23 de jul de 2013

Capitulo único - Preciso de você





Web LuAr

Já fazia um mês que Lua e Arthur haviam terminado o namoro. Tanto Lua quanto Arthur não se envolveram com mais ninguém. Ambos ainda se amavam loucamente, mas cadê a coragem de assumir, se o orgulho os consumia. Ambos queriam entregar-se mais uma vez a esse amor que só crescia mais e mais dentro de si.
Arthur pensava muito em Lua, mas se essa foi à decisão dela, ele não podia fazer nada. Ela não o queria mais. Talvez ate já estivesse com outro. Talvez o tivesse esquecido. Talvez...
Mas não era verdade, Lua ainda o amava profundamente. Os dois tentaram de todas as maneiras esquecerem um ao outro, mas era impossível esquecer um amor tão forte.
                              
* Mais um mês se passou... *

Já fazia dois meses desde o dia que tudo mudou da vida de Arthur e Lua. Ainda não tinham se visto nenhuma vez. Arthur havia mandado algumas mensagens de “Boa Noite” a mais de um mês, na tentativa de conversar com Lua, mas ela não respondia o que para ele provava que ela não queria nada mais.

Pov. Arthur:
Hoje faz dois meses que eu e a Lua terminamos, dois meses que eu não tenho vontade de sorrir com o vento, dois meses que eu não vejo aquele sorriso lindo que só ela tem e aquela risada escandalosa dela que deixa qualquer um com vergonha. Quer saber? Eu vou lá agora. Eu preciso saber se ela ainda sente alguma coisa por mim, como eu sinto por ela.

E assim Arthur fez, colocou uma blusa - pois estava em casa sem camisa - e colocou seus pertences no bolso de sua bermuda e saiu feito um louco de seu apartamento rumo ao edifício em que lua mora.

Pov. Lua:
Mais um sábado que não saio de casa, não tenho animo pra sair, além disso, hoje faz dois meses do pior dia da minha vida, dois meses que não me sinto abraçada pelos braços confortáveis do meu Arthur, dois meses que mais parecem dois anos, foram os piores meses da minha vida. Agora estou sozinha em casa vendo filmes românticos clichês que fazem qualquer um chorar, comendo pipoca tentando preencher um vazio que eu mesma criei ao terminar o meu namoro. Eu achei que precisava de um tempo só. Ele foi o meu primeiro namorado, e meu primeiro amor, sim, meu verdadeiro primeiro amor.  Foram dois anos de namoro, sobrevivemos a tantas coisas, ciúmes, trabalhos, falta de tempo. Foi para ele que eu me entreguei, ele foi o primeiro, e ele foi tão carinhoso comigo.
Mas eu estava cansada, realmente eu precisava pensar na nossa relação, mas mesmo que eu saiba que fiz uma grande besteira não consigo ir atrás dele, eu o tratei tão mal.


Lua vai para o seu quarto e recebe uma mensagem, quando ler está escrito: “Vá para a varanda do seu apartamento e olhe para a pista lá embaixo”, me assusto ao ler, mas assim mesmo vou até a varanda e olho para a pista. Quando vejo o que tem na pista meus olhos embaçam e um sorriso imenso escapa de meus lábios, e está escrito: “Volta pra mim?” e o Arthur parado ao lado da mensagem olhando para a mesma varanda em que eu estava. Fico totalmente paralisada ao ler, mas mesmo assim continuo lá, tomo coragem e balanço a cabeça positivamente em sua direção e vejo que o Arthur sorri pra mim da mesma maneira que sorria antes, um sorriso sereno escancarado por tamanha felicidade que estava sentindo. E então ele sai de perto das palavras escritas com tinta no chão e vem em direção da portaria do prédio onde moro.
Lua corre para o espelho para ver como estava sua aparência, que por sinal estava péssima. Seus olhos estavam inchados depois de tanto chorar por filmes clichês. O interfone toca, é o porteiro avisando sobre seu visitante. Lua confirma a entrada de Arthur.

Lua: Ai é agora! – Fala com si mesma. – Calma Lua. Age normalmente. – E corre para o banheiro para ajeitar seu cabelo em um coque frouxo e dá um jeito em sua roupa rapidamente e vai até a porta e escuta o barulho do elevador abrindo no seu andar. Seu coração acelera ao escutar passos em sua direção e quando abre a porta vê Arthur parado na sua frente com as mãos nos bolsos da sua bermuda e um meio sorriso no rosto a encarando.
Arthur: Então... – Falou sem saber o que falar exatamente, Burro!Burro! Fala pra ela idiota, fala logo tudo que você sente. – Lua... Eu poderia vir aqui agora... E falar tudo que eu quero desde que nós terminamos. – Eles se olham nos olhos e ela balança a cabeça afirmando o que ele havia dito. – Poderia falar tudo que eu tentei decorar no caminho até aqui. Mas eu não consigo. – Fala envergonhado, mas continuava olhando em seus olhos. – Quando eu chego perto de você meu coração dispara e eu me esqueço de tudo! Tudo que eu pensei em te falar, tudo que eu planejei te falar... – Lua o interrompe.
Lua: Não precisa falar nada Arthur, você já falou tudo lá embaixo. – Lua sorria como não havia sorrido esses últimos dois meses. Lua sorria pra ele e por ele. E o olhar deles diziam tudo que queriam e sentiam.
Arthur: Eu sinto sua falta pequena. – Disse se aproximando dela. – Sinto falta de tudo de você. – E assim Lua e ele se aproximaram ficando quase colados, Arthur logo a abraçou. Um abraço que mostra o quanto ele era dependente dela, e Lua correspondeu o abraço, mostrando ali todo a amor que sentia por aquele homem. Como Arthur sentia falta desse abraço, o abraço que sempre davam. Lua sentia-se protegida nesses braços, como ela sentia falta dele, de tudo nele!
Arthur: Como eu senti falta disso, do seu abraço, do seu cheiro, de você! – Diz ainda abraçado a ela.
Lua: Eu também, me desculpa eu fui uma idiota. – Lua não conseguia conter as lagrimas que pulavam dos seus olhos - Eu estou muito arrependida, eu pensei que precisava de um tempo, mas eu estava errada.  – Arthur a encara no fundo dos olhos, sabia que tudo que ela dizia era verdade. Ele não conseguiu entender o motivo que Lua teve para terminar com ele, mas finalmente percebeu que ela não teve um motivo, ela só estava confusa. E a beijou. Um beijo de saudade, de amor, de desejo.
Arthur: Eu te amo! – Diz depois de beijá-la enquanto segurava seu rosto com as duas mãos. – Eu senti tanto sua falta pequena!
Lua: Eu te amo Arthur. – Diz com um sorriso enorme no rosto.
Arthur: E o meu recado lá embaixo você aceita? – Perguntou franzindo o cenho.
Lua: Claro que eu aceito! – Falou e pulou em seus braços, e o beijou novamente.
Arthur: Lua, esse tempo todo sem você só serviu pra me provar que eu não sou nada sem você! – Fala depois de se beijarem, e a olha, reparando em cada canto de seu rosto. Coloca então o seu cabelo atrás da orelha, para observa-la melhor, fazendo-a corar. – Ah, como eu estava com saudade de te fazer ficar com vergonha e ficar vermelha.

E assim a beijou novamente e dessa vez era um beijo de necessidade, de desejo. E finalmente Arthur entra no apartamento de Lua ainda a beijando e fechando a porta atrás de si com o pé, enquanto carregava Lua que estava com as pernas em volta de sua cintura até o quarto dela. Sem parar o beijo, Arthur chega até o quarto de Lua e a deita sobre a cama, a olha enquanto ele está em pé. Vai para cima dela, deixando-a por baixo de si. Lua tira a camisa de Arthur, e assim voltam a se beijar, o beijo não deixava de ser calmo apesar da necessidade de ambos se amarem ser incontrolável. Arthur tirou a blusa que Lua usava revelando um sutiã preto, e desce suas mãos até o short da garota tirando-o delicadamente. Eles começaram a se observar. Lua desce suas mãos do cabelo de Arthur até a sua bermuda deixando-o apenas de cueca box azul, e assim ficaram os dois apenas de roupas intimas. E voltam a se beijar calorosamente, enquanto desabotoa o sutiã dela, deixando seus seios à mostra. Passa a beijar o seu pescoço, deixado alguns chupões, e acariciando seus seios fazendo-a gemer. Lua inverte as posições, ficando agora por cima dele e beijando sua barriga perfeita, chegando a sua cueca, ela olha para Arthur, que a está com um olhar de pura luxuria, Lua então retira a cueca com os dentes deixando-o ainda mais excitado. Arthur a puxa para um beijo ardente e Lua sente sua ereção em suas cochas, ele a deixa por baixo novamente, e retira delicadamente sua calcinha, e a penetra pausadamente. Lua fecha os olhos sentindo-o dentro de si. Arthur acelera os movimentos, deixando a sensação ainda mais prazerosa para ambos. O movimento fica cada vez mais rápido, e Lua em meio a gemidos segura forte os cabelos de seu amor. Arthur por sua vez, à beija, mas dessa vez com calma, e os músculos de Lua relaxam ainda mais, fazendo com que juntos cheguem ao clímax. Arthur a beija e deixa seu corpo cair sobre ela. Delicadamente se sai de cima, se desconectando de sua amada, ficando ao seu lado e a puxando para deitar-se em seu peito nu.
Arthur: Nunca mais vamos fazer isso, ok? – Perguntou a Lua.
Lua: O que? – Se assusta com o que ele disse. – Isso? – Apontou para eles deitados e Arthur ri.
Arthur: Não, claro que não! – Negou. – Isso de nos separar.
Lua: Ah, não mesmo, eu nunca mais vou me separar de você, nunca mais! – Se aconchegou mais ao peito de Arthur. – Eu te amo tanto! – Levantou a cabeça para encará-lo.
Arthur: Eu também te amo muito! – A encarou e passou os braços em volta de seu corpo a apertando mais contra ele.
Lua: Se depender de mim nós vamos morrer juntos! – Falou parando de encará-lo.
Arthur: E velhinhos. – Completou o que ela falava.

Depois de conversarem bastante e falarem tudo que sentiram nessa separação, acabaram por adormecer juntinhos.
Arthur acordou com uma frecha de sol em seu rosto e ficou observando Lua dormir por um bom tempo, e agradeceu mentalmente a Deus por tê-la em sua vida. Logo depois se levantou e foi fazer café da manhã para os dois, pois estava com fome. Fez um banquete e levou para Lua em uma bandeja até sua cama.
Arthur: Acorda Preguiçosa! – Falava enquanto distribuía beijinhos por seus lábios e seu rosto, enquanto Lua acordava sorria ao ver Arthur em sua frente.
Lua: Só mais um pouquinho amor! – Falou e lhe puxou para deitar-se junto com ela na cama.
Arthur: Não Amor, vamos acordar já são dez e meia.
Lua: Ah Amor, eu quero dormir! – Falou tentando fechar os olhos enquanto Arthur lhe dava selinhos. – Eu não resisto. – Diz beijando-o. – Como eu queria acordar todo dia assim. – Falou já sentada na cama com cara de sono e encarando um Arthur sorridente à sua frente.
Arthur: E vai ser acordada assim. – Falou lhe dando mais um selinho. – Olha o que eu fiz pra gente. – Lhe mostrou uma bandeja repleta de comida.
Lua: Ai Amor! – Lhe puxou e lhe agarrou fazendo-o deitar por cima dela e começou a distribuir beijos vagarosamente sobre sua face.
Arthur: Lua assim eu não aguento, eu vou ser obrigado a te agarrar aqui e agora. – Lhe olhou com um sorriso malicioso no rosto.
Lua: Outra hora por que eu estou morrendo de fome! – Lhe lançou um olhar malicioso e depois angelical.
Arthur: Eu também estou, Vamos comer logo. – E assim fizeram, comeram e Lua foi lavar as coisas sujas na cozinha depois de tomarem banho juntos.

Arthur: Cheirosa como sempre! – Falou abraçando-a por trás enquanto lavava a louça.
Lua: Sempre pra você! – Virou de frente para Arthur e lhe beijou. – Eu nem acreditou que você está aqui comigo! – Falou depois de se beijarem e agora estavam se abraçando, Lua estava com a cabeça sobre o peito de Arthur e ele com a cabeça sobre os cabelos de Lua.
Arthur: Eu senti tanto a falta de você! Do seu cheiro, do seu beijo, do seu abraço, do seu sorriso! – Pegou em seu queixo levemente e lhe beijou novamente.

* Algum tempo depois *

O relacionamento dos dois estava cada vez mais sério, os dois meses separados não significavam mais nada para eles, havia sido uma fase difícil, mas que eles superaram e só lembravam de que nunca mais deveriam se separar novamente. Um ano depois eles já moravam juntos, e Arthur aproveitou para pedi-la em casamento, foi um dia em que Lua jamais irá esquecer. Ela acordou com um café da manhã na cama, e vários beijos. No trabalho Arthur a enviou flores e cartões, e no fim do dia ele foi busca-la no trabalho e a levou para uma festa a dois na praia, com vinho, frutas e chocolates. E de repente se declarou para Lua, disse da importância que ela tinha em sua vida, e o que os três anos de namoro havia significado para ele.


Arthur e Lua eram mais que marido e mulher, amantes, amigos e cúmplices. Se conheciam como ninguém. Se amavam como ninguém nunca amou igual.

4 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo