a Lua
Lua: querem almoçar? – perguntou, indefesa
Mel: não Lua… deixa, agente vai deixar vocês sozinhos, né Sophia?
Sophia: é… vocês precisam de ficar juntos! Adeus casal
Lua: tchau meninas… obrigada pela visita!

Anne levou as meninas à porta e o casal, Lua e Arthur, ficou sozinho na sala. Arthur se virou um pouco e Lua olhou para ele.

Arthur: voce não ia sair com elas?
Lua: ia… mas não tive mais paciência
Arthur: e a que se deveu isso?
Lua: vi a nossa foto do quadro que temos no nosso quarto, aquela nossa e bateu uma saudade de voce – ela abraçou o braço dele – Já falei que te amo hoje?
Arthur: voce sabe que eu te amo também? – sorriu, pegando o rosto dela

Tinha dias que era assim. Arthur ficava sem saber mais o que pensar.
Tinha dias que Lua acordava de bom humor, mas depois do almoço, passava uma coisa na sua cabeça e Arthur já não prestava para nada.
Mas a parte boa disso, é o que aconteceu agora: ela estar brava, por um motivo idiota de discussao, e do nada, aqueles motivos de raiva passarem todo para trás das costas e Arthur já ser quem ela mais ama nesse mundo. Ele gostava quando isso acontecia.
Nesses meses que passaram, estas situações aconteciam quase todas as semanas.
As vontades repentinas de chorar, ou rir ou então comer também era muito frequentes. Mas desde o momento que Lua sabia que estava engordando de mais, ela parou de comer, drasticamente, mas nada que umas consultas ao nutricionista de gravida não a fizessem acalmar.

Até à hora do almoço, Arthur ficou com Lua no colo. Ou melhor, apenas a cabeça de Lua é que permanecia no colo dele. Ela não parava quieta, pois quase nenhuma posição a agradava agora.
Após o almoço, subiram para o quarto, para verem um filme.

Arthur: que tal… idade da loucura (comédia)?
Lua: não…
Arthur: os três mosqueteiros (açao)?
Lua: também não…
Arthur: fala uma coisa que voce queria então…

Lua levantou e foi até ao armário do quarto onde estava todos os DVDs que eles tinham. Arthur estava de uma ponta pegando uns, mas Lua pegou os DVD da outra ponta. Arthur se admirou, pois aqueles eram de animação, ou seja, para crianças. Eles estavam ali já guardados para o Rodrigo.

Lua: eu quero esse – ela sorriu, como uma criança ganhando balinha, pegando o DVD
Arthur ri: “Kung-Fu Panda”?
Lua: não pode? – ela se mostrou ofendida com a risada do Arthur
Arthur: pode amor, tudo o que voce quiser…

Arthur se apoiou em Lua, que o levou até à cama.
Enquanto Lua colocava o DVD, Arthur se aconchegava na cama. Com certeza ele ia dormir nesse filme, isso era certo.

(…)

Lua: O PANDA KUNG FU, VAI, ESCOLHE ELE! – Lua falou alto, fazendo Arthur acordar
Arthur: o que? – ele acordou meio assustado
Lua: eles têm de escolher ele…
Arthur: mas esse filme ainda não acabou? – ele sentou na cama, com aquela cara fofa de sono
Lua: claro que não… começou apenas à 20 minutos
Arthur: aii meu pai – ele pôs as mãos à cabeça – Pensei que voce tava vendo ele de novo…
Lua: esse filme é tao lindo – Lua se agarrou ao braço de Arthur – Seria uma pena se o Tai saísse da prisão para destruir o Vale da Paz… é um local tao lindo…

Quando Arthur olhou para o rosto de Lua, viu que a menina estava cheia de lagrimas nos olhos, apenas com esse filmezinho…

Arthur: ok, chega! – ele pegou o controle e parou o filme – Eu não quero que voce comece a chorar apenas por um filme
Lua: não é um simples filme – ela chorava – É o vale… um local perfeito para os bichinhos…
Arthur ri: amor, voce já viu o seu estado?

Lua “voltou à terra” e riu com o seu próprio estado… viu? É assim as mudanças de que eu falava!

Arthur ri: tolinha – ele abraçou ela
Lua ri: o Rodrigo é que me deixa assim – pos as mãos na barriga – Olha, ele tá chutando
Arthur: ohww, deixa eu sentir – ele colocou as mãos lá também, sentindo os chutes fortes do filho de 8 meses de gestação – Tá ficando forte né?
Lua: hum pouco… - ela se deitou um pouco
Arthur: melhorou?
Lua: aos poucos vai melhorando… - ela disse respirando fundo
Arthur: vai filho… - Arthur ficou mais junto da barriga de Lua – Não machuca a mamae, vai… - ele pediu

(…)

Antes do Daniel chegar, a conversa na sala era séria.

Lua: sabe o que eu pensei?
Arthur: o que? – arthur pegou a mao da mulher
Lua: agente, no inicio da nossa historia…
Arthur ri: nossa historia?
Lua ri: é… nos temos uma historia.
Arthur ri: continua…
Lua: agente falou um para o outro que quando tudo tivesse terminado, ou seja, a trapalhada dos bens da minha avó, que iriamos contar para todo o mundo porque realmente estamos juntos… sim, porque se não fosse pela herança da minha avó, hoje agente não estava junto
Arthur: será que vale a pena voltar a mexer nesse assunto? Pensei que estava tudo esclarecido…
Lua: não Arthur, eu queria contar para todos, isto é, os seus pais, a Mel, Sophia… elas merecem saber.
Arthur: tá… mas que fique claro que agora eu estou com voce porque te amo
Lua: também te amo vida – eles se beijaram

(…)

Na hora do jantar, Daniel chegou meio envergonhado.
Lua e ele só se tinham visto uma vez desde que ele veio para o Rio estudar e desde ai nunca mais mantiveram contacto sem ser ontem para combinar esse jantar.
Arthur finalmente conheceu o cunhado, que Lua às vezes falava e ambos foram com a cara um do outro.
Enquanto Lua teimava em ajudar a Anne na cozinha, os dois falavam sobre assuntos do dia a dia: time de futebol, os jogos do Flamengo e Corinthians e essas coisas de homens.

O jantar foi calmo, agradável e todo o mundo gostou.
No final, Daniel tinha um presentinho para Lua

Daniel: bom, não é bem para voce né? – ele riu – Espero que voce goste
Lua ri: é… mas eu fico feliz na mesma com o presente. É como se fosse para mim também

Lua abriu o presente e tirou de lá um fatinho de bebe, em azul claro, que tinha uns desenhos de carrinhos no cantinho.

Lua: ahww, olha só amor
Arthur ri: é lindo – Arthur dizia encantando pegando a roupinha – Obrigado cara, mas não precisava
Daniel ri: claro que precisava, é o meu sobrinho né?
Lua ri: isso mesmo… vem, vem ver o quarto dele como tá
Daniel: claro, vamos
Arthur: vao lá, eu fico enquanto aqui…

Como se devem lembrar, Arthur não está totalmente recuperado, por isso descer e subir escadas ainda é complicado para ele.
Ele preferio ficar mimando as roupas do Rodrigo. Ele adorava ficar mexendo naquele pano fofo que as roupas tinham e aquele cheiro de bebé que ele sentia… ele estava desejoso de ser pai, isso era notável.
Enquanto Arthur mimava as roupas do filho, Lua mostrava o quarto do seu bebé ao irmão que ficou igualmente encantado. A decoração estava linda, as cores combinavam super bem e os adereços ficavam a matar lá.
Enfim, está tudo perfeito para a chegada do nosso Rodrigo Blanco de Aguiar 

E ai, curtiram?

4 comentários:

  1. Só não curti o nome Rodrigo, eu gosto do nome, só que é mais pra adulto, preferia Matheus

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo