25 de jun de 2013

Minha irmã Adotiva.

 

Capítulo 215.



Mel: Quantas vezes vai ser preciso eu dizer que odeio festa de aniversário?(arqueou uma das sobrancelhas, deixando que sua voz se sobressaísse dos murmúrios que tomavam conta de toda a extensão do quarto)

Chay: Morena, nós só queremos comemorar seu aniversário.(lhe abraçou por trás)

Mel: Pra isso não precisa de uma festa, nesse micro quarto e principalmente dentro da faculdade.(torceu o nariz)

Sophia: Vai mandar toda essa gente embora, éh?!(se pronunciou cabisbaixo)

Mel: Claro que não (revirou os olhos) Todos essas pessoas vão para seu respectivos quartos e não embor....Fabiana?(indagou surpresa, observando uma menina loira que estava na lateral do quarto) Quanto tempo gatinha (“voou” no pescoço da suposta amiga lhe dando um abraço) Aumeeeeenta o som ae.(pediu deslumbrada)

Lua: Mas ela na..(foi interrompida)

Arthur: É sempre assim, amor.(revirou os olhos) Amanhã cedo, ela se arrepende por hoje e decide comprar especialmente um bolo pra jogar no rosto da Sophia.

Lua: Bom..(acariciou a face de Arthur) Só acho que o som ta alto demais, as pessoas estão muito coladas e ale..(foi interrompida)

Arthur: Eu tenho uma solução para os seus problemas(sussurrou no ouvido da loira)

Lua: Ah éh?! E qual seria, posso saber?(indagou desconfiada)

Arthur: Vem comigo(marchou para a área externa do quarto, puxando Lua pela mão junto a si)

Lua: Seu quarto? (indagou após dar dois passos adiante no quarto de Arthur) Pensei que tinha uma solução para os meus problemas e não arranjasse mais.(um sorriso divertido brotou nos lábios do mesmo)

Arthur: Não considero isso como um problema.(lhe beijou lentamente a conduzindo até sua cama)A não ser que vc não queria, claro.(deu de ombros se afastando da mesma)

A loira alternou por não responder e sim o beijou gananciosamente o jogando sobre a cama, e deitando por cima do moreno. A brincadeira estava formada, e desejo esbravejava nos olhos de ambos. Arthur parecia ter pressa, e a beijava com  tal sagacidade incapaz de se descrever, enquanto acariciava desordenadamente as cochas da loira, que jogara sua saia no canto do quarto, Lua por sua vez se preocupava em já retirar a camisa do moreno, usufruindo da mesma ação agel de Arthur. Ambos tinham pressa. A regatinha rosa arremessada na porta do banheiro, entre caricias e a calça jeans de Arthur jogada em cima da cama de qualquer um dos meninos, agravam a ânsia do casal em possuir um ao outro, em um movimento Arthur se livrou do sutiã abrigava os fartos seios de Lua, o induzindo a beijar de forma sugaz aquele local, a loira gemia abafado, temendo a entrada de qualquer que seje no quarto, a solução foi procurar em arranhões nas costas do mesmo,  como forma de expressar o êxtase que se encontrava naquele momento.A cueca e a calcinha, foram apenas objetos a serem arremessados por fim no meio do quarto, permitindo assim que Arthur o penetrasse, arrancando um gemido de leve da mesma, iniciando assim estocadas incessaveis , procurando o ápice dos dois da forma mais ágil possível, permitindo que ambos aproveitasse o momento,as estocadas foram ficando cada vez mais rápida, levando ambos ao ápice e por fim se jogaram sobre a cama, calados...outra vez... O silêncio..

Ninguém ousava se pronunciar, quer dizer Arthur claro, pronunciava sua “cotidiana frase”.

Arthur: Vc é maravilhosa.(declarou olhando o teto)

Lua: Vc também.( a loira se limitou a responder)

Por que era tão difícil arrancar um “Eu te amo” de Arthur?! Aquela expressão não existia em seu vocabulário?! Afinal era a única e exclusiva explicação para aquele fato.

Mas não podia exigir qualquer coisa, tendo que Lua sabia perfeitamente que o “estranho” jeito de amar do moreno, era o que o diferenciava dos demais, e despertava  a admiração da mesma.

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo