8 de jul de 2013

8° Cap. "A garota da porta vermelha"

  
(que sorriso é esse meu Deus!! ui)

"Fingindo ser o que não é"


- Aguiar pára com isso!

- Blanco pára de reclamar!
- Se alguém aparecer...
- Ninguém tem nada a ver com nossas vidas!
- Mas não seria NADA legal que nos vissem assim – Lua disse apontando para o ‘estado’ dos dois: totalmente molhados, dentro de um elevador, e Arthur a pressionando contra a parede.
- Ah vai dizer que você nunca sonhou em ser famosa?
- Famosa por ser mais uma na lista de um ‘astro do rock’ metido a garanhão? Não, famosa desse jeito não!
- Eu sei que você me ama...
- Eu te amo do jeito que os Capuletos amavam os Montéquios.
- Viu só? Já está nos comparando a Romeu e Julieta. Isso é que é amor hein?
- Idiotinha da minha vida, eu nos comparei aos PAIS de Romeu e Julieta. Mas nossa! Você sabe que Montéquio e Capuleto eram os sobrenomes de Romeu e Julieta? Tô impressionada.
- Hahaha, como você é engraçada – ele ironizou, e aproximou mais ainda (se é que é possível) seu corpo do de Lua.
- Arthur, é sério! Eu vou morrer de vergonha se alguém entrar nesse elevador e nos ver assim.
- Ow! Ela me chamou de Arthur! Milagres acontecem – ele disse de um jeito rouco/sexy bem perto do pescoço dela.
- Quer ver um milagre maior ainda?
- Hum, gostei disso – ele deu um sorriso tarado que ela não pôde ver.
- Pervertido!
- Eu? Imagina! Mas então, que milagre?
- Esse! – ela disse rapidamente, e mais rápido ainda puxou o garoto pela nuca e selou os lábios. Arthur se assustou com a atitude da garota, ela NUNCA tomava iniciativa para um beijo. Após o susto momentâneo, ele fez com que Lua abrisse a boca e desse passagem para sua língua, era um beijo intenso, não selvagem, somente intenso.
- Ops! – Mel disse quando a porta do elevador se abriu, assustando o ‘casal’, que se separou instantaneamente. – Desculpa! Sério, se eu soubesse que vocês estavam... Erm... - a garota se enrolava nas palavras enquanto corava furiosamente.
- Relaxa Mel! – Arthur disse calmamente.
- Aguiar seu idiota! Se você fizer isso mais uma vez eu juro que te mato! – Lua disse brava e saiu do elevador, deixando um Arthur confuso atrás de si.
- É... Acho que vou falar com a Lu, tá Arthur?
- Okay Mel.



- Lu?
- Pode entrar Mel.
- Você tá bem?
- Tô sim, por que a pergunta?
- Será que é por causa do que eu vi agora há pouco?
- Ah Mel! Jura que não conta pra ninguém? Ele me agarrou, mas mesmo assim eu tenho vergonha de admitir que beijei esse ogro.
- Te agarrou? Por quê? Vocês vivem dizendo que preferem morrer a ter que encostar um no outro.
- Euqueobeijei!
- O quê garota? Fala devagar!
- Eu-que-o-beijei!
- Oo Tá brincando né?
- Bem que eu queria estar...
- Mas... Mas como assim? Vocês estão ficando?
- Não... Ou melhor, acho que não.
- Por que vocês não ficam na frente de todo mundo? Por que você não me contou?
- Porque quando tudo voltar ao normal, ele vai arranjar mais uma namoradinha e todos vão ficar preocupados com os meus sentimentos por ele!
- Mas nós teríamos razões pra nos preocupar, não acha? Você ficaria com o coração partido ao vê-lo com outra garota.
- Coração partido só se for de dó da pobre garota que tiver a infelicidade de namorar esse traste. Não quero mais falar sobre isso okay?
- Tudo bem... Mas posso perguntar uma coisa?
- O que?
- Vocês ficaram ontem à noite, não ficaram?
- Ficamos – disse Lua corando, e vendo Mel gargalhar.
- EU SABIA!



Os casais (de verdade) passaram o resto da tarde em seus respectivos quartos, Lua estava assistindo Supernatural (n/a: ninguém reparou que eu sou viciada por séries né? xD) e Arthur havia sumido. Todos tinham combinado de jantarem juntos, e depois irem a uma boate perto do hotel.



- Lua! Vai se arrumar! – Maira falou colocando a cabeça pra dentro do quarto da amiga.
- Já tô indo, assim que acabar o episódio eu vou.
- Ô vicio! Não cansa de assistir essas séries não? Qual é essa?
- Não canso! Amo! Tô vendo Supernatural. O episódio que eu mais tenho medo: do palhaço!
- Se tem medo por que assiste?
- Porque é legal! E porque eu amo o sarcasmo do Dean e a carinha fofa do Sam. Agora vai embora que voltou do comercial!
- Okay, mas vê se não se atrasa viu?
- Tá, tá. Agora saiiiii!



Lua estava totalmente compenetrada no que assistia, no momento em que o palhaço ia matar o casal que estava dormindo... A porta de seu quarto abre.
- AHHHHHHHHHHHHHHHHH!
- Que foi garota tá doida? Mais do que o normal?
- QUE MERDA, AGUIAR! Cara eu vou morrer do coração!
- Muito maluca. Por que esse susto todo? Tava fazendo algo de errado?
- Como você é engraçado. Não que eu deva explicação, mas eu tava assistindo Supernatural e você chegou na parte mais assustadora.
- Que episódio é esse?
- Do palhaço.
- Ah é, você tem medo.
- Morro de medo.
- Cagona pra caramba.
- Ah não enche!
- Vou tomar banho, a Mel disse que se você se atrasar, ela vai contar pra todo mundo o que viu no elevador.
- Obrigada pelo recado, secretário – ela disse em tom sarcástico, Arthur fingiu que não escutou.



Durante o jantar...



- Ah não Micael! A piada da galinha de novo não! – Maira reclamava do amigo.
- É mesmo, amor. Tenho que concordar com a Maira –Sophia fazia careta.
- Ah deixa ele contar! – Chay sorria.
- Mas ele já contou milhões de vezes – Lua também não agüentava mais.
- Pode contar Micael, EU quero ouvir – Arthur provocou, olhando Lua.



O jantar foi repleto de risadas, gargalhadas e engasgos (rir muito enquanto come dá nisso). E também teve um telefonema de Julia, avisando que Billy estava melhor, e que era pra todos evitarem que Lua e Arthur se matassem, pois a Sra. Aguiar os queria vivos e saudáveis.



Na boate...



- Eu sinceramente não entendo como os seguranças deixaram a Blanco entrar – Arthur fingia pensar, provocando Lua.
- Se eles barrassem a minha entrada, teriam de barrar a tua também – ela respondeu calmamente.
- Ah é? Mas eu não sou uma criança, e nem tenho 1,50m de altura – o garoto respondeu ironicamente.
- Eu não tenho 1,50m de altura okay? Como se você fosse tãããão mais alto né? E além do mais eles te barrariam por ter cara de maluco/tarado – Lua responde fazendo gestos.
- Maluco e tarado é? Que sorte que você não dorme no mesmo quarto que eu né? – ele diz sorridente com cara de malicioso.
- ... – Lua nem sonha com o que responder.
Os amigos dão risada (como sempre) das cenas hilárias de Lua e Arthur, e pra amenizar a situação (já que Mel estava morrendo de tanto rir) decidiram deixar o ‘casal confusão’ separado durante essa noite.



Lua estava se divertindo, dançando com Mel e Sophia enquanto Chay estava no bar conversando com Micael. E nem sinal de Arthur, até que as garotas vão ao bar, deixando Lua sozinha, então...



- DROGA! – Lua grita após alguém esbarrar em si e derramar algo líquido em seu braço.
- Desculpa! Foi sem querer – um rapaz (muito bonito por sinal) tentava limpar o braço da garota.
- Tudo bem, pode deixar que eu me limpo – ela disse mais calma (já comentei que ele é muito muito bonito?).
- Me empurraram, não foi minha intenção – o rapaz muito muito muito bonito dizia todo preocupado.
- Relaxa! Só molhou meu braço,e olha: já secou – Lua falava com um sorriso.
- Ah, à propósito: sou Peter – o muito muito muito muito bonito mesmo estende a mão sorrindo pra garota.
- Lua – ela responde ainda sorrindo: ela babou pelo sorriso dele.
- Minha namorada: Lua – um ser diz e abraça Lua por trás.
- Aguiar? – ela diz sem entender nada.
- Oi, sou Arthur, namorado dela, e você é? – ele diz com cara de poucos amigos para Peter (o muito muito muito muito...ah! vocês já sabem né?).
- O que... – Lua tenta se soltar do abraço, mas Arthur a apertou mais ainda.
- Sou Peter – o superbonito disse meio sem graça por estar azarando a ‘namorada’ de alguém.
- Hey mas ele... – quando Lua ia desmentir tudo, Arthur surpreende a todos virando a garota e a beijando. Um beijo de verdade, nada de selinhos.
Ela (como de rotina) tenta afastá-lo, mas desiste quando sente a intensidade com que Arthur a beijava. Sentia um misto de raiva e ciúme nos toques do garoto, que tinha uma mão em seu rosto e a outra a segurando firmemente pela cintura. Um beijo cheio de vontade, desejo e um certo carinho, porque mesmo sentindo as mãos de Arthur lhe segurando cada vez mais forte,Lua sentia que ele era cuidadoso e gentil (n/a: estranho né? Eu sei xD).
Mel, que viu a cena de longe, se matou pra não deixar os amigos olharem, já que Lua preferiu que ninguém soubesse do ‘caso’ que tem com Arthur.



Minutos depois...



- Aguiar – Lua acorda do transe que é o beijo de Arthur, o empurra e dá um belo tapão no peito. – VOCÊ BEBEU? SUA ANTA!
- Agora eu sou a anta alcoólatra né? – ele diz debochado. – Segundos atrás eu era seu namorado.
- NAMORADO? VOCÊ É RETARDADO? – ela grita enquanto bate em Arthur. – IDIOTA! QUEM VOCÊ PENSA QUE É PRA ME BEIJAR ASSIM?
- Assim como? Tão bem, você quer dizer? – ele continua com o ar de deboche, e nem ligava para os tapas de Lua, ele apenas se esquivava.
- QUE MERDA AGUIAR! VOCÊ ACHA QUE PODE CHEGAR ASSIM DO NADA E ME BEIJAR? E AINDA POR CIMA FALAR QUE É MEU NAMORADO PRA UM CARA LINDO COMO AQUELE?
- Dá pra parar de gritar? Por mais barulhento que esse lugar possa ser, você tá começando a chamar atenção pra gente – Arthur segura Lua pelos pulsos, a trazendo pra bem perto de si, falando em um tom baixo, que só ela escutava devido à música alta.
- Eu paro de gritar se EU quiser. O quê? Agora resolveu ser discreto? – ela disse mais baixo, se acalmando, porém incomodada por ainda ter os pulsos seguros pelas mãos de Arthur. – Dá pra me soltar ou tá difícil?
- Com você por perto é praticamente impossível ser discreto. E tá, tá muito difícil te soltar, namorada.
- Olha, eu acho que o meu joelho já se apresentou ao Mini Arthur, então se você não quer outro encontro dos dois: me solta AGORA!
- Ah depois dessa gentil proposta, eu te solto. Mas já aviso: não vai achando que pode ficar se engraçando com qualquer um por aí não, viu? Senão seu namorado aparece e estraga tudo de novo.
- Cuida da sua vida que assim você ganha mais garoto! Meu namorado? Você tem o que na cabeça? Bosta né? Só pode ser...
- Ah cara! É tão lindo te ver nervosa, mas é melhor ainda te ver perdendo um ficante por minha causa... Eu sei que você nem sequer consegue pensar em ficar com outro cara quando eu estou por perto...
- Antes eu tinha dúvidas, mas agora é certeza: quem inventou a palavra ‘egocêntrico’ se inspirou em você! EU JÁ DISSE PRA ME SOLTAR, AGUIAR!
- E eu já disse pra você parar de gritar Blanco – Arthur segurou os pulsos de Lua junto ao seu peito, fazendo com que seu nariz tocasse o da garota.
- Acha que consegue me fazer parar de gritar só de chegar tão próximo de mim? – ela toma uma atitude inesperada. – Isso era pra me seduzir? – a garota fala roçando os lábios no queixo de Arthur. – Pra me fazer desistir da nossa santa briga de todo dia? – ela percebe que Arthur havia fechado os olhos ao senti-la falar tão perto de sua boca, aproveitando esse deslize dele, ela solta seus pulsos – Depois sou eu que me derreto por um simples abraço né? – ela ri e se afasta dele. – Uma garota não pode nem falar muito perto de você, que você quase... – riso - ...você sabe.
- Pode rir – ele tenta manter a voz calma –, mas que eu estraguei sua noite com o fracassado ali, ah eu estraguei.
- Fingindo ser algo que você NUNCA será: meu namorado!
- Nunca diga nunca...
- Você não é bom o suficiente pra ser meu namorado.
- Quando você perceber o quão errada estava sobre isso, eu vou rir da sua cara...
- Dane-se!




Uma hora depois...



- Lu... Não fica brava... Mas...
- Mas o quê, Mel?
- Olha o Arthur com aquela garota...
- Eu nem vou me preocupar em olhar. E por que eu ficaria brava? Ele não é nem meu amigo.
- Mas vocês...
- Do que estão falando, hein desnaturadas? – Maira chega brincando com as amigas.
- É! Suas desnaturadas, não ficaram com as amigas nem um pouquinho – Sophia fazia biquinho.
- Ô meu Deus, tadinhas das nossas nenéns né Lu? – Mel disse apertando as bochechas de Sophia.
- É mesmo, vem cá bebê da mamãe – Lua diz rindo e fazendo Maira sentar em seu colo.
- Eba colo! – Maira pula no colo da amiga.
- Porra Maira! Eu não sou o Maker, que agüenta esse peso todo! – Lua diz fingindo dor.
- Ah sua malvada! – Maira faz bico e sai do colo da amiga, enquanto as outras duas só riam da cena.
- Hey gente! Olha só aquela piranha dando em cima do Arthur –Sophia aponta pro outro lado da pista de dança.
- Isso soou tão namorada ciumenta – Lua brinca pra disfarçar a luta que travava consigo mesma pra não olhar para a cena que as meninas comentavam.
- Ah Lu credo! Deus que me livre! To muito bem com o meu Micael - Sophia diz rindo. – Mas que o Aguiar está visivelmente bêbado, e a vagabundinha ali está se aproveitando disso, isso é fato.
Ao ouvir isso Lua vira rapidamente e então vê: Arthur encostado em uma parede, segurando um copo (que dava pra saber que era de Martini), e Sophia tinha razão, tava na cara que ele estava bêbado. E ‘acompanhando’ Arthur na cena ‘bonita’ que as garotas olhavam, estava uma garota de longos cabelos castanhos claro, mini saia jeans, blusinha bem decotada laranja e botas de couro preto. A posição exata dos dois? Como já foi dito, Arthur estava encostado na parede e a tal garota estava meio que entre as pernas dele, falando algo bem perto da boca de Arthur, e as mãos da garota? ESTAVAM NAS COXAS DELE!
- Gente ela tá se aproveitando do menino – Maira comentou com cara de indignada.
- Menino? Que menino? Ele não é nenhum bebê pra gente ter dó se a garota se aproveitar dele – Lua diz com desdém, que Mel percebe ser na verdade raiva.
- Mas ele ta bêbado Lu! – diz Sophia.
- Bebeu porque quis! E quando ele bebe nunca lembra de nada depois! Então quem se importa se ele pegar essa vadia? – Lua é imparcial.
- Que merda Lua! Chega né? Nem quando ele não tem tanta culpa você quer crucificar o garoto – Mel fica nervosa por Lua fingir que não se importa.
- Eu tô pouco me lixando pelo tamanho da culpa dele! Eu quero mais que ele se dane! – ela responde e levanta do banco onde estava sentada.
- Onde a senhorita pensa que vai? – Maira pergunta segurando Lua pelo braço.
- Ao banheiro, posso? – Lua: ironia em pessoa.
- Claro que não –Sophia diz como se fosse óbvio.
- Ô, inferno! Por que não?
- Porque alguém tem que ir lá salvar o Arthur. E esse alguém é você, Lua Blanco – Mel diz com um sorriso falso.
- Nem fodendo que eu vou lá! Que vá alguma de vocês! Por que eu iria?
- Olha a boca Lua! Tá falando muito palavrão, mocinha –Sophia tenta ficar séria ao dizer isso, mas acaba rindo, fazendo com que as meninas também rissem, menos Lua.
- Eu falo do jeito que quiser! E eu NÃO vou lá não! Nem em sonho.
- Lu, você não tá entendendo – Maira falava pausadamente (tão pausadamente que chegava a ser idiota) para a amiga acompanhar o raciocínio – só uma suposta namorada conseguiria tirar o Arthur das mãos da baranga. E tá na cara, quer dizer, no dedo, que Sophia, Mel e eu temos namorados – ela termina mostrando a aliança de compromisso na mão direita.
- E daí? É só tirar a aliança! – Lua começa a se exaltar.
- Pensa assim, se você o salvar, vai ter um favor pra cobrá-lo depois – Sophia diz com um sorriso malicioso nos lábios.
- CARAMBA! ISSO É PERFEITO – Lua se anima do nada.
- O quê? O que a Sophia disse? – diz Mel.
- Não querida, o Aguiar já está me devendo uma coisa... Já volto.
- Que louca! Já foi – as três com ‘ué faces’ (n/a: minha ex- teacher costumava falar isso quando não entendíamos nada do que ela tinha dito).



- Então gatinho, quer ir lá pra casa? Meus pais viajaram – a ‘bendita’ garota falava enquanto se esfregava em Arthur, que por sua vez só a olhava com cara de tarado misturado com tapado, dava uns goles em sua bebida e com a outra mão fazia a garota ficar mais perto. – Ou você prefere ir pra sua casa?
- É apartamento – Lua chega ao lado dos dois e fala sorridente.
- O que você disse? – a ‘santa’ pergunta com cara de ‘some daqui sua vaca’ pra Lua.
- Que ele tem apartamento e não casa – Lua ainda sorri.
- E como você sabe queridinha?
- Porque ele é meu namorado honey – ela responde com um enorme sorriso cínico, com as mãos na cintura.
- Quê? – garota oferecida diz.
- Além de esquecida ainda é surda?
- Esquecida?
- É, porque eu tenho certeza que sua mãe te ensinou que você só coloca cinto se estiver usando alguma roupa, e não só o cinto. Então você é sim esquecida – Lua fala com a sua melhor cara e voz irônica olhando pra ‘saia’ da garota.
- Mas...
- Garota? Dá pra ser ou tá difícil? Some.
- E quem disse que ELE quer que eu suma? Ele não tem cara de quem namora alguém como você – a ‘abençoada’ já tinha largado Arthur e agora estava frente a frente com Lua.
- Pergunta pra ele.
- Hey gato, ela não é sua namorada é? Se fosse não teria te deixado sozinho pela boate.
- Ela... – antes que Arthur terminasse a frase, Lua empurrou a garota e puxou o puxou pela mão.
- Vem MEU amor, eu adoro essa música. Vem dançar COMIGO – Lua falava alto e rápido, tentando tirar o ser bêbado de perto do ser puta o mais rápido possível, indo para o meio da pista de dança – Larga esse copo,você já bebeu demais – ela toma o copo da mão dele e põe na bandeja de um garçom que estava passando por perto.
- Você é maluca – Arthur diz com uma cara aparentemente melhor.
- Maluca? Eu sou um mix de heroína com vingadora, isso sim!
- (?) – aos poucos ele perdia a cara de bêbado de esquina.
- Heroína porque eu te salvei do desgosto de acordar ao lado daquele monte de material não reciclável e vingadora porque tecnicamente você se daria ‘bem’ com a garota e eu dei o troco por você ter estragado minha conversa com o muito muito bonito – ela dizia isso sorrindo pra ele, sorriso de vitória. E dançava. Dançava somente mexendo os quadris no ritmo da musica. Às vezes, parava de falar e fazia caras e bocas de acordo com a musica que tocava, fazendo Arthur ficar hipnotizado por ela. A música que tocava? (There’s gotta be) More To Life versão mixada da Stacie Orrico.
- Você não estragou nada. Eu não queria nada com ela. Eu SABIA que você ficaria com ciúmes – magicamente ele não estava mais bêbado, pelo menos não aparentava mais. Chegava perto de Lua, a olhando dançar, mordendo o lábio ao vê-la fechar os olhos e levantar um braço quando a musica estava no refrão.
- Não tava a fim dela? Se você não estivesse tão bêbado, vocês teriam feito algo nada agradável de se ver, bem no meio da boate – ela ainda sorri, por incrível que pareça. – E sim. Eu estraguei. Porque pra um derrotado como você, qualquer transinha é alguma coisa. Porque se você fosse bom o suficiente, teria uma namorada – no intuito de provocar o garoto, ela se aproxima mais e começa a dançar com ele, o obrigando a se movimentar no ritmo da música e do corpo de dela.
- Você? – a única coisa que ele consegue dizer: tinha ficado extasiado com a proximidade e dança de Lua, e coloca as mãos na cintura da garota.
- Eu o quê? Sua namorada? – ela ri e então posiciona os dois braços em torno do pescoço dele e diz em seu ouvido. – Já esqueceu, é? Só essa noite fingimos ser um casal por duas vezes, então tá bom demais. Não quero passar por isso nunca mais.
- Eu sou tão ruim assim? – ele segura o rosto dela com uma mão, olhando-a nos olhos – Pra você me expelir tanto?
- Você não é ruim – ela diz desviando o olhar: vergonha! Porque de bêbado que seria atacado ele não tinha mais nada. – Só não é o certo pra mim.
- Por quê? – epa! Isso foi uma pontinha de tristeza que Lua viu nos olhos dele? – Como você pode saber isso?
- Erm... A porta do seu quarto! É azul! – ela diz a primeira coisa que lhe veio na cabeça.
- Isso é errado? Eu gostar de azul? E minha porta ser dessa cor? – ela diz passando o nariz na bochecha de Lua.
- Claro que é! O cara certo pra mim teria a porta verde – ela diz de olhos fechados, apenas sentindo o toque de Arthur, eles ainda ‘dançavam’.
- Mas... – ela o interrompe.
- “Well it's life, but I'm sure... there's gotta be more... more to, more to, more to life...” (bem é a vida, mas eu estou certa de que há mais, há mais, há mais na vida) – Lua canta sussurrando o fim da música no ouvido de Arthur.
Ele somente faz com que Lua o olhe nos olhos, e então dá um selhinho bem demorado na garota, ao se afastar diz em seu ouvido:
- Um dia o cara da porta verde vai te achar, garota da porta vermelha...



Continua...

4 comentários:

  1. ahhhhh...capitulo muito perfeito....vai postar mais um hoje???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou, já que não postei ontem!

      Excluir
    2. ÊÊÊÊ!!!

      Excluir
  2. essa web é linda!!!=0

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo