14 de jun de 2013

New Feelings: Último capítulo.


Infinitamente!

Uma semana se passou, Roberta estava outra vez desmembrada de seus amigos. A tristeza por Carla e muito menos Diego não pronunciarem um mísero “oi” para ela lhe abatia cavernosamente, o rapaz por quem agora nutria paixão fervorosa não entendia o distanciamento que ela tomara de suas amizades, isolando-se em seu canto, apenas lendo livros de histórias mórbidas e inventando desculpas para não encontrarem-se. Ela já não suportava ver duas pessoas que amava incondicionalmente lhe ignorarem como se ela fosse uma qualquer realmente sem interesse e antissocial.
– Roberta! – Chega Alice. Perdendo sua pose de patricinha intocável e frágil, para uma menina autoritária. – Você vai abandonar esse lado mascarada e intata. Eu já não aguento mais esse clima pesado e carregado de implicas entre a gente, somos um grupo e reconstituiremos a banda sem mais nem menos!
Diz opressoramente e determinada. Seu ato repentino de querer reformar a banda assustou a amiga, que relia a primeira edição do livro The Vampire Diaries. Porém, sentia orgulho da determinação mostrada pela menina proprietária de cabelos enlourados e escorregados pelas costas.
– E os outros também querem? – Questiona.
– Sem pessimismo. A banda vai renascer e voltaremos a brilhar nos palcos! – Estende os braços para o leste e o oeste e gira suavemente.
– Você tem cérebro?
– Que sempre tem ótimas ideias.
– Ao contrário, desde que contei a verdade a Carla e ao Diego, tudo desmoronou e nem nos dirigimos mais! – Protesta.
– É lacônico.
– Quero saber se isso vai dar certo mesmo senhora cérebro inteligente! – Zomba da capacidade intelectual da menina para intensificar ideias.
– Engraçadinha, mas você vai ver que a banda não morreu e está descansando em paz. Isso foi tipo uma pausa breve e logo retomaremos as dianteiras e continuaremos fazendo shows e conquistando trilhões de fãs por aí a fora!
– Sonha alto.
– Tem que ser assim.
– A Cinderela e seus contos mirabolantes e enfeitiçantes! – A possuidora do estilo despojado e roqueiro imita uma princesa piscando os olhos feito um pisca-pisca posto para enfeitar e dar vivência a um pinheiro de natal.
– Você vai ver.
Alice fitava o além com um olhar triunfante e um sorriso de afirmação.
–x-
18h37min.
Na casa de Franco tudo corria normal. O casal Franco e Eva namorava em seu quarto ao som do filme Marley e eu. Eram trocas de carícias pra lá e pra cá, esforçavam-se o máximo para não emitirem seus gemidos, porém, as meninas já até sabiam o que os pombinhos tanto aprontavam e gargalhavam no quarto de maior expansão. Alice estava em seu lugar trancada, perambulando em sua mente, escrevendo uma história de romance e drama em seu mundo Pink. Já a sua meia-irmã, a encorajada Roberta Messi, estava deitada em sua cama de bruços, encarando o seu despertador e admirando o passar das horas, os ponteiros em movimento, como era engraçado como os instantes passavam tão ligeiramente, às vezes nos decepcionando por não conseguirmos ter feito aquilo no passado. Era como se sentia a jovem.
Anonimamente, a cachinhos dourados recebe um torpedo em seu celular de última geração, fabricado na Alemanha com mil e umas utilidades. Medrosamente, ela apanha-o de cima de sua escrivaninha e lê aquele recebimento misterioso.
Porão agora! É caso de vida ou morte. Desculpe-me se lhe assustei, não sei como encarará esta surpresa, só peço-lhe que vá ao local marcado.
A dúvida e o receio como de parte do cotidiano, atacaram-na. Mas por que o medo? Era só alguém a convidando para regredir ao antigo porão, onde costumavam terem seus momentos de paz, alegria, compreensão, fraternidade e música para acalmar os tímpanos. Entretanto, não foi só esta menina que adquiriu esta mensagem, seus velhos amigos também ganharam esta voragem no celular. Mesmo ainda desassossegada, a loira das madeixas cacheadas não ignorou ao pedido visível na tela de seu celular e marchou ao seu banheiro, procurando tomar um banho veloz e acabar logo com esse suspense torturador. Poderia até não ser muita coisa para dizer que causa tanta apreensão, mas ninguém a mais sabia daquele lugar secreto. Durante sua lavagem, pensara nas especulações, quem seria as pessoas ou pessoa que escrevera aquele torpedo, sugestionava, mas nenhuma delas caia bem na correta criatura, estava tão na cara quem era, mas com essa reviravolta toda em sua vida, não se ligava mais para o mundo. Meio desorientada, a garota enrola-se na sua grande toalha de algodão e tendo cautela para não deslizar nos pingos de água que ainda restavam em seu cabelo. Abre o seu guarda-roupa e veste-sehttp://www.polyvore.com/cgi/set?id=48200125&.locale=pt-br. Depois da maquilagem forte, de toda a produção pronta, a rebelde parte para fora de seu quarto. Desce as escadas provocando barulhos um pouco alcantilados, ficava enervada, não queria chamar a atenção de ninguém morador também daquele casarão. Enfim, depois de perceber que não despertara a vigilância de ninguém, muito menos de Franco, sossega-se e destranca a porta, saindo sorrateiramente.
Não pediu para o motorista a encaminhar para o colégio, estava tão apressada que esquecera. Em passos acelerados, a garota identificava-se com um foguete. As pessoas a analisava, tentando desvendar o mistério daquela expressão nervosa e toda aquela correria, em sua opinião, eram gentes sem nada na cabeça que procurava divertir-se querendo saber dos segredos mais valiosos das outras pessoas. Contudo, não se abalava com os maus comentários que os outros faziam, queria logo era saber quem a convidara para regressar ao porão.
Adiante, já enxergara o grande muro protegido do Elite Way, a arrojada menina centraliza o olhar em uma escada já posta para a mesma subir e pular para o lado de dentro. Roberta astuciosa, não causara ruído algum desde o salto que dera. Ergue a cabeça rapidamente, para confiscar que ninguém a flagrou. Assim que a fez, tomou o rumo do lugar marcado, tratando de andar vagarosamente para não dar indícios que entrara no colégio sem ser horário de escola.
A cada vez que se aproxima do local, a ânsia agrava. Sendo corajosa, a moça loura desce cautelosamente as escadas e ouve logo vozes conhecidas, era uma discussão. Aquelas vozes misturadas lhe eram familiares, as reconheceriam em qualquer continente, planeta, galáxia.
– O que estão fazendo aqui? – Os visualiza. Tomás, Carla, Pedro, Diego e Alice.
– Essa doida da Alice mandou uma mensagem querendo marcar conosco aqui, agora tá essa energia negativa! – Carla atreve-se a responder.
– Ainda é aquela ideia de remontar a banda?
– O que? – Apenas Roberta sabia desse cômputo que a patricinha tivera. Nada tinha discutido com seu namorado, tudo estava tão estranho por esta semana, mal haviam tido comunicação.
Aquelas falas emboladas estavam irritando a vaidosa garota. A medida drástica que tomaria seria um grito alto e nada fino. Parecia que estava roubando a pose garota difícil e ignorante da amiga roqueira.
– Gente! Chega! Lembram-se da primeira vez que ensaiamos aqui, todos juntos? Sem desavenças, éramos mais unidos e com a força da nossa amizade, sempre acabávamos conseguindo deter os inimigos. A nossa caridade um com os outros era bem mais firme naquele tempo. Mas, não vai por causa desse amor complicado do Tomás e da Roberta. – Ambos coram. – Que nós vamos deixar de sermos amigos, que vamos deixar de nos encontrar e se divertir! Diego, Carla, a vida é difícil, ainda mais pra você Carlinha, tendo que enfrentar esse acidente grave da Becky. Pensem, ter ódio da Roberta e do Tomás irá piorar as coisas, não estão agindo como adolescentes, estão sendo imaturos. Eles sofrem com isso. Por favor, esses problemas não podem interferir na nossa paixão por música, a banda se destruiu por culpa disso. Vocês devem estar felizes, sabendo que a pessoa que vocês amam e tem um enorme carinho também encontrou a felicidade!
Doeu, mas ensinou. Todas as palavras elaboradas no cérebro da arrumadinha e liberadas por sua boca acabaram criando efeitos positivos em seus amigos, que pararam para refletir, tomaram a noção de que a atitude que adotaram não era boa, machucava.
– Que música? – Pergunta Pedro, batendo as baquetas. Cada um esboça um sorriso sereno. É. Nada agora vencia os poderes arrecadados dessa banda de peso.
– Por que retornamos e agora pra bombar, Juntos Até o Fim. – Idealiza a namorada do humilde rapaz de Saquarema.
Tem coisas na vida

Que nunca vão mudar
Um momento bom
Só é bom se tiver, alguém pra dividir

Inicia a morena, transparecendo em seu semblante um sorriso manso.
Todo mundo tem segredos para contar

Todo mundo tem que ter alguém para confiar
Alguém que você possa desabafar
Alguém que o destino pôs pra te ajudar

Diego da continuação à bela canção. Encarava rutilantes seus amigos.
Quando o dia vira a noite você está a só

Quando se perder eu vou te achar
Roberta e Alice priorizam um momento de amigas até o infinito ali, segurando as mãos criando o verdadeiro laço amistoso. Mesmo não fazendo parte desse trecho da música, Carla entrelaça seus dedos com os da agitada roqueira.
Pra te guiar

Pra te salvar
Quando pensa em desistir
Minha voz você vai ouvir
Olhe pro lado eu vou estar
Podemos ir até o fim,
Sei que você faria o mesmo por mim.

Emendam suas vozes, parecendo sinos cantando. Belas vozes em uma linda harmonia.
O mesmo por mim, O mesmo por mim

Eu sei...
Às vezes esqueço

Como o tempo passa
Dar valor no que importa
É cuidar de quem você gosta.

Todo mundo tem segredos para contar

Todo mundo tem que ter alguém para confiar
Alguém que você possa desabafar
Alguém que o destino pôs pra te ajudar

Quando o dia vira a noite você está a só

Quando se perder eu vou te achar
Pra te guiar

Pra te salvar
Quando pensa em desistir
Minha voz você vai ouvir
Olhe pro lado eu vou estar
Podemos ir até o fim,
Sei que você faria o mesmo por mim.

Repetem o refrão.
Mesmo se o mundo te der as costas

Se suas perguntas Não tiverem Resposta
Se você cair,
Saiba que sempre vou estar aqui
Saiba que sempre vou estar aqui.

Pra te guiar

Pra te salvar
Quando pensa em desistir
Minha voz você vai ouvir
Olhe pro lado eu vou estar
Podemos ir até o fim,
Sei que você faria o mesmo por mim.

Pra te guiar

Pra te salvar
Quando pensa em desistir
Minha voz você vai ouvir
Olhe pro lado eu vou estar
Podemos ir até o fim,
Sei que você faria o mesmo por mim.

No último acorde, eles gritam comemorando estridulosamente. Reunidos em um abraço em seis, pulando e berrando. O sonho se refazia, os sábios dizem que os sonhos são um projeto de Deus em nossos corações, por isso, sempre cave mais fundo para que ele se concretize.
–x-
São Paulo iria estremecer ao som dos Rebeldes. Sim, isso mesmo que você leu e provavelmente releu. Bom, depois de Eva saber que a banda refluiu, consorciou seu empresário outra vez e o mesmo cuidou de agendar o show de volta da mais nova sensação do ramo musical pop e rock. Eles não estavam tão nervosos como o primeiro concerto, seus ânimos estavam pacientes.
– Hey galera. Se posicionando detrás da cortina, o show vai começar!
Com a grande emoção fervendo em seus sangues, obedecem a ordem do assistente. Assim que a gigantesca cortina afundiu, revelando os perfis estabelecidos ali, o pessoal da pista, dos camarotes enlouqueceu.
Roberta, após cumprimentar os estimados fãs, prontamente cata o ar preciso para iniciar a melodia pop rock.
Acordo me sentindo como um Rockstar

Levanto já de óculos, vestido e All star,
Só penso em ir pra rua sem me preocupar, com...
Que horas vou voltar?
Se é que vou voltar

Muita gente olhando para mim,

Como se fosse alguém de outro planeta,
Lá no fundo elas queriam ser um pouco mais como eu,
Se é que não são.

A Noite tá pra começar,

Esqueça as horas elas não me importam mais,
E vamos logo ao que interessa, Ah, Ah
Let's go!
Comigo Baby, daqui pra frente é só se jogar!

No momento do estribilho, vários raios lasers, fogos de artifícios, incendeiam e fortalece ainda mais o público que comprovavam aquele momento especial.
Aumenta o som,

E me deixa dançar,
Só vou sair daqui quando o DJ parar.

Cada vez melhor,

Esquece amanhã,
Não pense mais em nada.

Levanta a mão,

E se você quer mais,
Faz barulho aê pra festa não parar
Então apaga a luz,
Embora ninguém vai, até o sol chegar, Aah, Aah

Não aguento mais todo mundo dizendo,

Que pra ser alguém na vida tem que mudar seu jeito,
Faça aquilo, limpe isso,
Pare com esse Blá, Blá, Blá,
Quer saber? Fui!
Vê se me deixa!

Muita gente olhando para mim,

Como se fosse alguém de outro planeta,
Lá no fundo elas queriam ser um pouco mais como eu
Se é que não são.

A Noite tá pra começar,

Esqueça as horas elas não me importam mais,
E vamos logo ao que interessa, Ah, Ah.



Let's Go!
Comigo Baby, daqui pra frente é só se jogar,

Aumenta o som,

E me deixa dançar,
Só vou sair daqui quando o DJ parar.

Cada vez melhor,

Esquece amanhã,
Não pense mais em nada...

Mesmo ainda estando separados, neste instante Tomás decidiu arriscar a proximidade com a garota que lhe fazia perder o comando.
Seu jeito de ser, me conquistou.

Você podia vir comigo (Ou, Ou).
Amacia sua face, afogueando suas maçãs e fixando seus olhos com o dela, fabricando borboletas em sua barriga. Relembram-se do show oficial que tiveram em Porto Alegre, no qual Tomás selou seus lábios ao da ex-namorada de seu melhor amigo? A cena se repetia, porém, sem o selinho.
Então, esquece tudo

Deixa o som te levar. Deixa o som te levar (Wooooow).
Inopinadamente, ambos separam-se, com um misto de desconforto e alegria governando em seus corações.
E daqui pra frente? É só se jogar!
Aumenta o som,

E me deixa dançar,
Só vou sair daqui quando o DJ parar.

Cada vez melhor,

Esquece amanhã,
Não pense mais em nada.

Levanta a mão,

E se você quer mais,
Faz barulho aê pra festa não parar
Então apaga a luz,
Embora ninguém vai, até o sol chegar, Aah, Aah.

A música encerra-se com todos eles em uma pose descontraída e diferente. Sorrisos abertos, exibindo muito bem seus límpidos dentes, o olhar brilhante e os berros, as tentativas dos fãs de saltarem da barra que os impediam, de ganhar daqueles seguranças malvados, malhados e brutos para poderem chegar perto de seu ídolo e o abraçar quase esmagando. Todo aquele amor recebido, os admiradores ganhavam em dobro.
O show se segue. Tudo correndo super bem, até que chega um minuto naquele concerto em que a loira iria apresentar uma nova melodia solo.
– Bem gente! – Disse-lhes corrigindo seu microfone, exatamente para ficar de sua altura, já que nesta música cantaria sentada em um banco, juntamente com um violão. – Esta música em compus quando estava só, isolando-me e não aceitando conselhos de ninguém, eu opinava por sofrer, mas precisava rever meus conceitos, foi destinada a pessoa que balançou extremamente meu mundo, eu não sabia como lhe dar, eu namorava o seu amigo e ele a minha amiga, era confusão na certa. Enfim, espero que curtam!
Inicia a novel música apenas com o violão, depois viriam os outros acompanhantes musicais.
Ninguém consegue ver o jeito

Que seus olhos brilham sem querer
Toda vez que você sorri

O piadista que esperava entrar com o baixo, encarava-a hipnotizado.
Se eu pudesse escreveria

Lindos versos de amor
Só pra ter você aqui

Carla e Alice que se mantiveram lá no fundo do palco para fazer o coro, fixavam os olhares na roqueira e no menino dono de uma personalidade excêntrica e conquistadora.
Mas porque

É tão difícil te mostrar
Você não sabe o que eu sinto por você

Mas já é hora de dizer
Uma gota erma escorre de suas membranas. Os fanáticos que estavam mais próximos da cantora notaram a solitária lágrima que desceu de seus olhos e se entristecem ao pensar que a menina ainda sofre.
Você não sabe por que eu prefiro esconder

Mas agora já é tarde, e agora você sabe.
De soslaio, ela manda para um menino um olhar carente. Ela precisava de imediato dele.
Sentada outra vez

Juntando as palavras pra um dia talvez
Conseguir te explicar
Eu sei que é ilusão saber o que se passa no seu coração
Será que eu vou descobrir?

Mas por que é tão difícil

Te mostrar.
Você não sabe o que eu sinto por você

Mas já é hora de dizer
Você não sabe por que eu prefiro esconder
Mas agora já é tarde, e agora você sabe.

De repentino, inesperadamente, Tomás abandona seu baixo no chão fazendo com que todos os integrantes da banda também parassem. Roberta lhe olha furiosa e ao mesmo tempo desentendendo a qual razão do menino ter parado de tocar.
– Roberta. Não é só você que sofre, eu também. O amor é sádico, nos tortura, mas também temos que saber valorizá-lo, pois um minuto ele vai nos mostrar que há saída para a angústia e nos motiva a ir falar com a pessoa, jogar na lata. Eu te amo mais que tudo, é impossível não te amar. E eu só quero que me responda sim ou não! – A menina treme. – Você quer namorar comigo?
– Quanto sim você quer que eu diga? – Replica-lhe com outra indagação. Ela havia aceitado. Ele abriu um sorriso anormal, espaçoso, radiante e o que mais Roberta gostava.
Sendo sereno, o rapaz caminha para perto da jovem sem a mínima pressa. Assim que está muito próximo a menina, ela puxa seu colarinho e sussurra em seu ouvido:
– Eu te amo e não importa se estivermos distantes um do outro por uma rachadura no meio da terra, é você que eu quero ao meu lado até a eternidade.
Comovendo a plateia, o casal executou um beijo gostoso e vibrante. Avolumado de amor, eles eram per(feitos) um para o outro, sem oposições. Seriam o mais novo pombinhos acobertados pelos joviais fãs. As lágrimas não iriam mais ser de desolação e sim acalento, a vida iria passar por uma metamorfose, igual a uma lagarta quando abandona seu casulo para transformar-se na livre e formosa borboleta, que iria tirar o néctar de uma flor, voando independente pelos céus tanto azulados, quanto estrelados. O desejo era mútuo, a alegria não se comprava.
– Vamos continuar a música? – Murmura novamente ao pé do ouvido de seu amado.
– Só se for agora.
Deposita um selo na bochecha da sua agora namorada – ela tinha orgulho e satisfação ao pensar que pertencia agora a aquele menino – e retorna ao seu baixo que estava renunciado nos pisos de neon.
– Continuamos? – Interroga a loira, dirigindo a inquirição a seus apreciadores. Em meio aos gritos enérgicos, eles riem e dão recomeço de onde pararam, para a então declaração ao vivo e em cores procedida por Tomás.
Quando você passa, eu não sei o que fazer

Eu já tentei de tudo pra você perceber.
Você não sabe o que eu sinto por você

Mas já é hora de dizer
Você não sabe o que eu sinto por você
Mas já é hora de dizer
Você não sabe por que eu prefiro esconder
Mas agora já é tarde, e agora você sabe
Mas agora já é tarde, e agora você sabe.

Ela o observa de entrevisão, sorrindo abrandadamente.
–x-
– Tem precisão disso tudo Tomás? – Inquiri a menina, querendo logo tirar as mãos suavizadas que o garoto conservava ali, recobrindo toda a sua órbita.
– Calma minha filha. Você vai gostar! – Destampa, dando a ampla e magnífica visão da paisagem situada nesse lugar.
– Que lindo! – Obceca-se pela a alucinação real. Roberta já tinha uma intuição que o seu garoto iria armar esta surpresa romântica.
Era noite, 23h48min. Ainda se encontravam debaixo do céu de São Paulo, a aparência exótica das figuras estrelares fantasiavam a praça mais calma e deserta daquela capital.
Forrava a areia, uma toalha de mesa xadrez, apropriada para piqueniques tardios.
– Roberta. Você promete me amar pra sempre? – Ergue a cabeça da namorada, que estava agachada ainda admirando o tanto de aperitivos que tinha ali. Com o olhar cintilando perante a luz fornecida do sol para a lua, ela sorriu bobamente.
– Eu não preciso fazer promessas, eu sei que meu amor por você se estende infinitamente! – Exclama o abraçando.
– O Diego e a Carla estão bem né?
– Sim. Eles encararam seu pedido hoje de namoro com grandeza, isso já é um avanço. Mas, por que estamos falando deles?
– É mesmo. Sendo que há muitas coisas mais interessantes a fazer! – Dispara apimentadamente.
E mais um beijo debuta naquela mera praça calada e com clima de namoro imperando no ar.
– Eu te amo meu pentelho. – Declara-lhe ofegante, com os dedos em contato com os lábios do adolescente.
– Eu muito mais minha vampira moderna. – E retornam com todo o gás, para mais um beijo apaixonado e esplendente.
Enfim, qual a mensagem que quis passar? O amor brota de repente em nossos corações, ele não quer saber da idade, da cor, da raça, da altura, da personalidade, se é bonito ou feio, se é gordo ou magro, nada disso importa, são apenas bloqueios vencíveis. É dificultoso amar alguém, sempre haverá aqueles rodeios para se declarar, para ser insubmisso e puder gostar daquela pessoa. Esta menina sofreu rigorosamente, afeiçoada pelo namorado de uma de suas melhores amigas que era amigo também de seu companheiro. Isto só machucava e desesperançava ambos.
Mas, predomina o conselho: Se ama, por favor, não desiste de lutar, isto comprovará que é um covarde. Batalhando, consegue. Para o amor nada é impossível.
Fim.
CréditosPancake Buffalo .

4 comentários:

  1. meu deus que lindo muito profundo

    ResponderExcluir
  2. fanny posso postar essa web no meu blogger

    ResponderExcluir
  3. Simplesmente odiei esse site é de lhar nao de luay

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo