29 de jul de 2013

Addicted - Cap 33

 




(n/a: aconselho ir botando pra carregar;  Apologize – One Republic)

'Lu, você tá linda!' Sophia repetiu ao que parecia pela milésima vez.

'Menos, Sophia.' Falei forçando um sorriso.

Me olhei no espelho pela ultima vez e fiquei alguns segundos analisando minha imagem. Um vestido preto com detalhes brancos um pouco acima do joelho, uma meia calça preta e um sapato de boneca com salto. Meu cabelo estava solto com uma pequena borboleta brilhante em um lado . Ok, talvez eu não estivesse tão mal.

'Vamos logo antes que eu desista!' Falei balançando a cabeça e pegando a bolsa em cima da cama de Soph.


Depois de passar o dia inteiro pensando se eu estava fazendo a coisa certa, eu resolvi que não podia desapontar Kátia dessa forma. O jantar era realmente importante pra ela, e eu sabia que era pra mim também.

'Wow!' Micael falou se levantando do sofá quando eu e Sophia chegamos à sala. Ele olhou pra ela e depois me olhou de cima a baixo.

'Tá bom, Micael. Eu sei que esse wow foi só pra Lu, vamos logo!' Soph bateu a bolsa no braço dele e eu ri pegando Diego no colo.

'Não, claro que não! Você também está completamente wow! Só que você tá sempre wow!' Ele se enrolou.

'Isso supostamente quer dizer que eu sou sempre ew, e hoje estou wow?' Perguntei arqueando a sobrancelha.

'Não, não foi isso, é só...'

'Ok, Micael! Nós entendemos. Agora vamos!' Sophia o puxou pelo braço enquanto riamos da cara confusa dele.

Fomos o caminho inteiro até a casa de um tio do Arthur, onde seria o jantar, falando besteiras. Eu sabia que Micael e Soph estavam apenas tentando me distrair, mas minhas mãos geladas e minhas pernas inquietas entregavam meu nervosismo.


'Como você tá se sentindo?' Sophia perguntou enquanto saíamos do carro.

'Ficaria melhor se você parasse de perguntar isso.' Respondi entre os dentes. 'Eu estou nervosa ok? Não sei se consigo!' Suspirei e ela pegou minhas mãos.

'Vai dá tudo certo!' Ela sorriu.

'Vamos entrar, Arthur já tá me ligando.' Micael mostrou o celular que tocava enquanto Diego estava em seu colo brincando com seus cabelos. Balancei a cabeça concordando e respirei fundo antes de andar até a entrada da casa.

'Dude, você podia atender o celular, de vez em quando é bom, sabe?!' Arthur falou pra Micael quando abriu a porta.

'Aguiar, eu estava aqui na frente da casa, pra quê eu ia atender?' Micael entregou Diego no colo de Arthur. Sophia deu um beijo na bochecha de Arthur e entrou de mãos dadas com Micael, enquanto eu fingia que as flores ao lado da porta eram mais interessantes que qualquer coisa que pudesse estar acontecendo a minha volta. A porta continuava aberta e eu sabia que Arthur estava me encarando esperando alguma reação minha. 

'Hey!' Falei finalmente o olhando e percebendo que ele estava com a camisa social preta que eu amava.

'Você tá... linda.' Ele falou com uma pausa e sorriu levemente, me fazendo olhar novamente para as flores. 'Não prefere entrar?' Ele fez um pequeno gesto com a mão apontando pra dentro da casa.

'Claro.' Falei um pouco sem graça.

'Minha mãe mal pode esperar pra ver você e o Diego.' Ele falou enquanto fechava a porta e eu sorri fraco. 'Ela tá lá no jardim.' Ele falou apontando pra lateral da casa que tinha uma varanda aberta. Eu assenti e caminhei logo atrás dele. Quando estávamos quase fora da casa, Sophia apareceu em nossa frente.

'Erm... desculpa!' Ela fez uma careta. 'Se vocês querem realmente fingir que são um casal vão ter que se esforçar mais um pouco.' Ela apontou a distancia que havia entre mim e Arthur.

'Sophia, eu não acho...' Arthur tentou falar, mas eu o interrompi.

'Não, ela tá certa!' Me aproximei dele e peguei sua mão livre, Diego sorriu me olhando. 'Vamos fazer isso do jeito certo, ok?' O olhei e ele assentiu sorrindo. Eu rezava pra que ele não percebesse minha mão gelada e que parecia tremer um pouco, ele a apertou carinhosamente e me olhou rapidamente como se checasse se estava tudo bem.

Caminhamos até o jardim sorrindo para alguns parentes do Arthur que passaram por nós, até que finalmente avistamos Kátia conversando com algumas pessoas.

'Mãe!' Arthur a chamou e ela sorriu falando qualquer coisa com as pessoas que estava conversando e caminhou rápido até nós dois.

'Lu, que saudaaade!' Ela me abraçou forte e eu sorri sincera. Kátia era como uma segunda mãe pra mim, eu sabia que qualquer problema que eu tivesse ela estaria disposta a me ajudar, e que a minha felicidade seria a felicidade dela também. 'Arthur me disse que você fica mais linda a cada dia que passa, mas ele realmente não faz jus... olha só pra você.' Ela pegou em minha mão e me fez dar uma voltinha enquanto eu sentia meu rosto pegar fogo, Arthur tinha realmente dito aquilo? 'Você está maravilhosa!' Ela sorriu.

'Olha só quem fala, né? Cada vez que eu te vejo parece que você tá mais jovem e mais feliz!' Falei sorrindo.

'Diego! Ai meu Deus, como você tá enorme!' Ela carregou Diego.

'Vóó!' Ele sorriu a abraçando.

'Esse menino lindo é o Diego?' Uma prima de Kátia perguntou sorrindo e se aproximando. 'Cada dia que passa ele fica mais lindo.' Eu e Arthur sorrimos bobos. 'E vocês, não podiam formar um casal mais lindo, né?' Ela falou nos olhando e eu abaixei a cabeça sorrindo sem graça.

'Hm... obrigada, tia Emma.' Arthur sorriu formalmente passando um braço em volta da minha cintura e eu estremeci. Continuei olhando para baixo e respirando fundo.

'Lu, tá tudo bem?' Kátia me olhou um pouco preocupada.

'Claro, tudo bem, Kátia!' A tranquilizei sorrindo fraco.

'É melhor a gente entrar.' Arthur falou me olhando rapidamente.

'Diego você fica com a vovó? Vamos passear por aqui!' Ela botou Diego no chão e ele me olhou em duvida. Sorri o encorajando e ele sorriu para a avó.

Arthur me puxou levemente me levando pra dentro de casa e quando chegamos até onde nossos amigos estavam, ele soltou minha cintura.

 'Desculpa.' Ele falou baixo e se afastou um pouco. Sorri fraco e fui sentar onde Soph e Mel estavam.

'E então?' Elas me olhavam apreensivas e eu balancei a cabeça.

'Nada demais.' Dei de ombros e peguei um vinho na bandeja do garçom que passava por ali. 'Acho que Kátia não percebeu nada.' Comentei vagamente e elas sorriram.

'E a mão dele na sua cintura...' Mel arqueou a sobrancelha e eu sorri fraco.

'A tia dele simplesmente disse que a gente não podia formar um casal mais lindo.' Repeti as palavras da tia de Arthur.

'Wow!' Sophia me olhou e eu dei de ombros. 'A família Aguiar te ama amiga, fato.' Nós rimos.

 'Principalmente o pequeno Aguiar que está te secando agora-a!' Mel cantarolou e eu nem tive coragem de encarar Arthur parar confirmar. Apenas abaixei os olhos para minhas mãos e mordi o lábio inferior sentindo o nervoso me atacar novamente.

Alguns parentes de Arthur foram me cumprimentar e dizer como o Diego estava grande e toda aquela velha história que as pessoas falam quando se tem uma criança na família. Uma tia do Arthur até perguntou quando iríamos casar, o que fez com que eu quase afundasse o rosto nas almofadas do sofá. E como eu não respondi, ela chamou Arthur e o fez a mesma pergunta, e se eu bem o conheço ele também quis enfiar o rosto nas almofadas, mas apenas disfarçou sorrindo e disse que ainda tínhamos bastante tempo para pensarmos nisso.

Ficamos conversando até Diego chegar correndo pra falar que o jantar já ia ser servido.

 'Nossa, que fome.' Mel comentou baixo e eu ri.

'Eu digo o contrario, meu estomago tá dando voltas.' Fiz careta e ela sorriu.

 'Vamos?' Micael se aproximou estendendo o braço pra Sophia. Chay fez o mesmo com Mel e Pedro os seguiu, sobrando apenas eu e Arthur. Ele estendeu a mão timidamente pra mim e eu a peguei sentindo o velho formigamento passar por meu corpo.

'Ah, o casal principal!' Kátia falou sorrindo quando nos aproximamos. 'Vocês sentam aqui!' Ela apontou as duas cadeiras ao lado da dela. Respirei fundo e Arthur afastou a cadeira para que eu sentasse, sorri agradecida e me sentei ao lado de Kátia com ele ao meu lado.

O jantar ocorreu sem nenhum imprevisto, algumas vezes meu braço e o de Arthur se chocavam levemente fazendo com que eu sentisse leves choques naquela área. Conversamos sobre a vida de Kátia lá em Liverpool e ela nos perguntou sobe a nossa vida aqui, claro que eu e Arthur tivemos que inventar algumas mentiras.
  

'Agora, eu gostaria de propor um brinde!' Kátia falou após o jantar se levantando. Ela olhou pra mim e pra Arthur e sorriu. 'Um brinde ao meu filho lindo, que saiu do hospital á exatamente um ano atrás, e eu só posso agradecer pela vida não ter tirado ele de mim.' Arthur se levantou com a taça de champanhe. 'E um brinde a minha nora linda, que está do lado do Arthur o tempo todo, e eu serei eternamente grata porque ele não poderia ter escolhido uma garota melhor. Enfim, um brinde ao casal mais lindo, com todo respeito a todos os outros.' Ela brincou e todos deram risada.

Eu me levantei segurando o champanhe completamente sem graça. Quando íamos brindar o tio do Arthur interrompeu.

'Ah, mas não vai ter nem um beijinho?' Ele nos olhou e eu senti o ar sumir completamente dos meus pulmões. 'Só um beijinho!' Ele riu e eu olhei pra Sophia encontrando seu olhar assustado.

Arthur passou a mão desajeitadamente pelo cabelo e depois se virou pra mim. Eu o olhei sentindo minhas pernas bambearem, todos os olhares na mesa estava voltados para nós dois. Arthur tocou meu rosto e eu senti um arrepio passar por meu corpo.

'Desculpa.' Ele sussurrou para que só eu ouvisse e encostou nossos lábios delicadamente. Fechei os olhos me sentindo completamente dopada pelo perfume dele enquanto ele acariciava meu rosto sem aprofundar o beijo, apenas mantendo nossas bocas grudadas. Algumas exclamações do tipo Hawn foram ouvidas e eu segurei a mão de Arthur a afastando e separando nossas bocas. Ele me olhou sem sorrir e eu o encarei da mesma forma.

'Saúde!' O tio de Arthur falou alto atraindo nossa atenção e todos começaram a brindar. Pegamos as taças e fizemos o mesmo. 

Quando o jantar terminou eu fui em direção a Sophia tentando me afastar o máximo possível de Arthur, minhas pernas tremiam e minhas mãos suavam. Minha cabeça ainda estava girando e eu ainda conseguia sentir o perfume de Arthur me intoxicando.
 'Desculpa, não consegui pensar em nada que pudesse evitar aquilo'. Ela apertou carinhosamente meu braço e Mel passou a mão por meus cabelos.

'Não tem problema.' Falei suspirando e sentei no sofá antes que minhas pernas não fossem mais capazes de me sustentarem. 

 As horas passaram rápidas e quando parei pra reparar a casa já estava praticamente vazia. Apenas alguns familiares estavam por ali, e os meninos da banda. Micael e Sophia, Chay e Mel estavam dançando no meio da sala, numa pista de dança improvisada por eles mesmos. Pedro já tinha ido embora para se encontrar com alguma garota e Diego estava em um quarto dormindo. Suspirei e caminhei em direção á varanda.

O jardim estava vazio, mas ainda iluminado. Andei até um pequeno banco que tinha por ali e me sentei suspirando e fechando os olhos alguns segundos. Um flash de um ano antes passou por minha cabeça e eu lembrei de Arthur no hospital, das vezes que eu fui visitá-lo, o jeito como ele ficava animado enquanto eu contava nossa história, o sorriso dele quando eu mostrei a foto do Diego. Durante todos os mais de três meses eu me prendi a todas essas boas lembranças, deixando tudo que pudesse me machucar lá no fundo, deixei que aquelas lembranças ruins fossem se apagando aos poucos. Perdoar não é esquecer. É o que dizem, às vezes nos vemos obrigados a esquecer aquilo que nos faz mal, a simplesmente deixar tudo aquilo que nos magoou pra trás e seguir em frente. Perdoar é uma palavra intensa demais, e esquecer não significa apagar, é apenas... esquecer, sem nenhuma garantia de que aquilo um dia não possa voltar à nossa mente e nos fazer sofrer de novo. Deixar que algumas coisas desagradáveis se percam no fundo da nossa mente é nescessário, a vida é desenhada sem borracha, se você errou, se machucou, se arrependeu, apenas encare como uma nova experiência e a guarde, é com elas que você mais vai aprender. (botem a musica pra tocar!)

Senti um vento gelado passar por mim e esfreguei meus braços sentindo um arrepio.

" I'm holding on a rope
( Estou segurando em uma corda )
Got me 10 feet off the ground
( Que me deixa à 3 metros fora do chão )
I'm hearin' what you say but I just can't make a sound
( Estou ouvindo o que você diz, mas simplesmente não posso emitir um som )
You tell me that you need me then you go and cut me down
( Você diz que precisa de mim depois você parte e me derruba )
But wait
( Mas espere ) 
You tell me that you're sorry
( Você diz que está arrependido )
Didn't think I'd turn around and say:
 ( E não achava que eu daria a volta por cima e diria: )
That it's too late to apologize 
( Que é tarde demais para se desculpar )
It's too late
( É tarde demais )
I said it's too late to apologize
( Eu disse que é tarde demais para se desculpar ) 
It's too late 
(É tarde demais )"

Levantei meus olhos para o céu escuro, apenas algumas estrelas mal espalhadas brilhavam. Olhei a varanda do quarto em que Diego estava e percebi que Arthur estava ali também observando o céu. Se olhar desceu lentamente até encontrar o meu, ficamos nos encarando sem fazer movimento algum e a única coisa que se ouvia era a musica que tocava dentro da casa. Me levantei calmamente ainda sustentando o olhar e depois entrei na casa passando rapidamente pela sala e subindo as escadas.

" I'd take another chance, take a fall, take a shot for you
( Eu me arriscaria outra vez, levaria a culpa, levaria um tiro por você ) 
Ineed you like a heart needs a beat, it's nothing new 
( Eu preciso de você como um coração precisa de uma batida, e isso não é novidad)  
I loved you with a fire red now it's turning blue
 ( Eu te amei com um fogo vermelho agora está se tornando azul )
And you say
( E você diz )
Sorry like an angel
( "Eu sinto muito" como um anjo )
Heaven left me think was you
( O céu me fez pensar que você era )
But I'm afraid
( Mas eu estou com medo )"

Abri a porta do quarto em que Diego estava e Arthur estava lá, ainda na varanda, mas agora virado pra porta como se estivesse me esperando. Fechei a porta com cuidado e me virei para encará-lo, a música ainda podia ser ouvida, mas agora estava bem mais baixa.

Caminhei lentamente até onde Arthur estava sem desviar seu olhar e quando cheguei a alguns centímetros de distancia parei mordendo meu lábio inferior sem saber direito o que fazer. Arthur analisou meu rosto calmamente e botou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha. Sua mão acariciou minha bochecha e eu fechei os olhos sentindo o toque delicado dele. Nossas testas se encostaram e eu abri os olhos encontrando seu rosto a poucos centímetros de distancia do meu, ele se aproximou hesitante e sua mão escorregou pra minha nuca, seus dedos entrelaçando em meu cabelo.

'Eu não preciso encontrar um cara que me mereça.' Falei com os olhos fechados sentindo uma lágrima correr por meu rosto. Eu já nem me importava que Arthur descobrisse que eu tinha lido aquela carta, as palavras escritas por ele ainda estavam vivas em minha mente me deixando tonta e eu precisava falar alguma coisa pra ele. 'Eu... Eu só preciso de você.' Falei a ultima palavra quase inaudivelmente e abri meus olhos encontrando os dele que ainda estavam um pouco assustados com minhas palavras. Ele abriu um sorriso quase imperceptível, seus olhos sorriram junto fazendo meu coração acelerar descontroladamente.
  
'Eu é que preciso de você, eu não sou nada sem você.' Arthur falou baixo passando o nariz no meu me fazendo fechar os olhos deixando que seu perfume me intoxicasse por completo. 'It's all about you.' Ele sussurrou o nome da musica, da minha musica, da nossa musica. Meus olhos se focalizaram em sua boca e depois olhei pela ultima vez em seus olhos doces antes de fechar os meus e deixar que meu coração fizesse todo o resto.

" It's too late to apologize
( É tarde demais para se desculpar )
It's too late
( É tarde demais )
I said it's too late to apologize
( Eu disse que é tarde demais para se desculpar )
It's too late
( É tarde demais ) 
I'm holding on a rope
( Estou segurando em uma corda )

 Ah vai esse merece milhões de comentários, rs' Espero que gostem :3

9 comentários:

  1. AII MEU DEUS. QUE PERFEITOO, CHOREI SERIAO. MAIS?

    ResponderExcluir
  2. gostar???eu amei muito!!!foi simplesmente perfeito!!!*_*posta mais...=D

    ResponderExcluir
  3. Oh m god!
    Faz maratona pleaseeeeeee
    Rapha

    ResponderExcluir
  4. Eu nao me canso de ler essa web e nao me canso de me emocionar nesse capitulo !! É perfeito demais

    ResponderExcluir
  5. Awwwwwwwn que lindo meeeeu Deus <3

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo