21 de jun de 2013

Minha irmã Adotiva.

 

Capítulo 209.

Arthur: Eu sei que está bombando, afinal fui eu quem organizei.(levou a boca um gole de sua cerveja)

Chay: Cara, é muita gata pra pouco espaço.(se pronunciou observando quatro meninas loiras com curvas terrivelmente perfeitas)

Micael: Limpa a baba , viu?!(gargalhou lentamente e sonoramente da reação do amigo)

Mel: Eu só acho que em vez de vcs se preocuparem com “meninas” vcs deveriam cuidar dos pertences dos pais do Arthur, táh?!(concluiu satisfeita apontando um vaso de flores que um homem detinha em suas mãos)

Vaso de flores que segundo o “sábio” Victor, fora remanescente deste a mesopotâmia, curiosidade que não despertava nenhum interesse da parte de Arthur, que bateu o pé alguns meses anteriores ao saber que o pai pagara R$25.620,00 naquele “caco de vidro”.

Arthur: EI CARA.(chamou a atenção do moço de nome Alfredo) NÃO MECHA NISSO.(ordenou seriamente)

Sophia: pensei que não viria mais(comentou a loira observando Lua descer as escadas)

Lua: O que vc disse?(indagou a loira cerrando os olhos procurando abafar o volume do som insuportável das musicas)

Arthur: Cadê a Carla, hein?!(concluiu tomando o ultimo gole de sua cerveja e colocando o copo sobe o criado mudo ao lado do sofá da sala, e abraçando a loira por trás)

Lua: Conseguiu a proeza de dormir com esse som.(se virou para o moreno lhe dando um selinho) Dormiu no meu quarto (fez bico) Queria que ela ficasse no quarto de hospedes

Arthur: Não se preocupe enquanto a isso, no meu quarto há espaço o suficiente para nós dois (colocou uma mecha de cabelo loiro atrás da orelha da mesma) O melhor da Carla não ta aqui é que não precisamos ficar fingindo nada(deu uma piscadela divertida para a mesma)

Mel: “Momento melação”( revirou os olhos entendiada)Vcs poderiam ser menos fofos juntos, néh?!

Lua: E vc poderia ser menos palpiteira néh “dona Melanie”?!(comentou divertido)

Chay: E mais realista.(interferiu desnecessariamente)

Mel: E quem te chamou na conversa hein “Chafariz de praça antiga”?!(o alfinetou)

Micael: Tava demorando esses dois começarem a discutir.(revirou os olhos)

Lua: Eu até achei que demorou muito(comentou a loira pegando seu celular que havia vibrado no bolso de seu vestido floral, rodado)


Lua, preciso de um favor seu. Sei que não me negara nada. Espero vc daqui 15 minutos na pracinha, ao lado da sorveteria que fomos da ultima vez.

Pedro. Beijos.

---: Vc é a bailarina que falta na minha caixinha de musica(um “marmanjo” de no máximo vinte e um anos jogava olhares indiscretos a Sophia)

Micael: E vc vai ser o próximo a levar um soco na cara.(se pronunciou autoritário)

---: Qual é?! Nem to falando com vc, cara.(bufou o moreno se aproximando de Sophia)

Micael: Não encosta nela, ok?!(advertiu)

---: Isso não é vc quem decide.(Deu de ombros)

Sophia: Eu to com ele da licença?!(arqueou uma das sobrancelhas se aproximando de Micael e entrelaçando seu braço em volta do pescoço do mesmo)

---: Idiotas(bufou sumindo lentamente da visão do “grupo”)

Gargalhar? Era inevitável aos 4 que mal permitiram que Micael e Sophia explicasse qualquer que fosse o argumento.

Lua: Amor, eu vo ali na farmácia da rua seguinte comprar um remédio pra Carla, táh?!(se pronunciou apertando a bochecha do moreno)

Arthur: Lua, remédio pra Carla?! O que ela tem, hein?! Quebrou a unha? Alias vc disse que ela ta dormindo(arqueou uma das sobrancelhas, apertando ainda mais a loira contra seu corpo)

Lua: Ela ta dormindo, mas sabe..(molhou seus lábios com sua língua) Ela ta naqueles dias e precisa de um reme..(foi interrompida)

Arthur: Já entendi, mas não demora, viu?!(lhe deu um selinho)

Lua: Não vou demorar,(observando o mesmo virar o sétimo como de cerveja consecutivo) Pare de beber ok?!(arqueou uma das sobrancelhas)

**

O som soava a todo vapor e se quer fora drasticamente notada a ausência de Lua, todos pareciam centrados demais, cada qual com seu “problema” para observar que as horas passavam ligeiramente e aos poucos os convidados foram se escasseando e inevitavelmente fora percebido ,como já se tornara monótono, algumas conseqüências financeiras que aquele “pequeno” encontro de amigos traria a Arthur. A porta de sua casa fora fechada por fim, pela ultima vez na madrugada sinalizando ao moreno que já era hora de procurar seus aposentos, e embora estivesse sobre ao efeito exagerado do álcool, notou que sobre o sofá dormia, Sophia abraçada desconfortavelmente a Micael e que provavelmente ambos se encontrariam tão bêbados quanto Arthur, com seus pensamentos desordenados decidiu que o melhor seria deixa-los dormir ali, naquela posição mesmo, talvez algo poderia acontecer durante a noite, ou durante a madrugada que seje. Com certa dificuldade subiu em dobro , como seus olhos Le mostravam, o numero de degraus da escadaria de sua casa, chegando por fim ao corredor que lhe levaria ao seu quarto.Inspirou todo o ar que pode o encaminhando até seus pulmões sobrecarregados de álcool e o deliberou gradualmente coçando a nuca e pelo feche de luz que vinha do quarto de hospedes o loiro concluiu que Melanie e Chay faziam sua noites...ou talvez não. Enfim no seu quarto! O Maximo que fizera fora se jogar de forma idiota em sua cama e adormecer em questão de segundos.

O batia na escrivaninha e refletia diretamente nos olhos de Arthur, o percurso nos raios incandescentes eram logo mais não deixava de se projetar exclusivamente sobre os olhos fechados do mesmo, os carros zanzavam de forma desordenada na rua, os pássaros cantavam gradualmente mais agudo, e alguns passos incessantes vinham do lado exterior de seu quarto, argumentos que não permitiam ao moreno que prosseguisse seu sono. Se sentou sobre sua cama afim de verificar quantas hotas de sono teve, e pode perceber que sua cabeça pesava. Óh sim! Aquela maldita ressaca estava lhe atormentando novamente. 11:17, resmungou o moreno, ao observar que ainda era muito cedo que havia dormido apenas 6 horas, levantou, se espreguiçou e bocejou, notara que ainda permanecia com o mesmo jeans escuro, camiseta listrada em branco e rosa e o cabelo estrondosamente desalinhando, percorreu até a janela de quarto que pelo seu descuido se encontrava aberta desde o dia anterior, e pode notar duas formosas moças loiras correndo lentamente pela calçada de sua casa, procurando fazer algum tipo de exercício, concluiu o mesmo e seu celebro. Loira? Opa! Aquela característica lhe lembrava alguém. Sim, Lua. Não possuía recordação alguma da ultima vez que a viu, e conseqüentemente uma saudade inusitada lhe invadia. Pera ai, se lembrou vagamente, Lua tinha ido a farmácia comprar um remédio para Carla e desde então não a viu durante e nem depois da festa, provavelmente deveria ter optado por entrar pela porta dos fundos e passado por despercebidos aos olhares de todos.Foi até o banheiro jogou uma saudável água em seu rosto,tomou um medicamente para aquela infernal dor de cabeça e foi diretamente ao quarto da loira, e pouco se importava se Carla estava lá, estava disposto nem que fora apenas a desejar um “bom dia” a mesma.

Girou a maçaneta da porta do quarto, e empurrou a porta a espera do quarto completamente escuro, e que para a surpresa do moreno que encontrava muito bem iluminado e arejado, sem nenhum objeto fora do lugar , a cama perfeitamente organizada e nem sinal de Carla naquela área. Arthur cerrou os olhos, acreditando estar ainda sob o efeito do álcool, mas teve a plena certeza de que tudo fora apenas a realidade quando ouviu uma  voz soar por trás.

Mel: Onde está aquela loirinha, que não a encontro em parte alguma?! A noite foi boa pra vcs ontem , néh?!(comentou divertido enquanto sua voz desaparecia gradualmente entre a escada)

Lua não havia dormido em casa?! Como assim? Havia saído pra comprar um simples medicamento e não retornara?Um ligação..duas ligação..três ligação...quatro ligação... e nada da loira atender a porcaria de seu celular. Talvez fora caso de policia.Isso, deveria acionar a delegacia mais próxima o mais rápido possível..ou talvez não.. Afinal não sabia ao certo com quem Lua estava, ou se quer ela estava com alguém. Tudo confuso demais. Que providencias tomar? O que fazer? Pedir ajuda a alguém? procurá-la? Qual seria a solução para aquele momento?

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo