29 de jun de 2013

Short Fic - As Long As You Love Me (Luar)


É como uma tempestade contra a janela.
Me persegue como uma sombra.
Eu nadarei um oceano sem fim,
Até que você traga de volta a sua devoção.
É como se eu vivesse 100 vidas.

-Capítulo único-



A chuva não parava mesmo assim, Lua continuava seu caminho era como se nada estivesse acontecendo, como se a tempestade não passasse de uma mera brisa de verão contra seu corpo frágil e tremulo. A mulher parecia não sentir o vento cortante contra sua face nem se assustava com os raios no céu encoberto por nuvens negras.
Os pingos de chuva molhavam seu cabelo sem que ela se desse conta, pensava unicamente em Arthur, em como perdera sua chance por motivos bobos, confiou que seu amor por ele seria suficiente para provar que dizia a verdade e foi decepcionada. Ele estava mais preocupado com sua imagem como cantor do Westlife com que o mal que ambos sofriam.
Ainda procurando por aquela que é a certa.
Veja, seguir em frente não está funcionando;
Você acendeu o fogo que eu estou queimando.
E tudo que eu posso fazer é proteger isso,
Uma vida pelo bem do meu orgulho!

Arthur acendeu o fogo da lareira de sua casa lá fora a tempestade desafiava aqueles que tentassem enfrentá-la, esperava que Lua estivesse bem. “Droga! Estou pensando nela de novo, por quê?”
Já fazia algumas horas que a flagrara em sua casa com outro, justo ela a mulher que escolheu para amar com outro, não conseguia entender em que tinha falhado para ela o trair assim.
Passou a mão pelos cabelos negros despenteando, como ocorria sempre que cantava com os outros do Westlife, tudo aconteceu tão rápido que pensou ser um pesadelo ver sua namorada ali beijando outro.
O orgulho a fez expulsá-la de lá mesmo com a chuva que caía, queria se vingar da traição, ferir Lua como ela o tinha ferido talvez assim curasse a dor que sentia.
Enquanto todos os outros me deixaram pensando.

Nós poderíamos ser mais do que apenas maravilhosos.
Eu acho que estou me segurando à minha fé.
Uma esperança sólida, estou me dirigindo a sua direção.
E rastejar por cima de tudo isso é tão tentador;

Não iria voltar, não pediria perdão, afinal não fizera nada de errado, fora Pedro que agarrara e não tinha culpa se ele não acreditava nela. Preferia crer em uma mentira do que na verdade, na sua verdade.
Nunca perdoaria Pedro a quem pensara ser seu amigo quase como um irmão por tê-la feito passar por tudo aquilo.
A Ferrari de Pedro parou, ele abriu a porta, Lua sequer olhou. Esperou ele dizer todas as mentiras.

Eu não pude ver, eu devo ter acreditado em uma mentira.
Se eu admitisse isso, você me deixaria fazer as coisas direito?
Está tudo perdido? Oh não. Nós poderíamos ser mais do que;
Nós poderíamos ser mais do que maravilhosos

Querendo esquecê-la ligou a televisão, precisava de algo para não pensar na dor que sentia, será que um dia essa dor acabaria?
O que viu não o fez esquecer, se viu na TV, olhou em volta e notou que a câmera estava ligada, com raiva foi desligá-la. Com certeza Lua gravara alguma coisa.
“- Não vou ver isso!” - dizia a si mesmo, mas a curiosidade o venceu. Colocou as imagens que ela fez, ali estava ela, que horas atrás era sua namorada perfeita que o completava.
- Arthur eu te amo tanto, o que temos juntos é tão maravilhoso.
- Mentira! – gritou só na sala.
De repente Pedro apareceu no vídeo, os dois falavam alto discutiam. - Lua esse cantor não serve para você!
- Eu amo o Arthur, compreenda Pedro .
- Eu te amo, vou te dar mundo! – ele a agarrou a força.
- Me solta, seu louco. - naquele momento ele a beijou.
“- Ela não me traiu, acreditei numa mentira que ele inventou, preciso achar Lua !”
Saiu correndo com as chaves do carro, tinha que encontrá–la não importava como, pediria perdão, imploraria se fosse o caso, mas tinha que tê-la de volta.

E tudo que eu posso fazer é proteger isso,
Uma vida pelo bem do meu orgulho!
Enquanto todos os outros me deixaram pensando
Diretamente para o jeito como estou me sentindo,
Oh, nós poderíamos ser mais do que apenas maravilhosos!

Pedro falava coisas que não faziam mais sentindo, tudo que tinha estava perdido! Amava uma pessoa que não a queria, preferia acreditar numa mentira do que nela, ali estava na chuva com a água lavando sua alma.
- Entre no carro Lua, vou cuidar de você!
- Não vou a lugar nenhum com você! Me enganou, pensei que fosse meu amigo.
- Anda, não vou discutir com você! Aquele cara não te merece, eu vou cuidar de você! – ele a puxou pelo braço.
- Larga minha mulher! Deixe Lua em paz.
- Arthur! – o brilho de esperança surgiu em seus olhos.
- Você viu o beijo, sabe que nós temos um caso.
- Não é verdade. - Lua se defendeu.
- Não vou acreditar em você, Pedro , suas mentiras não me convencem! – foi até Lua – Desculpe, por favor, me diga que não está tudo perdido.
- Não está, Thur! – ela foi na direção dele.
- Fique longe dela! - ele a abraçou.
Ficaram alguns momentos abraçados deixando que as águas da tempestade lavassem a dor que sentiram.
- Você está tremendo meu amor, vamos para casa.
- Sim, vamos...
Mais tarde os dois estavam abraçados em frente a lareira depois de terem se amado.
- O que temos é maravilhoso!
- Muito mais que maravilhoso, Arthur , eu te amo!
- Eu sei e vou cuidar disso para sempre! – a beijou.
- As long as you love me, we could be starving, we could be homeless , we could be broke...



-Se a fic ficou ruim, não me matem, essa fui eu que escrevi xD-
Não esqueçam da maratona amanhã. Beijos, Nicole! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo