2 de ago de 2013

40ª Capítulo: "Tudo por uma promessa"


POV NARRADOR
Um dia após o aniversário da Lua, a menina que agora passa por 20 anos, acordou com um sorrisao no rosto após um dia de muita alegria na sua vida.



Por incrível que pareça, ela acordou cedissimo, mesmo antes do despertador do Arthur tocar.
Por falar nele, Arthur ainda dormia. Daquele jeito fofo, sem blusa, abraçado à cintura de Lua.
A menina tentou levantar da cama, sem que ele percebe-se e foi até à cozinha rapidinho buscar as bolachas de chocolate que comprou no outro dia. De seguida, voltou para o quarto, sentou na cama e ficou vendo bob esponja, enquanto comia as suas bolachas.

Pouco depois, o despertador tocou e com ele, Arthur acordou. Se virou para o lado que Lua costumava estar e deu por falta da menina, quando abriu os olhos, viu que a sua princesa tentava conter a gargalhada, sentada à beira da cama, vendo desenhos animados de criança. Ele não teve como não rir junto e abraçar Lua…

Arthur: bom dia Lua – deu um beijo na bochecha dela – amor, comendo bolachas logo pela manha? – roubou uma dela e foi para o banheiro do quarto
Lua: eii, isso é meu! – reclamou
Arthur ri: foi só uma amor
Lua: mesmo assim! – fez bico e continuou vendo tv
Arthur: porque voce acordou tao cedo? – falou do banheiro
Lua: estava sem sono… mas acordei bem feliz.
Arthur: agente devia começar a pensar no quarto do nosso bebé – disse saindo do banheiro
Lua: eu vou pedir ajuda às meninas
Arthur: isso.
Lua: bebé – chamou ele –vem cá – esticou os braços
Arthur: que foi? – ele foi e ficou pertinho dela
Lua: voce ainda não me deu um beijo – falou com aquela voz de bebé
Arthur ri: hummm – aproximou os rostos
Lua: doisss – e assim se beijaram

Foi uma manha com muitos carinhos um ao outro.
Apesar de Lua ter devorado praticamente aquele pacote de bolachas, ela ainda conseguiu acompanhar o Arthur no café da manha, antes de ele ir para a agencia de viagens trabalhar. Mas ela sabia que não podia comer tanto…

Arthur: Lua, abre a porta! – falou alto, encostado à porta do banheiro – eu falei para voce não misturar as geleias!
Lua: mas eu queria – abriu a porta e abraçou ele, deitando a cabeça no seu ombro
Arthur: passou mal de novo – abraçou ela – pensei que os enjoos matinais já tinham passado
Lua: eu também… mas pelos vistos não.

Os dois foram para a sala, onde Arthur aproveitou os 5minutinhos de tempo que lhe faltavam para sair de casa, para fazer carinhos à sua mulher que estava deitada no seu colo, no sofá.

Lua: a quem será que o bebé vai puxar mais?
Arthur: a mim, logico
Lua ri: não, ele vai puxar mais a mim
Arthur ri: vai puxar a nos dois, pronto!
Lua: tá, serve – deu um selinho nele
Arthur: preciso de ir embora – olhou o relogio – está na hora
Lua: não, fica mais um pouco – pediu
Arthur: não amor, não dá. Eu preciso de ir
Lua: tá.

Eles se levantaram e Lua foi levar ele até ao portão de casa.

Lua: me liga quando poder?
Arthur: logico – abraçou ela – se precisar de alguma coisa, me liga também. Voce vai sair hoje?
Lua: vou ligar às meninas, para combinar alguma coisa
Arthur: cuidado tá? Fala para elas virem te buscar para voce não andar sozinha nos onibus ou nos táxis. Não quero que voce fique sozinha pela rua, tá?
Lua: hum hum marido chato
Arthur ri: marido preocupado, isso sim!
Lua ri: viu bebé – passou as mãos na barriga – seu pai é galinha
Arthur ri: te amo – deu um selinho na Lua, bem demorado – também te amo bebé – ele deu pela primeira vez um beijo na barriga de Lua
Lua: fofo – sorrio de lado – se cuida, sim?
Arthur: se cuida também

Se despediram com mais um beijo e assim Lua viu o seu marido partir para mais um dia de trabalho, duro ou não.
Ela entrou em casa e pretendia se arrumar para sair, mas esses dias ela andava com um sono terrível que à cansava por tudo e por nada. Então, foi dormir mais um pouco.

(…)

Thiago: é hoje!
Matilde: voce sempre fala isso. não confio mais em voce! Essa porra de dinheiro já podia estar nas nossas mãos à muito tempo. Mas voce anda à meses a dizer que vai fazer alguma coisa e nada acontece!
Thiago: então tatua na testa ok? É hoje! – garantiu ele

Ameaças e mais ameaças… promessas e mais promessas?
Valia de alguma coisa de preocupar? SIM, VALIA!
Thiago falou muita besteira que ia fazer nesses meses que passaram voando e nada aconteceu. Mas de hoje não passava. Estava tudo pronto! Os vagabundos estavam no carro já, esperando a hora certa de entrar em ação.
Eles tinham o plano de seguir o carro a abater e de seguida provocar o acidente perto da ponte que mais provocou acidentes esse ano. Mas será que daria certo?

Arthur: está na minha hora. Tenho de ir e ainda passar no mercado
Xx: me deixa adivinhar, mais um desejo?
Arthur ri: exatamente.
Xx: sorvete de limão de novo?
Arthur ri: não. Dessa vez ela quer empanadas de frango. Eu nem sabia que ela gostava disso
Xx ri: boa sorte então.

O tempo reservava um destino diferente para Arthur. ele comprou o que a sua mulher gravida queria, entrou no carro e desde esse momento, sem se aperceber, foi seguida por três carros pretos e meios sinistros. Mas ele nem percebeu. Ele estava desejosa de chegar em casa e dar o que Lua tanto queria comer. Ele ia ficar deliciado de ver a sua mulher comer o que tanto ela desejava. Ele adorava lhe fazer todas as vontades para assim ter uma gravidez saudável.

Infelizmente, perto da tal ponte trágica, os três carros decidem atacar o carro azul de Arthur. um pela direita, outro pela esquerda e o outro carro mais atras para disfarçar. Os carros que estavam ao lado do carro do Arthur, foram pra a mesma direção fazendo com que Arthur perdesse o controle do carro. Ele fez vários piões e só parou após duas voltas dentro do carro, acabando por capotar…

(…)

Em um ambiente mais agradável, estava Lua, na casa da Sophia, junto com Chay, Mica e Mel. Ambos falavam sobre a gravidez dela e o bebe que vem ai.

Chay ri: queria só ver o Arthur trocar fraldas
Lua ri: eu to louca para ver isso também
Sophia: Lua, acho que o seu celular está a tocar
Lua: tá lá em cima no seu quarto, voce se importa de atender Sô? – fez bico
Sophia ri: claro que não. eu vou lá.

Sophia subiu as escadas para o seu quarto, enquanto Lua ficou na sala, dando gargalhadas das conversas irónicas dos Chay.
Assim que chegou no quarto, viu 7 chamadas não atendidas da mae do Arthur. teria acontecido alguma coisa?
O telefone volta a tocar…

LIGAÇAO ON

Sophia: alô?
Xx: Lua? – falou uma voz chorosa
Sophia: não é a Lua, é a Sophia, amiga dela
Xx: claro… Sophia… o Arthur, Sophia… - não deu como falar, a voz desatou a chorar de novo
Sophia: o que tem o Arthur dona Katia?
Katia: ele teve um acidente… ele está mal Sophia

A conversa demorou o tempo necessário para Sophia perceber que Arthur se encontrava desacordado no hospital. Ele havia sofrido uma paragem cardíaca e não deu sinal de vida desde o local do acidente até ao hospital.
Ele estava numa cama de hospital, desacordado e digamos que “mais para lá, do que para cá” se é que me entendem…

Sophia ficou desesperada. Como ia contar uma coisa dessas para a Lua? Como ela iria ficar? Ainda por cima, a menina se encontra gravida… e agora?

Sophia: Mel, vem aqui, me ajuda na cozinha
Mica: não quer que eu te ajude amor?
Sophia: não Mica… eu quero a Mel, ela percebe melhor
Lua: eu ajudo também – falou animada
Sophia: não, fica ai Lua… fica ai.

Sophia estav se contendo para não chorar junto e assim deitar tudo a perder, em frente de Lua.
Sophia pegou a Mel por um braço e a levou para a cozinha, fechando a porta para que Lua não escutasse nada.

Mel: O QUE? – gritou e logo caiu no choro – Não, o Arthur não… - mel ficou na cadeira, arrasada
Sophia: Mel, não chora – disse a própria chorando também – temos de ser fortes. Temos de ajudar a Lua. Ela não sabe de nada. Temos de ir também para o hospital ajudar a família do Arthur. a dona Katia está tao mal… - pegou a mao da Mel – como vamos contar isso para a Lua?
Mel: eu não sei… - falou com os olhos super vermelhos – eu não estou acreditando nisso Sophia. Porque o Arthur? porque? Deus não pode levar ele agora… não agora!
Sophia: amiga, me abraça – ambas choraram abraçadas

Mica achou estranho o facto das duas estarem na cozinha e não chegarem com nada, ainda por cima de porta chegada. Então foi até lá e se deparou com as duas meninas abraçadas e chorando. Mica, como não sabia de nada, despertou a atenção de Chay e Lua, que também vieram para a cozinha, ver o que se passava.

Lua: porque estão assim? O que aconteceu?
Chay: Mel, o que aconteceu gata? – ficou do lado dela
Mica: Sophia, fala de uma vez!
Lua: é o Arthur? – disparou logo – Gente, o Arthur já devia ter chegado. Aconteceu alguma coisa com ele? – ficou nervosa – FALEM PORRA!

Sophia e Mel se olharam, e ficaram sem saber o que dizer.

Sophia: Lua, senta aqui – levou a amiga até uma cadeira e ajudou ela a sentar
Mel: chay, passa agua para a Lua
Chay: tá – ele pegou
Lua: eu não quero agua. Eu quero saber o que se passa!
Sophia: Lua, o Arthur… ele… - ela não conseguiu falar, apenas desatou a chorar
Lua: o que aconteceu com ele? – ela começou a chorar, sem ao menos saber o motivo – porque ele ainda não chegou? O que aconteceu?
Mel: Lua, o Arthur teve um acidente…
Chay e Mica: O QUE?

E nada se ouviu da boca de Lua. Apenas se viu o desmaio dela!

(…)

No hospital, os nervos tomavam conta dos amigos de Arthur e Lua e também dos pais de Arthur. Estavam todos nervosos por saberem que o casal se encontrava numa cama de hospital. Felizmente, Lua estava apenas sob o efeito de medicamentos, mas já Arthur, estava mesmo sem acordar, sem reações de vida… apenas ligado a maquinas que o possibilitavam de respirar, caso contrário, é razão para dizer que Arthur já não estava entre nós.

Longe de lá…

Matilde: SEU IDIOTAAA – empurrou Thiago
Thiago: PIROU FOI SUA LOUCA?
Matilde: ERA PARA DAR UM SUSTO NELE E NÃO PARA MATA-LO! IDIOTA, FILHO DA MAE – bateu em Thiago


Triste ='(

2 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo