13 de jul de 2013

Minha irmã Adotiva.

Capítulo 257.



Lua: Ainda não consigo acreditar que vc me convenceu a vir aqui.(revirou os olhos, entrando na recepção da clinica)

Fernando: É pro seu bem.(apertou com auto segurança sua mão)

Lua: Eu to bem.(disse entre os dentes, observando duas mulheres e um homem sentados na recepção, se entretendo com um televisor)

Fernando: Eu sei que vc ta bem, venha.(lhe conduziu pela mão)Oi. (cumprimentou gentilmente a recepcionista de olhos azuis mar, cabelos perfeitamente loiros e presos em um coque) Temos uma consulta marcada com o doutor Ricardo.

---: O nome do paciente por favor?(indagou prestativa)

Lua: É DA.. Da paciente.(a corrigiu com rigidez)

Fernando: Lua (a repreendeu com os olhos) Lua Maria(mirou gentilmente a recepcionista)

---: (digitou ligeiramente em seu computador o nome dito) Ah sim!(se levantou) O doutor já está por lhe aguardar.(se desvencilhou da bancada onde estava)Queira me acompanhar.( marchou lentamente entre os corredores da clinica)

Puts! mas que recepcionista mais idiota, bufou a loira, não bastava ter os olhos azuis e nem os cabelos sedosos, tinha de usar um uniforme que lhe proporcionava curvas acentuadas, e seus dentes eram brancos e perfeitamente alinhados, característica que levaria qualquer homem pra cama no primeiro encontro, até mesmo Fernando que até o momento lhe tratava com digna educação.

Lua: Será que da pra parar de olhar pras pernas dela?(indagou sussurrando , arqueando uma das sobrancelhas)

Fernando: Pernas de quem?(franziu o cenho)

Lua: Essa coisinha ai na nossa frente?(sussurrou deixando que apenas seu olhar transmitisse o quanto estava com ciúmes)

Fernando: É impressão minha ou vc está com ciúmes?(gargalhou alto)

Lua: É impressão minha ou vc ta querendo ficar sem namorada?(arqueou uma das sobrancelhas)

Fernando: O minha linda, é apenas uma consulta não há necessidade de se estressar, ok?!(a assegurou)

Lua: O pi...(parou de falar ao notar aquela recepcionista “insignificante” se virou para ambos , apontando a porta a sua direita)

---: Senhor..(mirou o moreno)

Fernando: Fernando...

---: Se não se importar o doutor Ricardo opta por atender seus pacientes individualmente.(concluiu lentamente)

Porra! A recepcionista parecia ter preguiça até pra falar.

Lua: A qual é?!(levou as duas mãos a cintura) Se ele não entrar comigo eu não vou.(bateu o pé direito sobre o chão)

---: São exigências do doutor, senhorita.(a confrontou educadamente)

Lua: Mas eu não entro sem ele.(cruzou os braços)É exigência minha.

---: Sendo assim..ér..ér..

Fernando: Ela vai sem eu sim.(mirou Lua) Vou ficar te esperando lá fora.

Lua: mas Feh eu q..(foi interrompida)

Fernando: Por favor.(implorou com os olhos)

Lua: Tudo bem(bufou , abrindo a porta)

Ricardo: Senhorita Lua Maria?(indagou observando-a a se acomodar em uma das duas confortáveis cadeiras de frente a sua mesinha)

Para seus quarenta e sete anos, um e setenta e seis de altura e setenta e oito quilos, muito bem distribuídos em todo o corpo, a loira até poderia reverter sua fixa ideia de não precisar de um médico. Os evidentes fios grisalhos que já anunciava a aproximação da velhice era perfeitamente jogados pra trás, os olhos verdes, sim, os olhos eram matadoramente verdes, e o jaleco branco.. oh céus! Lua sempre teve um queda, quer dizer, um tombo por homens de branco. Opa! Foco! Estava ali para ser consultada contra sua vontade e isso não mudaria.

Lua: Eu mesma , prazer(lhe esticou a mão para um cumprimento)

Ricardo: Prazer.(um sorriso singelo brotou nos lábios do mesmo, enquanto colocava seu óculos de grau) Como está?

Lua: Bem, melhor impossível.(concluiu previsivelmente com um sorriso nos lábios)

Ricardo: Ok.(escreveu algo esgarranchado o suficiente para a loira não entender nada em sua prancheta)

O silêncio pairou enquanto o mesmo fazia sua anotação e Lua girou sua cabeça para analisar a sala, oh sim! Era uma bela sala de atendimentos, mirou a cadeira ao seu lado se perguntando o porque de estar ali; afinal não poderia levar acompanhantes, então não tinha necessidade de duas cadeiras..

Ricardo: o Arthur me contou que vc  desmaiou semana passada(coçou a cabeça) E anda tendo dores  fortes de cabeça.(molhou os lábios com a língua) Essas informações se procedem?(arqueou uma das sobrancelhas)

Lua: Sim, mas (mordeu seus lábios inferiores, procurado ganhar tempo)Tenho plena certeza que já estou ótimo.

Ricardo: Também tenho certeza disso.(Afirmou com a cabeça) Anda se alimentou corretamente?(prosseguiu)

Lua: O Arthur também te disse que o outro médico disse que eu preciso me alimentar melhor.(revirou os olhos)

Ricardo: Ele não iria dizer isso à toa, néh?!(anotou algo a mais em sua prancheta) E a receita do médico pela qual foi atendida pelo desmaio vc poderia me apresentá-la?(indagou  friamente)

Droga! Mil vezes droga..Claro que não iria tomar seguir aquela verdadeira “lista médica” que ele a havia receitado e no dia seguinte a consulta jogara a receita no lixo.

Lua: Não achei que fosse necessário.(se limitou a dizer)

Ricardo: Tudo bem(molhou novamente seus lábios com a língua) Me diga mais sobre essas suas dores de cabeça.(a estimulou)

Lua: São normais e eu tomo um remédio e pronto.(deu de ombros)

Ricardo: Simples assim?

Lua: Simples assim.(um sorriso sarcástico brotou nos lábios da mesma)

Ricardo: Sente vômitos?(indagou normalmente)

Lua: Regularmente.(se limitou a dizer)

Ricardo: Regularmente como?( afastou o óculos de seus olhos observando a loira responder)

Lua: Uma vez ao dia.(Deu de ombros)

Ricardo: Isso vem acontecendo desde que as dores de cabeça e os vômitos se iniciaram?(persistiu)

Lua: É(franziu o cenho) Eu acho.

A loira se sentia no CSI , onde a suspeita era nada mais e nada a menos Lua Maria, era o momento do interrogatório, e suas respostas possuíam a necessidade de serem curtas e objetivas.

Ricardo: E quando elas começaram?

Lua: Bom,(procurou se recordar) A dois , três meses.

Ricardo: Vc sente sua pele mais frágil?

Lua: Não.(um sorriso sem graça brotou nos lábios da mesma)

Ricardo: Nada de manchas na perna também?

Lua: Nadica de nada.(deu de ombros)

Ricardo: Certo..(anotou algo a mais em sua prancheta)

Lua: Agora que o senhor viu que eu to bem, posso ir embora?(arqueou uma das sobrancelhas)

Ricardo: Sua menstruação anda regulada?(arqueou uma das sobrancelhas)

Era o que faltava, o doutor “Lindinho”,procurando uma conversa agradável com Lua através de sua menstruação, oh claro! Iam se divertir a beça comentando sobre a regularidade dela.

Lua: Eu pensei que o senhor fosse neurologista e não ginecologista.

Ricardo: Tudo bem se não estiver  a vontade pra me dizer, mas a senhorita só vai embora depois de um exame de sangue.

Quarenta e sete minutos e nada de Lua, Fernando já estava impaciente andando de um lado ao outro, enquanto o sol procurava melhor posição para repousar. Será que tinham diagnosticado algo pior do que podia imaginar? Será que ela já se encontrava internada? Estaria passando mal? Se sentou massageando suas têmporas e se esforçando para afastar aquelas perguntas inadmissíveis ao seu ver.

Lua: Vamos?(indagou, enquanto segurava dois envelopes brancos em suas mãos)

Fernando: Claro(se levantou em um pulo) Como foi?

Lua: Constrangedor.(se limitou a dizer, molhando seus lábios com a língua)

Fernando: isso quer dizer que?(arqueou uma das sobrancelhas)


Lua: Isso quer dizer que eu preciso te contar uma coisa que vc vai prometer pra mim que não vai contar a mais ninguém.(mordeu seus lábios inferiores)


Boa graças ao Anônimo ridículo, acho que vocês já sabem do que se trata.. Mas não custa nada fazer um suspense =) 

5 comentários:

  1. Eu também nao sei o que vai acontece e a cada capítulo vc ne deixa curiosa
    posta mais

    ResponderExcluir
  2. Super curiosa mais por favor
    By:BEATRIZ

    ResponderExcluir
  3. eu tambéeem não seeeeeeei posta maiiis

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não sei...nem tive tempo de ver esse comentário!!!:)

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo