28 de jun de 2013

Uma lição de Amor - Capítulo 13.


                                                                     "I' ll never leave you"

 
-Bom dia pequena. Me deparei com aquele par de olhos castanhos me encarando e sorri consigo mesma. Ai meu Deus minha cabeça vai explodir. Não ela vai sair fora do lugar. Oque ta va acontecendo comigo afinal? Quando eu vi que ele tava comigo parecia que ele tinha me anestesiado com aquele olhar. Ai senhor por que ele meche tanto comigo? Por que, porque, porque. 
- Bom Dia! - Sorri e ele me deu um selinho rápido e terminou de calçar o tênis. 
- Vou tomar banho... Minha cabeça tá doendo. - Choraminguei saindo da cama e ele me abraçou por trás me fazendo sorrir consigo mesma. - Quer ajuda? - Aquelas palavras saíram quase num sussurro até minhas bochechas corarem. - -Pervertido. - Foi a única coisa que eu consegui dizer antes de rir. Ele roubou um selinho meu e saiu do quarto me fazendo sorrir consigo mesma. Peguei uma bermuda jeans clara com detalhes rasgados e uma baby look branca e um pá de chinelos. Abri o chuveiro deixando que a água gelada batesse no meu corpo fazendo minha pele arrepiar. Depois de alguns minutos deixei o box vestindo minha roupa que estava cheirosa e limpinha e desci as escadas correndo dando de cara com Sophia esparramada no sofá vendo Big Bang a teoria. Droga! Como eu amava aquele seriado mais eu me livraria de qualquer coisas pra não responder as perguntas da Sophia. Passei de fininho torcendo pra que ela não me percebesse. - Lu? - Ouvi a voz dela me chamar. - Droga! Era tarde de mais. - Oi? - Perguntei indo até ela. 
- Você tá melhor? - A voz dela soou preocupada.
- To sim... Sorri balançando a cabeça.
- Vem cá...Oque foi que aconteceu ontem? Você o Arthur? Garota você tá pegando o Arthur? - Sophia falou alto surpresa me fazendo ficar vermelha.
 - Shhh cala boca! - Você não viu ontem no aeroporto? - Fiz birra franzindo o cenho. - Até perceber que Ane e Will estavam vindo da cozinha junto com Arthur. Ele me abraçou por trás me fazendo sorrir consigo mesma. Aquele clima de paz era tão bom... Estamos todos juntos agora e ninguém poderia mudar aquilo...
- Vocês estão juntos mesmo? - Will sorriu abraçando Ane. 
Estamos! - Arthur sorriu pra mim me dando um beijo na bochecha fazendo-me sorrir consigo mesma.


Flasback On 1 Anos atrás.

Vamos! Vou te levar até em casa pra buscar o resto das suas malas.! - Sophia me puxou pelo corredor da escola e eu ri. - Entrei no carro de Sophia e fomos cantarolando até chegar em casa a música do Taio Cruz - Dinamite cantava baixo na rádio fazendo nós duas cantarolarmos juntas.

I throw my hands up in the air sometimes
(Eu jogo as minhas mãos pro ar às vezes)
Saying AYO
(Dizendo AYO)
Gotta let go
(Tenho que deixar pra lá)
I wanna celebrate and live my life
(Eu quero comemorar e viver a minha vida)
Saying AYO
(Dizendo AYO)
Baby, let's go
(Baby, vamos)

Sophia cantarolava baixinho me fazendo rir. Chegamos até a minha casa fazendo-me extremense meus dedos pareciam que iam sair pra fora e o meu coração parecia que iria sair pela boca.
Você tem certeza que está pronta pra entrar ai novamente? - Sophia perguntou olhando pra mim e eu engoli o seco concordando com a cabeça. - Cada parede cada comodo havia uma história. - Segui até o meu quarto com Sophia na minha cola pegando o resto das minhas malas. - Eu e Sophia iriamos dividir um loft juntas. Ela estava saindo da casa dos seus país em seus  recém 17 anos completados assim como eu.Mais eu tinha que ser obrigada a deixar aquela casa. Desde que meus país foram assassinados ali naquele mesmo comodo na sala da Jantar a um mês atrás naquela noite chuvosa de domingo... Eu ainda podia sentir os gritos e os tiros contra eles. E de repente eu senti uma pontada no coração como se o tiro fosse em mim,eu não conseguia mais morar sozinha alí. Eu já era maior podia tomar minhas próprias decisões. Não sábia quando Will chegaria do Brasil. Ele tinha amigos por lá. Ficará por lá desde que eu e os meus pais nos mudamos para Londres. Ele não queria sair de lá ele tinha uma vida por lá. Mais agora ele estava vindo. Ele sábia que não poderia me deixar sozinha não agora. E se ele estivesse atrás de mim? E se aquele homem que abusará de mim estivesse me perseguindo? O Meu medo era mais grande que tudo fazendo-me mudar de país junto com os meus país... Eu não sábia extremamente quem tinha assassinado eles. Mais quem que fosse eu não ira deixar barato. Meu sangue tinha desejo de vingança como ninguém poderia ter e eu sou capaz de tudo pra ve-los pagas caro por casa gota de choro que eu derramei.
- Lu? Sophia estalou os dedos na minha frente me fazendo desperta do transe.
- Oi! - Sorri de lado. - Vamos? Não quero ficar aqui... -Sorri triste e Sophia pegou a minha mala de rodinha e eu peguei a outra. Antes que saíamos colocamos uma placa de venda na casa. Estava saindo daquela casa para nunca mais voltar. Eu estava mudando de vida. Aquelas lembranças nunca mais iriam me perturbar pelo menos era oque eu achava.
Entramos no loft e sorrimos consigo mesma. Era como nós sempre sonhamos. As paredes da salas brancas com um sofá enorme e um Reck com a TV um som e alguns enfeites. Havia uma mesinha de centro onde havia enfeites de cristal. A cozinha era separada por um balcão onde havia cadeiras em volta. Aquela casa era simplesmente perfeita. 
-Bem vinda ao nosso novo lar.! - Sophia sorriu consigo mesma estando satisfeita com a casa. Ela sábia que a Lua havia amado assim com ela.
Flasback Of.

Eu quero ir pra praia. Amor vamos pra praia? - Sophia fez bico pra Micael que riu.
- Oque eu não faço por você amor? - Micael sorriu derretido fazendo todos rirem. 
- Bora pra praia gente? - Micael perguntou nos encaramos e eu olhei pra Arthur que concordou. 
- Vamos? Ele disse segurando na minha mão e eu assenti com a cabeça. A praia ficava uma rua depois da mansão. Sentamos na areia forrando uma canga por de baixo. - Vocês podiam ir no quiosque comprar cervejas pra gente né? - Sophia riu olhando pra Micael e Arthur que concordaram balançando a cabeça. - Hey meu namorado não é seu empregado! - Disse indignada e Sophia riu. - Tudo bem... Agente já tava indo mesmo... - Arthur riu dando língua pra Sophia que sorriu. 
-M-Meu Deus! - Lua olha aquele garoto... Que TU-DO! - Sophia sorriu maliciosa vendo alguns meninos saírem do mar com as pranchas de surf na mão e eu ri. 
- Sério? Nem vi... - Dei de ombros abrindo meu livro em uma página qualquer colocando o óculos escuros. Logo depois Arthur veio com Micael entregando algumas latinhas de cerveja pra nós duas que agradecemos sorrindo.
-I ai vamos fazer um som? - Arthur perguntou pra Micael que logo concordou pegando seu violão em quanto Arthur pegava o dele. Eles tocaram no violão dando som a alguma música eu nunca tinha escutado antes. Talvez deveria ser alguma nova. Mais eu gostava daquilo...

I wonder what it's like to be loved by you
(Eu me pergunto como é ser amado por você)
I wonder what is like to be home
(Eu me pergunto como é estar em casa)
And I don't walk when there're stones in my shoe
(E eu não ando quando têm pedras em meu sapato)
All I know that in time I'll be fine
(Só o que eu sei é que com o tempo eu ficarei bem)

- Eu nunca ouvi essa é nova? - Sophia sorriu pra Micael e os dois ficaram paralisados.
- Porra, essa é nova agente não pode mostrar! - Micael disse pra Arthur que logo fez uma careta.
- A por que não tá tão linda.. Vai canta o resto! - Fiz manhã e Arthur riu. - Não da anjo...Essa é surpresa.! - Arthur sorriu maroto me abraçando pra trás e eu logo fiz bico.
- Ai vocês são dois putos, cantam a música no começo e não querem cantar o resto. - Sophia reclamou e Micael logo tampou a boca dela a beijando. E Lua riu. 
- Vem cá vem..! - Arthur sorriu puxando Lua pra seus braços a beijando e ela logo sorriu segurando seu pescoço deitando por cima dele. 



******
Ué cadê o povo dessa casa? - Arquei a sobrancelha descendo as escadas me deparando com Arthur em cima do sofá vendo futebol. - Tão na praia... - Ele falou calmo sem tirar a visão da tela da TV. - E oque você tá fazendo aqui? Arquei a sobrancelha chegando perto dele sentando em seu colo segurando seu pescoço. - Esperando a minha loirinha. - Ele sorriu olhando pra mim que logo estava sorrindo de volta. - Puxei seus lábios contra os meus dando passagem para que a sua língua se encontrasse com a minha. Ele me puxou mais pra perto passando a mão por de baixo da minha blusa me fazendo rir em quanto o beijava. Mordi seu lábio inferior fazendo ela da um gemido abafado me fazendo rir. Eu não acredito que agente tá mesmo junto... - Ele olhou nos meus olhos e eu sorri. - Quer que eu te belisque? - franzi o cenho dando um sorrisinho sapeca pra ele que logo riu. - Eu não arriscaria levar um biliscão de você. - Ele riu fazendo carinho nas minhas bochechas. Beijei seu rosto e fui descendo os beijos até seu pescoço. - Senti alguma coisa vibrar no meu bolso e resmunguei cortando o beijo para pegar o celular. "Você tem uma noma mensagem de Lisa Petersson" – Oque diabos a Lisa estava me mandando mensagem? Tá agente era amigas quando eu era no Brasil mais agente tinha perdido o contato depois que eu me muda-ra que Londres.


"Lu, eu vi os meus pais conversando hoje de manhã Lu eles falaram que o diretor... Lu ele fugiu e ninguém viu essa cara mais por aqui. Ás últimas informações que eu consegui arrancar da minha mãe é que ele foi visto no aeroporto. Toma cuidado tá? Eu não sei pra onde ele foi mais é melhor não arriscar. Beijos te amo – Lisa xx "


Não poderia ser verdade... E aqueles últimos anos fugindo morando em Londres não haviam adiantado em nada. A Minha vida viraria um inferno novamente... Senti meu corpo gelar com um Ice barg eu não sentia mais nada e de repente o meu corpo tinha paralisado como uma rocha no meio de um deserto escuro...
- Lu? Oque foi? Amor você tá gelada! - Arthur me balançou passando a mão pelo meu corpo que agora estava paralisado. - Arthur, ele tá aqui... ele veio atrás de mim... - Olhei pra ele engolindo o seco. -
- Não pode ser... Lu ele tá preso! - Arthur me olhou intensamente e eu senti uma lágrima solitária escorrer sobre meu rosto.
- A Lisa me mandou uma mensagem... Arthur fugiu e-ele tá aqui... ele quer se vingar! - Minha voz saiu quase num sussurro. - Vem cá.. vem! - Arthur me puxou para um abraço me mantendo apertada em seu corpo fazendo-me encostar a cabeça em seu peito. - Eu não vou deixar ninguém tocar em você pequena. Eu prometo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo