1 de jul de 2013

Uma lição de Amor - Capítulo 18.



"Fear"


Wol! Você está linda! - Will riu assim que eu desci as escadas. Vestia um vestido preto tomara que caia curto com um salto alto também preto. - Obrigada molengo! - sorri.
- Não tinha uma coisa mais cumprida não? - Arthur franziu o cenho intrigado e eu ri o abraçando. 
- Você sabe que eu sou toda sua não sabe? Sussurrei no canto do seu ouvido e mordi seu orelha.
- Hm sei. - Falou desconfiado. 
A casa já estava toda arrumada para a festa que daríamos hoje. As pessoas já começavam a chegar. Arthur usava uma blusa social branca com as golas dobradas até o cotovelo e uma calça jeans preta e um All star.

- Lua! - Ane me chamou e eu fui até ela onde estavam sentadas em um pequeno sofá na sala. Ane estava com um vestido rosa curto. Sophia estava com uma saia curta e uma bata branca com detalhes. Mel usava um vestido azul tomara que caia e Ane um vestido vermelho. 
- Festa bombando não? - Falei animada. - Huhum...! - Ane riu - Já viram os Italianos que já passaram por aqui? Ai que gatos! - Sophia disse empolgada. - Vai com calma ai mocinha. Micael tá bem ali.! - Mel riu. - Eu sei... - Ela de língua.
- Mais oque aquela Italiana tá fazendo dando em cima do meu Arthur? Rosnei.  - Vadia.
- Calma Lu, eles só estão conversando. Nada de mais... - Ane disse.
- Nada de mais né? Olha a loira gostosa com quem o meu irmãozinho tá conversando Anelise! - Falei sínica.
- Vadia. - Foi a vez dela de rosnar.
- Nossa vai rolar uma DR Agora? - Melanie retrucou.
- Cala boca Mel.! - Falei sem humor. - Quer saber eu vou tirar essa história limpa agora! - Sai do canto da sala e passei pela muvuca até chegar onde Arthur conversava com a morena de cabelos longos. Percebi minha raiva esquentar quando eu vi ela passar a mão pela cintura de Arthur e ele corar. - Desgraçado.

- Oi querida! - Sorri falso abraçando Arthur por trás. - Er... Oi! - A Morena sorriu sem graça.
- Prazer Lua, namorada do Arthur! Você é a...? - Sorri sínica.
- Charllott! - Sorriu sem jeito.
- Er... Lu, vem aqui comigo rapidinho... - Arthur sorriu pra garota e me puxou pelo braço até um canto da sala.
- Você ficou maluca?
- Você parece que ficou. - Falei séria.
- Eu vi muito bem ela dando em cima de você Aguiar! - Rosnei.
- Mais é claro que não! A gente só tava conversando! - Ele tentou se explicar.
- Sei muito bem, o tipo de conversa. - Cruzei os braços impaciente. - Ah perai... Pra você isso é normal não é Aguiar? - Sempre foi o pegador do colégio. - Retruquei.
- A eu? Quem mesmo que se amostrava com a mini saia de Líder de torcida e era a garota mais desejada do colégio mesmo? ahh Lua Blanco!
- E você morre de ciumes disso! - Debochei e ele corou agora estava vermelho. Talvez de raiva ou de vergonha.
- Lua e Arthur! - Micael apareceu junto com Sophia.
- DR? - Sophia trincou os dentes
- Sim DR e vocês tão atrapalhando. - Cruzei os braços e Arthur bufou.
- Se é DR problema de vocês. Vocês tem que ir agora lá no depósito pegar o resto das bebidas. - Micael falou nervoso.
- Perai deposito? Essa hora já fechou a muito tempo! - Arthur arqueou a sobrancelha confuso.
- Claro que não. Eu falei com o cara que trabalha lá. Tá fechado sim. Mais ele deixou a gente ir lá pegar a bebidas. - Micael riu. - Hey suborno agora? - franzi o cenho e ele sorriu maroto e Sophia deu um tapa no braço de Micael fazendo eu e Arthur rir.
- Vem, vamos logo Lu. Antes que fique mais tarde que já é! - Arthur me pegou pela mão saindo da grande multidão e indo até o estacionamento onde ficavam os carros.

Flasback On. 1 Ano atrás.

Peguei o telefone ainda com as mãos trêmulas e digitei o telefone que ainda sábia de cor. Os barulhos lá em baixo ainda me faziam suar frio. Eu sábia que algo estava errado.

Arthur? Minha voz saio quase num sussurro.
Lu? Oque foi? - A Voz dele saio preocupada.
Arthur tem alguma coisa errada. A pessoas lá em baixo... - Tremi.
Fica calma... Eu to indo pra ir... - Ele me acalmou.
Não saia do quarto ok?
Tá-Tá ... - Minha voz saiu falha desliguei o telefone.

Meu coração apertou na hora que eu ouvi minha mãe gritar.

Nos deixe em paz! Foi a vez do meu pai dizer e eu ouvi passos se aproximando. Não podia ficar ali. Seria egoísta da minha parte. Eu tinha que salva-los. Sai do quarto batendo na porta levemente para que não fizesse barulho. Me aproximei da escada para ver o rosto... Mais não dava pra ver. Duas pessoas. Uma parecia uma mulher e o outro um homem. Os dois estavam encapuzados. Peraí... Eu conhecia aquela voz... Não poderia ser... Era ele eu tinha certeza. Observei aquela cena da escada me dando um aperto no coração. Não dava pra ver muito bem... Quando um barulho de tiro havia soado. E um não som sofrido tinha gritado um pouco falhado. Era a voz da minha mãe... Fechei os olhos pondo a mão no coração e uma lágrima escorria pelo meu rosto. Ela havia partido. Ela tinha se jogado na frente do meu pai... Mais um barulho de tiro tinha soado pela casa. E dessa vez era ele que partira. Era o papai... Eles se foram... Engoli o seco e novas lágrimas desceram sobre o meu rosto. Ainda mantinha os olhos fechados com as mãos no coração. Ouvi um barulho de pessoas correndo provavelmente eles estavam fugindo. Socorrosocorro. Minha voz saio fraca e falha. Me ajude alguém... Tentei gritar  descendo as escadas mais não saia gravidade, minha voz saia rouca. Me deparei com o corpo de minha mãe e meu pai  no chão da sala. Aquilo não estaria acontecendo... 

NÃÃÃÃO! - Gritei me ajoelhando no chão junto ao corpo deles. - Mãe acorda! Pai! Choraminguei os cutucando. Sem chance alguma. Eles haviam partido Aquela dor era única, não existia coisa pior. Era como se um punhado tivesse passado sobre meu coração e o esfaqueado dentro do meu corpo. Como se não bastasse eu perder o meu pai biológico em um avião. Eu acabará de perder a minha mãe... E o meu pai de crianção. Que sempre considerei como meu pai, depois que minha mãe se casara novamente depois da morte de papai. Aquela dor era maior que tudo.

- Lu! - Ouvi Arthur me chamar e me puxar pro lado me abraçando... - Hey pequena calma! Vai ficar tudo bem

Flasback Of. 

I don't mind spending everyday
(Eu não me importo de passar todos os dias)
Cantarolávamos juntos até o caminho da loja de bebidas. Era incrível como ele fazia graça em tudo.
Out on your corner in the pouring rain
(Do lado de fora, na sua esquina, na chuva caindo)
Look for the girl with the broken smile
(Procure a garota com o sorriso partido)
Ask her if she wants to stay a while
(Pergunte a ela se ela quer ficar por um tempo)

And she will be loved
E ela será amada

- Pronto chegamos! - Ele disse estacionando o carro no estacionamento que ficava em frente do deposito. Era incrível como tudo estava deserto e sombrio. - Você vai esperar aqui ou lá comigo? - Perguntou tirando o sinto de segurança. - Acho melhor não... Espero aqui... - Sorri. - Ok, volto logo! Ele sorriu me dando um selinho e eu assenti com a cabeça. 

Já tinha passado uns 10 minutos e nada de Arthur... Coloque os fones do Ipod no ouvido em intensão de ouvir alguma coisa. Mais nada tirava a minha atenção um nó na garganta passava pelo meu corpo uma sensação ruim que eu não sábia oque era.

Blanco. Ouvi alguém em frente o carro com as mãos em cima do capou do carro me encarar. Era ele. Era ele... Senti um nó na garganta e o meu corpo congelar como se fosse uma pedra de gelo.

2 comentários:

  1. posta minha irmã adotiva por favorrr
    e posta mais dessa web

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmã Adotiva não sou eu que posto :(...Mais eu postei mais um capítulo dessa :)

      Excluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo