5 de jul de 2013

6° Cap. "A garota da porta vermelha"


 Como o tempo passa rápido”



Dedicado a Rayssa Aguiar

Não vai fazer nada, né Arthur?- Então vai ficar assim: Maira e Sophia, Lua e eu, Julia e Billy, tudo bem? – Mel fazia as divisões dos quartos no hotel, os McGuys já tinham reservas (eles dividem os quartos, Chay com Arthur e Micael com Maker), mas o resto do grupo não, e o hotel só pôde oferecer três quartos.

- Não! Minha irmã não vai dormir com esse moleque – Arthur disse fazendo cara feia para Billy.
- Arthur ele é meu namorado! – Julia ficou indignada com a reação do irmão.
- E daí? Você não vai e pronto – Arthur dizia decididamente.
- Lu... me ajuda – Julia fazia cara de piedade para a amiga.
- Vamos fazer assim: como eu sei que vocês estão doidos para ficarem com seus namorados e namoradas, e só o Aguiar e eu estamos sobrando na história – Lua dizia calmamente e recebia acenos de cabeça em concordância –, a Maira vai para o quarto do Maker, o Micael se muda para o quarto da Sophia, a Julia e o Billy ficam onde a Mel tinha falado, o Chay vai pro quarto da Mel e o Aguiar fica no quarto dele mesmo. Todos de acordo? Aguiar?
- Perfeito! – Julia disse animada.
- Cara, a Lu é um gênio – Chay disse abraçando Mel.
- Eu concordo... Mas e você? Vai dormir onde? – Arthur disse olhando para Lua.
- Nem que eu precise bater na recepcionista eu vou conseguir um quarto.
- Mas ela já disse que esses eram os únicos disponíveis. O hotel tá lotado Lu –Sophia disse com cara de preocupada.
- Eu dou um jeito – Lua disse simplesmente.
- Por que você não fica com o Arthur? – Maker sugeriu.
- Quê? – Lua disse alto demais, pois se assustou com a pergunta, mas logo percebeu que Maker se referia ao quarto. – Ah não, não precisa, eu me viro.
- Deixa de ser teimosa, vai logo Lua – Billy disse em um tom autoritário.
- Hey! Olha como fala com ela moleque – Arthur disse um pouco alterado, e recebeu olhares confusos dos amigos, então ‘consertou’ – só quem pode brigar com ela sou eu, sacou?
- Ah parem vocês dois – Maira disse irritada. – Nós estamos cansados e aposto que os meninos estão mais ainda. Então Lu, se o teu medo é que o Aguiar te mate enquanto você dorme, ele prome
- Prometo. Mas anda logo que eu tô com sono – Arthur disse esfregando os olhos.
- Okay então – Lua concordou, estava realmente cansada.
- Boa noite – todos disseram e foram para seus quartos.

- Só faltava ser uma cama de casal né? – Lua disse sorrindo – Seria engraçado te ver dormir no sofá.
- Hahaha, engraçadinha. Você dormiria no sofá – Arthur disse antes de entrar no banheiro.
- Ah cara que tudo! Tá passando episódio antigo de Gilmore Girls – a garota disse para si mesma quando ligou a tv.

Richard: ‘Ligação de longa distância’
Lorelai: ‘Com Deus?’
Richard: ‘Não, Londres’
Lorelai: ‘Deus mora em Londres?’
Richard: ‘Minha mãe mora em Londres.’
Lorelai: ‘Sua mãe é Deus?’
Richard: ‘Lorelai’
Lorelai: ‘Então Deus é mulher!’
Richard: ‘Lorelai’
Lorelai: ‘E da família. Mas que legal! Eu vou pedir um monte de favores.’
Richard: ‘Faça-a parar’
Rory: ‘Ah se eu pudesse...’
Lorelai: ‘Eu ainda não acredito que Deus é meu parente. Vou conseguir todas as entradas para os shows da Madonna...’


- Respira garota! – Arthur disse ao sair do banheiro e ver Lua chorando de rir. – Vai morrer engasgada.
- Cara a Lorelai é a melhor – Lua dizia em meio a gargalhadas –, é impossível não rir ao assistir esse episódio.
- Só você pra rir desse jeito vendo Gilmore Girls.
- Ah então quer dizer que você sabe que é Gilmore Girls?
- Claro né? Eu assisto de vez em quando.
- Por essa eu não esperava.
- É verdade, eu gosto de Lost também...
- Eu adoro Lost. Amooooo Dawson’s Creek.
- Ah me irritava um pouco. O Dawson era muito gayzinho, a Katie Homes (n/a: se for o Tom dá certinho) toda linda lá e ele nem aí.
- Nisso eu concordo. Mas o meu preferido é o Pacey.
- Nem falo nada.
- Haha, bom mesmo – Lua disse e levantou-se indo para o banheiro. – Pode mudar de canal se quiser, eu tô indo tomar banho.
- Ah ok, mas eu vou assistir Gilmore Girls mesmo.

Quando Lua saiu do banheiro, Arthur não conseguiu disfarçar o olhar ‘pervertido’ para ela: a garota estava com um shortinho listrado de rosa e branco, uma baby look rosa pink que tinha escrito ‘All You Have To Do Is Hold Me’ e meias também rosas.
- Pára de me olhar assim, Aguiar! – Lua disse totalmente corada.
- Erm... Desculpa – ele também ficara sem graça com a situação.
- OMG! EU AMO ESSE FILME! – Lua gritou e depois se jogou em sua cama.
- Que filme é esse?
- Diário de Uma Paixão. É totalmente lindo, olha que eu não gosto de romances super melosos, mas esse filme perfeito.
- E eu vou ter que assistir isso?
- Ah Aguiar, por favor...
- O que eu ganho com isso?
- Vai me fazer ficar muito feliz!
- E se eu não concordar...?
- Eu vou te ignorar pra sempre.
- Do mesmo jeito que você fez depois que a gente se beijou?
- ... – por essa Lua não esperava.
- Foi mal. Pode ver o filme. Eu vou dormir – ele disse magoado e virou de costas para a cama da garota.

Allie: ‘Diz que eu sou um pássaro’.
Noah: ‘Não’.
Allie: ‘Diz...’
Noah: ‘Você é um pássaro.’
Allie: ‘Agora diz que você é um pássaro’.
Noah: ‘Se você é um pássaro, eu também sou’.


Lua babava pelo filme, mas olhava para Arthur (ou pelo menos para as costas dele) de dois em dois minutos.
- Aguiar? – ela chamou baixinho – Aguiar – ela aumentou o tom de voz.
A garota foi nas pontinhas dos pés até a cama do garoto. Parou bem perto e o chamou novamente, mas ele não respondeu.
- Aguiar? – ela disse bem perto do ouvido dele, e então ele virou-se rapidamente e disse:
- Eu já te ouvi.
- Aaaah! – Lua levou o maior susto. – Você adora me dar sustos hein Arthur?
- E você se entrega...
- Quê?
- Você se entrega, acabou de confirmar que quando está distraída me chama de Arthur, ou seja, você se obriga a me chamar de Aguiar o tempo todo.
- Não é isso... É que...
- Deixa pra lá. O que de tão importante você quer pra ter me acordado? – ele disse secamente, ainda deitado. Lua estava de pé ao lado da cama dele.
- Não era nada de importante – ela disse com a cabeça baixa. – Foi mal ter te acordado, boa noite – e foi se afastando dele.
- Espera – ele sentou-se rapidamente e puxou Lua pela mão, fazendo-a sentar na cama. – É o habito de ser mal educado com você, é difícil mudar...
- Entendo – ela disse sem olhá-lo nos olhos.
- Eu sei que você tá mal por alguma coisa, eu não deveria te dar mais motivos.
- Você não tem que lamentar por nada. A errada aqui sou eu – ela olhou com carinha de triste pra ele.
- Não. Eu estou te obrigando a falar de algo que você não quer.
- Não, você está me ajudando. Eu só acho que eu não tô preparada pra contar pra alguém sabe?
- Agora a gente vai brigar pra ver de quem é a culpa?
- É o que parece – ela disse com um fraco sorriso –, mas a errada sou eu mesmo.
- Mas...
- Me deixa falar?
- Tudo bem.
- Eu sou errada, porque você foi a primeira pessoa a perceber algo de errado, e na primeira vez que nos entendemos eu estraguei tudo! – ela dizia tristemente olhando no fundo dos olhos de seu ex-ídolo. – Estraguei! Eu não deveria ter te beijado. Foi um erro!
- Se foi um erro, eu também sou culpado. Porque eu me aproveitei de um momento de fraqueza teu.
- Você só tá falando isso pra eu não me sentir ainda pior.
- Não é verdade, eu te beijei primeiro.
- PORQUE VOCÊ ACHOU QUE ISSO IA ME FAZER SENTIR MELHOR! – ela começou a falar alto – POR ISSO! POR PENA!
- Não foi por isso!
- CLARO QUE FOI! – ela estava com lágrimas nos olhos. – Você já disse isso uma vez, que eu me derretia por um simples abraço teu, lembra? Então você fez uma boa ação me beijando.
- Você é maluca...
- NÃO EU NÃO SOU! PARABÉNS AGUIAR! CONSEGUIU O QUE QUERIA! FEZ UMA CRIANÇA FELIZ POR ALGUNS MINUTOS! – ela gritou sem se importar com as pessoas do outros quartos, ainda era cedo para estarem dormindo. E se tratando de casais, dormir era a última coisa que pensariam em fazer. – Eu não estou te culpando de nada. Você foi muito legal por tentar me ‘alegrar’, eu agradeço por isso.
- Lua pára com isso. Eu não sou o monstro que você acha que eu sou. Se você se arrependeu do beijo era só me dizer e pronto, não precisa me ignorar. A galera notou que nós não brigamos hoje, sabia?
- Eu não te ignorei por isso! Eu só queria te livrar do ‘fardo’.
- Que fardo garota?
- De ter que ficar comigo por obrigação. Porque só você me viu mal – ela disse enquanto lutava contra as lágrimas. – Ai que ódio! Sabia que eu nunca chorei na frente de ninguém a não ser dos meus pais e da minha irmã? E agora virou moda chorar na tua frente! Que raivaaaa! – lágrimas começaram a saltar dos olhos da garota.
- Eu não te beijei por piedade! E se algum dia nós ficarmos juntos, será pela vontade dos DOIS! Entendeu? – Ele disse segurando a mão da garota. – Talvez você só chore na minha frente, porque você só é verdadeira quando tá comigo.
- O que você que dizer com isso? – ela disse parando de chorar com tanta intensidade.
- Com o quê? Sobre ficarmos juntos ou de você ser verdadeira?
- Os dois. Você acha que algum dia vamos ficar juntos? E por que eu seria ‘falsa’ com os outros?
- Eu não disse que ficaríamos, eu disse que SE ficarmos... E eu não disse que você é falsa com os outros, eu só acho que comigo você é mais verdadeira.
- E por que eu seria ‘mais verdadeira’ com você? – ela perguntou irônica, as lágrimas tinham acabado, mas seu rosto ainda estava todo molhado.
- Talvez seja por causa da sua paixão adolescente por mim? – o garoto se irritou com a ironia de Lua.
- Tava demorando pra você se mostrar de verdade né?
- Você realmente deve estar com algum problema sério!
- EU TENHO PROBLEMAS! Mas nem por isso eu falo esse tipo de coisa que você acabou de me dizer! – mesmo com a briga, Lua não levantou da cama, ela estava sentava bem perto de Arthur.
- Você acha que o que você disse não é ‘grave’?
- O que eu disse que possa tê-lo feito querer revidar com uma coisa tão ridícula como essa?
- Não se faz de besta, Blanco.
- Você adora isso né? Se fazer de vítima, quando pergunto o que foi você fala que eu estou me fazendo de boba!
- Eu me faço de vítima? GAROTA ACORDA! Eu fiquei com você quando você precisou e agora do nada você começa falar essas maluquices, será que não dava pra ficar como estava? A gente poderia aproveitar o resto do fim de semana juntos! Sem ter que sobrar no meio desse monte de casais! Mas não, você tinha que surtar e estragar tudo! Mesmo que nós não ficássemos literalmente, nós poderíamos ter feito companhia um ao outro! – Arthur desabafou, surpreendendo Lua.
- Ah nós ficaríamos e depois voltaríamos nos odiar? Como se NADA tivesse acontecido? Era isso que você queria?
- E você ainda leva à sério essa história de ódio? Nós NÃO nos odiamos. Isso é tudo palhaçada!
- Só se for pra você!
- Você me odeia?
- Odeio!
- Fala olhando nos meus olhos – Arthur disse calmamente.
- Depois eu que sou a criança né? Que coisa mais infantil! – Lua disse nervosamente, sem olhá-lo nos olhos.
- Lua Blanco, se você realmente me odeia, fala olhando nos meus olhos, eu PRECISO saber – ele segurou Lua pelos ombros.
- Arthur Aguiar eu odeio você – ela disse olhando para o rosto dele, mas não nos olhos.
- Deixa de ser medrosa! Se você me odeia como você acha que odeia fala logo! - garoto a trouxe pra mais perto, vendo-a fechar os olhos por causa da proximidade.
- Por que você tá fazendo isso? Qual o interesse em saber se eu o odeio ou não?
- Porque se eu acreditar que existe esse ódio, eu prometo não me aproximar de você nunca mais. Eu te deixo em paz, pra sempre. Eu prometo – ele disse sério procurando os olhos de Lua, que estava olhando para baixo.
- Chega de palhaçada! Me solta – ela disse tentando se desvencilhar do garoto, estava desesperada pela situação e sentia que poderia voltar a chorar a qualquer momento. – Você tá me machucando.
- É só falar ‘Arthur eu te odeio’ e eu te solto, eu te abandono, pra sempre – ele disse de um jeito fofo, afrouxando os pulsos dela, vendo as lágrimas nos olhos da garota que não tem saído de seus pensamentos nos últimos cinco meses.
- Arthur... Eu te... Eu od... - ela gaguejava e uma lágrima teimosa caiu em sua face. – Pára! Me deixa ir pra minha cama... Por favor... – agora ela chorava.
- Você não quer falar, é isso? – ele disse de um jeito terno, seu rosto estava bem perto do de Lua.
- Não... - ela disse com os olhos fechados. – Eu não quero falar porque eu não te odeio. Mas eu preciso odiar você!
- Por que você precisa me odiar?
- PRA NÃO TER QUE PENSAR NA PORCARIA DAQUELE BEIJO! – ela gritou e começou a chorar mais desesperadamente, então Arthur a abraçou bem forte. – Eu preciso esquecer. Me faz esquecer aquele beijo? Por favor... – ela sussurrava no ouvido dele.
Arthur simplesmente fez com que ela o olhasse nos olhos e aproximou os rostos, e antes que Lua se esquivasse, ele encostou seus lábios nos dela. Ela tentou sair dos braços dele, mas Arthur a forçou a aceitar o abraço, e aos poucos ela parou de fazer força para sair de perto do garoto. Então ele fez o contorno dos lábios dela com a língua, ela tentava resistir a ele, mas por fim abriu a boca e deixou que a língua de Arthur procurasse a sua. Ficaram nesse beijo ‘inocente’ por alguns minutos, então o garoto fez com que Lua sentasse em seu colo, o clima foi ficando intenso, beijavam-se como um casal apaixonado, Arthur passava a mão pelas costas dela por dentro da blusa, enquanto a garota bagunçava os cabelos dele. Quando ele começou a levantar a baby look de Lua ela parou de beijá-lo:
- Arthur, Arthur – ela dava selinhos nele. – É melhor não passarmos dessa fase.
- Desculpa – ele disse tomando fôlego. – Rápido demais né?
- Eu acho. É que...
- Fica quieta – ele disse, mas logo acrescentou ao ver a cara de indignada de Lua. – Não estraga tudo. Vamos ficar assim, tá tão bom. Vai me dizer que não gostou?
- É né? – ela disse sem graça.
- Ah ficou vermelha! – ele riu e deitou na cama, e conseqüentemente levando Lua consigo. – Vem cá – aconchegou a garota em seus braços e depois colocou o edredom sobre os dois.
- Que belo jeito de me fazer esquecer o beijo no corredor hein? – ela disse sorrindo.
- Você disse que era pra eu te fazer esquecer aquele beijo, pronto! Esqueceu aquele com esse! – Arthur respondeu todo sorridente, fazendo Lua quase babar.
- Você é fofo assim o tempo todo? Como eu nunca percebi? – ela disse em um tom brincalhão.
- Porque você nunca deu uma chance de sermos amigos. Ou algo mais.
- Tarado! Hahaha, mas foi você quem me ‘afastou’ falando que eu me derretia por você.
- Ah não vamos falar nisso! Passado deve ficar no passado!
- Nossa! É quase um filósofo!
- Chata! Linda, porém chata – ele fez com que ficassem num abraço bem apertado, mas podiam olhar um nos olhos do outro.
- Uau! Eu sou linda?
- Se começar a se achar, fica feia.
- Tô quietinha.
- Haha, e viu só? Pra você eu só sou fofo, e pra mim você é linda. Eu tô perdendo nessa história – ele fez bico.
- Pois pra mim você tá ganhando, uma pessoa linda pode ter só a beleza e não ter conteúdo, já uma pessoa fofa pode ser os dois.
- Então você é a minha fofa de hoje em diante.
- Ah não me chama de fofa, que eu lembro de uma fic que eu li. E eu chorei muito (n/a: certeza de que TODO MUNDO já leu San né? ‘fofa’ me lembra muito³ aquela fic *chora* eu quero att) – ela disse fazendo bico.
- O que seria uma ‘fic’?
- Ah depois eu explico. Tô com preguiça – mentiu, até parece que ela iria explicar o que é uma fic, até que chegaria ao assunto ‘qual o teu McGuy’, e Lua não iria admitir que nas fics que lia sempre formava ‘casal’ com Arthur.
- Tá com preguiça de me beijar também?
- Quem sabe... – ela disse fazendo charme.
- Ah é assim? – ele se fez de ofendido, e ‘ameaçou’ sair da cama.
- Tô brincando! – ela riu e o abraçou, impedindo-o (leia: tentou impedi-lo) de se afastar.
- Aha! Ficou com medo de me perder né?
- Você disse que ficaria o tempo que eu quisesse, lembra? – ela ruborizou ao dizer isso.
- É, continua sendo verdade. Por quanto tempo você quer que eu fique?
- Esse fim de semana tá bom... - ela disse e logo depois deu um selinho no garoto - ...por enquanto.
- Aproveitadora! – ele riu e em seguida a beijou.
Ficaram falando besteiras e se beijando. Mais beijando do que falando pra ser sincera, por quase duas horas, então adormeceram abraçados...

Continua...


Gente, hoje de noite vou postar outro, pois não postei ontem, mas só se tiver 8 comentários ok?

8 comentários:

  1. Islânia camily05/07/2013 16:26

    nossa Lorelai ta muito crente que Deus é á mãe de Richard ela é muito daquelas pessoas que acreditam em tudo...
    ^_^...

    ResponderExcluir
  2. ahhh...sério que vc vai postar mais hoje???OMG...posta por favor!!!a web tá muito fofa!!!

    ResponderExcluir
  3. posta mais!!!plis...

    ResponderExcluir
  4. ahhhhh posta mais 1,2,3,4,5,6,7,8,9.......................

    ResponderExcluir
  5. posta mais.....tá d+ essa web!

    ResponderExcluir
  6. Posta mais hoje! Por favor? A web está perfeita!! :)))

    ResponderExcluir
  7. Obriiiigada por deidicar , esse capitulo LINDOOO pra mim , esto sempre acompanhando as sua Weeebs e essa ta linda de maisss ,Bjs sua Fooofa , Suua Linda :D

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo