8 de ago de 2013

43ª Capítulo: "Tudo por uma promessa"


POV NARRADOR
Os sentimentos de ontem ainda permaneciam juntamente com aquele aperto terrível no coração e aquela angústia e ansiedade de saber o que iria acontecer nas próximas horas.
Lua sabia que ficar ali ao lado de Arthur, a noite inteira não ia ser uma tarefa fácil e o pior é que não foi mesmo.



Lua beijava o rosto dele, passava de leve a mao dela na dele e o facto de não obter resposta era difícil. Mas a noite inteira foi assim.

Hoje, pela manha, a loirinha saiu do quarto para que as enfermeiras pudessem tratar da higiene pessoal do Arthur. enquanto isso, ela aproveitou para tomar o café da manha e depois voltar ao quarto novamente.

Lua: ai meu anjo, acorda por favor, eu não aguento mais isso – pediu, dando a mão ao Arthur, que permanecia quieto como sempre

E dizendo isso suspirou pela milésima vez se não mais.
Nisso, a porta do quarto se abre. Era Katia, outra mulher cheia de esperanças.

Lua: bom dia dona Katia – abraçou a senhora
Katia: bom dia Lua. Voce passou mesmo a noite aqui?
Lua: passei sim
Katia: voce está com um ar tao cansada menina. Voce precisa de descansar, o meu netinho precisa de descansar – colocou a mão dela, na barriga de Lua
Lua: eu não queria ir embora e deixar ele aqui – olhou para o rosto branco de Arthur – ele pode acordar …
Katia: mas se ele acordar eu estou aqui
Lua: não, eu vou ficar – sorri – em circunstancia alguma ele me iria abandonar, caso eu estivesse no lugar dele.
Katia: é verdade – sorriu – ele ama muito voce. Obrigada também por fazer o meu filho feliz
Lua: do que depender de mim ele será sempre assim – sorriu

As conversas e “calma” e “muita força” era faladas de uma maneira bem baixa assim como o medico pediu.
Ele de vez em quando ia lá ao quarto fazendo questão de sempre falar o mesmo “o tempo está passando. Dentro de x horas, as maquinhas irão ser desligadas”. Isso fazia com que a esperança fosse toda embora…
Os amigos mais chegados do Arthur também estavam lá…

Guga: é engraçado… ele sempre me dizia que era para eu andar mais devagar com o carro e olha só o que foi acontecer com ele
Mica: quem fez isso deveria pagar bem caro
Chay: e irá pagar com certeza
Mel: temos é que ter fé para que ele acorde o mais rápido possível
Sophia: Lua, voce não quer ir para casa e descansar?
Lua: não Sophia, nem vale a pena insistirem mais
Mica: galera, ficar aqui a tarde inteira dá fome pra caramba
Chay: estou com voce parceiro!
Mel: então tá… vamos lanchar que já são horas mesmo
Sophia: Lua…
Lua interrompe: vão vocês! Eu vou ficar aqui
Chay: Luinha, dessa vez eu te respeito porque eu to morrendo de fome. Mas fique sabendo que vou trazer um monte de comida para voce
Lua ri: tá bom…

Todos saíram do quarto deixando Lua sozinha com Arthur, que permanecia naquela paz toda.
Sem se Lua aperceber, o coração do jovem arranjou força para bater sozinho e assim quem sabe fazer o coração de Lua bater também mais forte. Aos poucos, o cérebro de Arthur ia digamos que “trabalhando” melhor e funcionando como à dias atras funcionava, mas isso ainda não era uma coisa notável, para Lua.

Lua: meu amor, daqui à pouco as maquinhas vao ser encerradas, voce não pode ficar ai – pegou a mao dele – voce tem de acordar, tem de abrir esses olhos e falar comigo bebé. Me dá um sinal, por favor? – disse a menina chorosa, apertando a mao dele – eu sei que deve ser difícil, mas também é difícil para mim ver que voce está nesse estado e eu não posso fazer absolutamente nada. Quem me dera que tudo tivesse sido diferente. a porra desse acidente nunca deveria ter acontecido – soluçou de tanto chorar – mas bom… vamos pensar em coisas positivas. Sei que voce é forte e vai conseguir sair dessa…

As palavras de Lua ficaram sem silencio por breves minutos.
A menina limpou as lagrimas apos um ataque terrível de choro, respirou fundo, bebeu a sua agua e se inclinou de novo sobre a cama de hospital, pegando a mão de Arthur.

Lua: sabe – sorriu – Eu reencontrei o meu irmão. Ele é um cara do bem. Felizmente voltei a falar com ele e acho que estamos no bom caminho e nos vamos dar muito bem. Ele mandou muita força para voce. Voce tem de sair daqui para lhe conhecer. – ela fez um pausa – O seu pai tá muito dedicado em encontrar o autor de toda essa confusão, se ele descobrir, dá cabo dele e eu ajudo. Sei que voce é forte, voce vai sair dessa, eu juro!

Lua se inclinou um pouco mais para beijar a testa do jovem.
Assim que beijou, reparou que a pele dele tinha uma temperatura diferente de de manha. Reparando melhor, seu rosto não estava tao sem cor como antes, assim como as suas mãos. Seria um sinal?

Lua: amor… voce tá me ouvindo? – pegou a mao dele – Amor, voce tá… - sorriu e se emocionou – amor, voce tá recuperando?

Lua ficou sem reação. Seu coraçao tava batendo de mais para falar ou fazer alguma coisa. Ela pulou da cadeira e sair da sala, correndo com tanta empolgação. Quando estava saindo, bateu contra Chay que estava entrando juntamente com a demais galera. Eles ficaram sem entender nada e rapidamente entraram no quarto para ver o que se passava.

No consultório…

Lua: doutor! – entrou sem ao menos bater à porta – o Arthur doutor! Ele tá quente, ele parece estar com febre ou sei lá… por favor, vá ao quarto. Eu sei que ele vai recuperar, vá lá por favor! – falou com esperanças
Medico: menina, calma, olha essa criança! Se acalma, eu vou ver como ele está

O Medico saiu da sala e chamou com ele duas enfermeiras de farda branca que o seguiu para o quarto do Arthur. chegando lá, pediram para todos saírem do quarto e deixarem os profissionais tratarem de tudo.

Mel: mas o que voce viu exatamente?
Lua: eu tava segurando a mao dele e nem reparei que do nada mundou de cor… a pele era mais clara, tipo sem cor, mas agora não tá… tá bem melhor…

Ela mal conseguia falar… estava muito feliz, isso era fato!
Será que tudo ia dar certo?

(…)

Assim que o medico sai do quarto de Arthur, vem de cara seria até Lua e os de mais, incluindo os pais de Arthur.

Medico: bom… fizemos tudo o que pudemos mas…
Katia: NAOOOOOOOO – começou a chorar desesperada
Lua: não… não é possível – começou a desesperar
Katia: ai meu deus, o meu filho… - começou a chorar descontroladamente
Mel: doutor… fala que é mentira… - disse com os olhos cheios de lagrima
Medico ri: desculpem, eu tava zuando mesmo
Chay: %$&$#$%&%$#%#$ - praguejou o medico – ISSO É COISA QUE SE FAÇA MANÉ? A MULHER DELE TÁ GRAVIDA, A MAE DELE TÁ ASSIM SEU …
Mel interrompe: sinceramente! – disse irritada
Sophia: que sem noção
Medico: desculpem, não foi a min…
Lua interrompe: PONHA A SUA INTENÇAO NO…
Mica interrompe: LUA! – encarou ele – Doutor, podemos ver ele?
Medico: sim, mas não querem saber o que aconteceu?
Lua: claro né!
Medico: bom, agente fez exames e vimos que o coração dele sofreu uma melhoria tipo milagrosa. Desligamos as máquinas para ver como ele reagia, e reagiu muito bem. Mas agora ele tá sensível, tá baralhado e as ideias dele ainda não estão no lugar certo. Outra coisa, como vos disse, ele sofreu incidentes nos seus membros e por enquanto ele não consegue andar. Com fisioterapia acredito que ele irá melhorar muito.
Katia: coitadinho do meu pequeno – começou a chorar de novo
Lua: ele vai conseguir – disse limpando as lagrimas – ele é forte!
Mel: força Lua – abraçou a amiga
Lua: viu Mel? Ele melhorou – chorou de emoção – eu sabia! Ele é forte!
Sophia: vai amiga, vai ver ele…
Leo: Lua, nos desculpe, mas nos somos pais e…
Lua: tudo bem, vão primeiro.

Os pais de Arthur entraram.
Enquanto isso, Lua passou um pouco mal de novo, por ficar varias horas sem comer e ainda por cima nessas ultimas horas houve muitas emoções para um dia só. Ela se manteve bem com os seus amigos  e depois entrou.
Ela não sabia como reagir ao ver Arthur sentado na cama, com um rosto triste, olhando o nada. Ele tinha alguns curativos ainda pelo corpo, tapando os seus ferimentos, alguns considerados graves…

Lua: amor? – mordeu o lábio, interrompendo os pensamentos de Arthur, nervosa por estar de novo com ele – Como voce está? – sentou na cadeira, ao lado da cama dele e pegou a sua mao – Amor, tive tanto medo de te perder – ela abraçou ele, sem ele conseguir falar alguma coisa
Arthur: Lua, eu estou confuso…
Lua: eu sei – disse ainda lhe abraçando, chorando – mas não fala nada, apenas descansa…
Arthur: mas o que me aconteceu? Eu não me lembro de nada…
Lua: Arthur, não faz perguntas amor… um dia eu te explico tudo.

Lua não conseguia falar nada.
Tê-lo ali ao seu lado, de olhos abertos, falando com ela era uma sensação estranha de que ela já sentia imensa falta.
Arthur estava baralhado, não entendia o porquê de estar naquele hospital, ligados a maquinas e ainda por cima ter ficado em coma profundo durantes tantos dias. Ao ele ver as pessoas chorando ao seu lado, so fazia com que ele se sentisse estranho, mas felizmente agora estava tudo bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo