27 de jul de 2013

35ª Capítulo: "Tudo por uma promessa"

POV NARRADOR
A noite parecia nunca mais passar. Se em Nassau as horas passaram que nem segundos, agora era totalmente o contrário.


Arthur tinha ficado a dormir no quarto de hóspedes, apos a discussão do casal, de ontem, e a cada vez que olhava o relógio, parecia que um minuto correspondia a uma hora. Só lhe apetecia sair daquele quarto e fazer de tudo para abrir a porta do quarto a que ele deveria estar a dormir junto com a sua princesa, mas ele não queria que ela se irrita-se mais pois tem medo que aconteça alguma coisa com o seu filho, ou filha claro.
Depois a noite passar, devagar, devagarinho e mal o sol bateu na janela, daquele quarto vazio, ele levantou-se e foi tentar abrir a porta do seu quarto. Mas isso nem foi preciso, pois a porta encontrava-se aberta e o quarto vazio.

Arthur: Lua? – chamou, e estranhou a menina não estar a dormir ainda

Desceu as escadas, onde foi bater à sala, e reparou que estava também estava vazia. Quando foi à cozinha, viu, em cima do balcão, sentada, a sua princesa devorando uma taça inteira de sorvete de maracujá. Ele não teve como não rir…

Arthur ri: amor?
Lua: ohwww, bom dia – se levantou do balcão e foi abraçar ele, mas do nada, ela parou o abraço e o empurrou – Ahh, esqueci, estou brava com voce, não posso te abraçar! – ela foi de novo sentar no balcão, virando as costas ao Arthur
Arthur: jura? – ele deu uma gargalhada tao gostosa, que Lua não teve como não rir também – sentiu a minha falta?
Lua: nem um pouco – mentiu, ainda agarrada à taça
Arthur: serio? – ele fez bico – pois eu senti muito a sua – ele ficou por detrás dela, a provocando, passando o seu dedo indicador pelo seu braço, a fazendo arrepiar – Não sentiu falta do meu toque?
Lua: n… não! – ela riu – nem um pouco. Dormi muito bem!
Arthur ri: pára de mentir – segurou ela pela cintura e a virou, ficando ela de frente para ele, mas ainda em cima do balcão – eu fui um idiota ontem e nunca na vida voce vai ficar gorda, pelo contrario – deu um cheiro no pescoço dela – voce vai ficar é gostosa – beijou o pescoço dela
Lua ri: eu estava bem brava com voce ontem – afastou um pouco ele – tava até cansada de chorar
Arthur: voce chorou? – ele fez cara de arrependido
Lua: logico! Ou voce acha que eu gosto de discutir com a pessoa que eu amo?
Arthur: também não gosto de discutir com voce – passou a mao sobre os cabelos loiros dela – desculpa – abraçou ela forte – não vamos nunca mais discutir! Mas a culpa também foi sua
Lua: não foi minha – fez bico – foi desse serzinho aqui – apontou para a barriga dela – que me deixad desse jeito
Arthur ri: nossa bebé – pos as suas mãos, juntos das mãos dela – agente nunca falou muito do nosso filho. Acho que é porque ainda não caiu a ficha de que vou ser pai.
Lua: voce não queria, né?
Arthur: não vamos falar disso de novo. Amor, se é importante para voce, é importante também para mim.
Lua: eu juro que se agente tivesse uma relação, sem ter sido pela razão que foi, eu nunca queria engravidar assim tao cedo, mas a culpa não foi só minha
Arthur: eu sei… mas eu apenas dei um empurrão para o nosso plano ir em frente
Lua: e fez bem! – sorriu e depois pegou de novo a taça de sorvete – quer? – ofereceu
Arthur: não – sorriu – ainda nem tomei o café da manha. E voce, já tomou?
Lua: é isso aqui – mostrou a taça
Arthur: voce comeu tudo isto sozinha? – disse, pegando o pote em que normalmente vêm os sorvetes
Lua: eu e o meu bebé aqui – pos a mao na barriga dela e riu de novo

Bem longe dali, num apartamento, um outro casal, não tao sensual como Lua e Arthur, estava na cama, de mãos entrelaçadas, planeando quem sabe um novo plano.

Thiago: os meus seguranças falaram que eles chegaram ontem de viajem, por tanto, vamos dar iniciação de novo ao nosso plano.
Matilde: porque voce insiste nisso? Quando vai desistir?
Thiago: quando tiver aquele dinheiro nas minhas mãos. O meu pai, também era filho daquela velha e não é so por ele ter morrido cedo e eu ter ficado a morar com aquela velha, que não vou ter dinheiro àquele dinheiro! Aquele dinheiro tem de ser meu também
Matilde: como assim o seu pai morreu?
Thiago: o meu pai morreu quando eu tinha 5 anos e depois eu fui morar com a avó Maria. Dai ela cuidou de mim, mas aos 16 anos eu comecei a trabalhar e comprei esse apê, deixando a casa dela aos 17 anos. Nessa altura, ela foi viver com a Lua e a mae dela. Eu e a Lua crescemos juntos praticamente.
Matilde: e porque voce odeia tanto ela?
Thiago: porque ela se faz de sonsa e eu detesto isso. todo o mundo achava ela bonitinha, fofinha tudo inha e eu era sempre só o “Thiaguinho”
Matilde ri: thiaguinho é?
Thiago: não tem piada! Mas olha, eu já sei o que vai acontecer!
Matilde: e o que vai ser?
Thiago: não pode ser agora, mas em breve será. Tenho de tratar de tudo

Será que esses dois não cansam nunca?

(…)

Depois da hora de almoço, Lua marcou uma consulta para hoje mesmo, no medico para ver como ela estava. Era uma consulta de rotina. Arthur disse que ia com ela.

Por volta das 4horas da tarde, lá estavam eles os dois, esperando o medico chamar.

Arthur: pelas minhas contas, voce deve estar gravida de quase um mês
Lua: humm, não. acho que é menos, tipo três semanas
Arthur: tá, é mais ou menos a mesma coisa
Lua: será que já tenho de tomar cuidados com a gravidez?
Arthur: não sei, mas eu acho meio cedo.
Lua: será que tem remédios para controlar os meus hormônios?
Arthur ri: deveria ter. eu comprava muitas embalagens para voce não brigar mais comigo
Lua ri: eu nem brigo muito com voce
Arthur ri: não, que ideia – falou irónico – voce fala o tempo todo mal comigo e depois vem doce para o meu colo
Lua ri: isso é porque eu me sinto sozinha, ai preciso de voce
Arthur ri: minha tolinha – ele deu um selinho nela

Pouco depois, uma mulher que aparentava ter os seus 40 anos, de bata branca, veio chamar a Lua, que sentiu seu coração bater mais rápido quando ouviu o seu nome. Quando ela levantou, Arthur levantou também, mandando uma olhar de conforta para ela e pegando a sua mao, para lhe dar coragem e enfrentar a realidade, assim, juntos.

Entraram no consultório e sentaram-se em frente ao homem de óculos, também de bata branca, que seria o doutor.

Doutor: boa tarde jovem casal – sorriu – voce tem quantos anos mesmo dona Lua?
Lua: 19 anos
Doutor: hum… e deixem-me adivinhar. Voce está gravida
Lua ri: sim, estou. Mas como voce sabe?
Doutor: é simples. Eu sou muito observador. Voce veio de mãos dadas com esse garoto, que parece ser o seu marido, pela aliança nas vossas mãos, e que provavelmente é o pai desse bebe ai, certo?
Arthur ri: completamente certo
Doutor ri: bem, vamos lá fazer umas analises para ver como isso está. Pelo tamanho da barriga, não tem muito mais que um mês
Lua: é, não tem mesmo
Doutor: venha comigo dona Lua. Voce – apontou para o Arthur – por enquanto pode ficar ai, porque lá dentro voce não pode entrar.
Arthur: tudo bem, eu espero

Lua e Arthur se despediram por uns breves minutos apenas com um olhar e um sorriso de força e confiança.
23 minutos exatos se passaram, quando finalmente o doutor chegou com a Lua e com os resultados.

Arthur: e então? – disse se levantando da cadeira, pegando as mãos de Lua
Doutor: calma papai, está tudo bem – riu – bom, a Lua está de boa saúde, tem todas as suas defesas em alta mas precisa de ter alguns cuidados. Bom, o vosso filho tem agora apenas 1 mês mais ou menos. Ele é ainda um ovo, de mais ou menos meio milímetro. Quanto à Lua, voce precisa de caminhar para combater as estrias. Parece cedo, mas quanto mais depressa, melhor. Cuidado com a alimentação, digo de novo, e também cuidado com a pele. Voce tem enjoos?
Lua: é muito raro
Doutor: pois se prepare, que o pior está para vir. Desejos?
Lua ri: sorvetes
Doutor ri: é importante que saboreie todos os seus desejos.
Lua ri: viu? – falou para o Arthur
Arthur ri: sim
Doutor: quando a voce, o papai, muita paciência.
Arthur ri: isso eu preciso mesmo
Doutor ri: daqui a um mês, estamos de volta aqui. Sou eu quem vou acompanhar a tua gravidez Lua.
Lua ri: ok, obrigada.
Doutor: de nada. Juízo meninos
Arthur ri: obrigado doutor.

Lua e Arthur saíram do consultório animados com a nova vida que a partir de agora vão procriar. Entraram no carro de Arthur e pararam numa pizzaria próxima de lá.

Lua: voce sabe que eu tenho de comer tudo o que eu quero
Arthur: sim amor, eu sei. Mas é que acabamos de almoçar faz 2horas e eu ainda não tenho fome para comer uma pizza
Lua: eu como uê
Arthur: tudo sozinha?
Lua: com a sua ajudinha
Arthur ri: boba

E abraçados, o casal entrou na pizzaria e encomendou uma das mais famosas pizzas para levar para casa.

4 comentários:

  1. Tá ótimaaaa Fanny ....Posta mais by:BEATRIZ

    ResponderExcluir
  2. Islania camily28/07/2013 19:52

    amei posta mais por favor!!

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo