3 de jun de 2013

Capítulo único - LuAr

 

"Depois da Chuva"


E ela fez de novo, mais uma vez... Sentia o vento frio tocar minha pele, naquela estrada deserta e onde ela estaria? Eu não a vejo... o céu denunciava que iria chover e muito, mas eu a precisava encontrar, eu tinha que a encontrar a fazer entender que o seu lugar era a meu lado pra sempre e eu não iria desistir tão fácil.

Flashback:

   Não sabia ao certo que horas eram, mas sabia que ainda era muito cedo, minha campainha tocava incisivamente, quem me incomodava aquela hora da manhã?  Ao passar pela sala pude notar o relógio na parede que marcavam 2:45 da manhã.
- quem me incomoda... LUA??? – estava totalmente surpreso não a via as exatas duas semanas desde a ultima vez.
- Arthur... – não disse mais nada apenas me abraçou fortemente e começou a chorar, estava surpreso e confuso mas lhe retribui o abraço.
- Lua o que aconteceu? –perguntei preocupado.
- não fala nada só me abraça – ela continuava a chorar em meus braços, não sabia o que fazer.

Lua sempre fora o tipo de garota forte e determinada, nunca a vir chorar, o tipo de garota estúpida que se achava melhor que os  outros, nunca expondo seus sentimentos, talvez por isso nunca nos demos bem. Mas era capaz de passar por todas as diferenças para tê-la ao meu lado, mas ela nunca me daria uma chance seu orgulho nunca lhe permitiria. Sabia que sentia alguma coisa por mim, talvez não fosse amor, mas sabia que era algo, por mais pequeno que fosse.

Ela continua a chorar em meus braços, e a única coisa que eu poderia ver ali, era uma garotinha frágil, querendo se esconder de tudo e de todos, era a Lua, que ela nunca se mostrou, a verdadeira Lua por trás de sua máscara de ferro.

- hey calma vai ficar tudo bem, eu to aqui com você – o que eu mais queria era dizer que a amava, mas nunca tive coragem o suficiente.
- não – balançou a cabeça negativamente – nada nunca vai ficar bem, sabe por que? Por que eu sou uma idiota, uma burra, eu não sirvo pra nada, a única coisa que eu sei fazer é afastar as pessoas que gostam de mim, mas eu não sei lidar com isso, eu nunca soube.
- Lua você não... – ela pousou seus dedos trêmulos sobre meus lábios.
- deixa eu falar, eu não agüento mais, eu preciso tirar isso de dentro de mim, e eu não consigo dizer isso pra mais ninguém se não for pra você. – segurei suas mãos fazendo um carinho de leve dando sinal para que ela continuasse.
- quando eu tinha 10 anos... – suspirou e percebi seus olhos se encherem de lagrimas, segurei suas mãos com mais força, mostrando assim que eu estaria ali com ela, lhe dando confiança. – eu morava com meu pai e minha mãe, nos éramos uma família feliz, meu pai era meu herói,  quem me mimava sempre e me chamava de sua princesinha. Minha mãe era tudo pra mim, eu a amava demais. Tudo aconteceu numa sexta feira, tinha acaba de chegar da escola, naquele dia mais cedo, escutei meus pais discutindo no andar de cima, não fiz barulho, subi as escadas devagar e lá de cima eu pude escutar tudo. – Lua já chorava novamente, por impulso a abracei com força, meu coração estava apertado, podia sentir que ela tava sofrendo e muito, ela se aconchegou em meu peito.  – no começo eu não entendia nada do que eles diziam até a parte que eles começaram a se acusar, meu pai xingava minha mãe de todos os nomes possíveis, eu tava muito assustada e comecei a chorar baixinho para que eles não percebessem minha presença. Até a parte que me doeu mais, minha mãe jogou na cara do meu pai que sabia que ele a traia, eu não tava acreditando, até a parte que ele começou a rir e confirmar tudo que ela dizia, disse que a traia desde quando eles namoravam, e não se arrependia, pois qualquer uma era melhor que ela, minha mãe começou a chorar e estapeá-lo, ele lhe deu um tapa na cara que fez minha mãe cair no chão, eu não para de chorar – Lua fungou baixinho mais continuou –ele saiu do quarto e eu me escondi atrás da poltrona que tinha no corredor, minha mãe veio atrás, e eles continuava a discutir, meu pai a acusava de tê-lo traindo com meu tio, mas minha mãe negava, disse que nunca teve nada com ele, e que nunca traiu meu pai, eles estava no inicio da escada, e continuavam a discutir, escutei meu pai dar outro tapa em minha mãe a fazendo cair novamente, minha mãe pois se a chorar, eu não agüentei e sair de onde estava, tava cega de ódio, ódio do meu pai, por ter nos traído, por bater em minha mãe, corri até onde ele estava o empurrando escada a baixo... – não sabia o que dizer, Lua chorava cada vez mais e mais nos meus braços, tudo aquilo mexeu comigo de uma forma que não conseguia explicar. – meu pai não agüentou a queda e morreu depois de passar 2 meses no hospital, minha mãe entrou em depressão e eu estava pior, eu não tinha paz, chorava o tempo tudo, tinha pesadelos a noite. 6 meses depois minha mãe também não agüentou, e faleceu, meu mundo desmoronou, fiquei internada durante um ano em uma clinica de tratamento psicológico, depois que sair de lá fui morar com uma tia, que pouco se importava comigo, só queria saber da herança dos meus pais. Cresci assim de mau com o mundo, nunca me permitir deixar as pessoas se aproximarem de mim, pra mim, eram todos fingidas, falsos e hipócritas, me fechei pro mundo. 
Quando completei 18 anos me livrei da idiota da minha tia, uma drogada que ficava com tudo quanto é tipo de homem, um tempo depois descobrir que ela tava com AIDS, mas nunca mais soube nada sobre ela, não sei nem se esta viva – Lua ficou por um tempo em silêncio, achei que ela não falaria mais nada, doce engano – tudo melhorou um pouco, depois que conheci Sophia, no começo a tentei a afastar de mim, mas depois soube que sua historia era parecida com a minha, viramos confidentes uma da outra, melhores amigas, a amiga que durante 18 anos da minha vida nunca tive. Mas numa noite estávamos voltando de uma festa, era de madrugada, não tínhamos bebido muito, mas num descuido batemos em cheio num caminhão, eu dirigia, tentei desviar, mas era tarde, a carro despencou em um precipício, eu sobrevivi, mas Sophia não suportou e acabou morrendo. E de novo me vi sozinha no mundo, sem ninguém, mas aí quando eu pensei que tudo estaria perdido eu conheci  você, mas eu não queria ter te conhecido, eu queria morrer, queria me matar, mas não consigo, toda vez que penso em desistir de tudo, você me vem a mente e eu não consigo parti e te deixar, eu sinto algo por você que eu nunca me permitir sentir, e eu tenho medo, tenho medo de me apegar e você for embora como todos vão, eu não suporto perder mais ninguém. – estava perplexo com tudo, nunca imaginei que Lua houvesse sofrido tanto, podia sentir sua dor, seu sofrimento.

- você nunca vai me perder, eu não vou te deixar nunca, Lua eu te...
- não, Arthur! Não termina essa frase, você não sente isso, você não quer dizer, você esta com pena de mim e isso eu não quero...  – ela se levantou rapidamente e eu me levantei em seguida, ficando de frente para a mesma.
- é o que eu sinto... – tentei acariciar seu rosto  mas ela se afastou.
- não, não é... entende Arthur, eu já sofri muito e não sei se suportaria sofrer mais, eu me  vejo desmoronar por cima de tudo, me vejo incapaz diante de tudo e de todos.
- Lua olha o que você ta dizendo, você nem se permite se dar uma chance, tentar ser feliz, capaz de passar por cima de tudo e seguir em frente e se você permitir eu quero esta do seu lado – me aproximei dela.
- pra você deve ser fácil falar, não deve ter sofrido nem a metade de tudo que sofri, você nunca vai me entender, ninguém nunca vai.

I heard you're doing ok,
But I want you to know
I'm a dick
I'm addicted to you (Eu ouvi dizer que você está bem
Mas eu quero que você saiba:
Eu sou um besta
Eu sou viciado em você)

I can't pretend I don't care
When you don't think about me
Do you think (Eu não posso fingir que não me importo
Quando você não pensa em mim
Você acha que
Eu mereço isso?)

-E a Lua egocêntrica ataca de novo, o que você acha que é hein? – perguntei me irritando –você pensa que só você já sofreu nessa vida, tudo bem, se pra você ter um pai drogado que acabou com toda a herança da família, é ver sua mãe sofrer todos os dias pra conseguir colocar comida na mesa, é depois de tantos anos de sofrimento enfim conseguir se reerguer mas não poder desfrutar de todo seu trabalho por que um derrame a atacou e ela não consegue nem levantar da cama, é ter um sobrinho deficiente sem pai, onde você tem que dar ao Maximo de si pra que tudo enfim fique bem, se pra você isso não é sofrer, eu sinto muito, por achar que é o centro do universo e que tudo gira em torno de você – me desabei em sua frente, nunca ninguém soube disso, a não ser Chay, meu melhor amigo e sua namorada Mel que havia tornando uma de minhas melhores amigas.

I deserve this?

I tried to make you happy
But you left anyway (Eu tentei fazer você feliz
Mas você nem ligou)
I'm trying to forget that
I'm addicted to you
But I want it
And I need it (Eu estou tentando esquecer que
Eu sou viciado em você
Mas eu quero isso
E eu necessito disso)
I'm addicted to you
Now it's over
I can't forget what you said
And I never (Eu sou viciado em você
Agora tudo acabou
Não consigo esquecer do que você disse
E eu nunca)

Lua não falou nada, apenas sentir as lagrimas eu meus olhos querendo soltar pra fora, mas eu não ia chorar, já ela por sua vez começou a chorar em minha frente, meu coração se apertou novamente, apesar de tudo não conseguia a ver mau. Me aproximei da mesma e a abracei com força e ela retribuiu o abraço, não pude mais segurar as lagrimas e ali estavam os dois chorando e sofrendo, mas juntos.
- Arthur desculpa, eu não sabia, me perdoa... – se afastou do abraço e me olhou nos olhos.
- shiu... vai ficar tudo bem... – acariciei seu rosto de leve, fomos nos aproximando lentamente, senti sua respiração descompensada bater em meu rosto, pus uma mecha loira de seus cabelos perfeitamente encaracolados atrás da orelha, ela me olhava com os olhos brilhando por causa das lagrimas, me aproximei mais ainda selando nossos lábios. Pedi passagem e ela cedeu, e iniciamos um beijo calmo, apenas sentindo a presença um do outro, da minha parte eu tinha certeza, mas da dela não poderia ter tanta assim, mas me arriscaria a dizer que aquele era um beijo apaixonante e cheio de amor. Terminamos o beijo com selinhos e grudamos nossas testas, nossa respiração estava ofegante e seria agora, e nada me impediria.
- Eu te amo. –falei de uma vez, sentir ela estremecer ao meu lado, sua expressão era indecifrável. – eu sempre te amei...
- Arthur eu não posso – sentir me empurrar de lado e sair correndo até a porta, mas antes ela se virou me encarando com os olhos cheios de lagrimas.
- eu também te amo, mas eu não consigo, desculpa... – e ela se foi.

Since the day I've met you
And after all we've been through
I'm still a dick (Desde o dia que eu te conheci
E depois de tudo que nós passamos
Eu continuo um besta)
I'm addicted to you
I think you know that it's true
I'd run a thousand miles to get you
Do you think I deserve this? (Eu sou viciado em você
Eu acho que você sabe que é verdade que
Eu correria mil milhas para ter você
Você acha que eu mereço isso?)

How long will I be waiting?
Until the end of time
I don't know why I'm still waiting
I can't make you mine! (Quanto tempo eu ficarei esperando?
Até o fim do tempo...
Eu não sei por que eu ainda estou esperando
Eu não posso fazer você ser minha..)

Sabia que meu mundo desabaria ali, era o fim, seria mesmo o fim? Era mesmo hora de decretar um game over na minha vida? Era desistir de tudo, só por que a primeira tentativa falhou? Era dar as costas pra minha felicidade ou apenas lutar por ela? Mil perguntas rodavam em minha mente, mas eu me decidir e aquela era a escolha certa, e tenho certeza que independente do rumo que as coisas iriam tomar, eu nunca iria me arrepender por ouvir meu coração.

Fim do flashback

   E era por isso que eu estava aqui, não a perderia de jeito nenhum, lutaria por ela, até o ultimo minuto, mas não iria desistir nunca. Os pingos de chuva começaram a cair num chuvisco, mas sabia que a tempestade estava por vir. A chuva começou a ganhar força  o que dificultou mais ainda, além daquela ser uma estrada de chão esburacada, a chuva atrapalhava a visão. Desci do carro, sentir meus pelos se contraírem devido o frio por conta da chuva me encharcando totalmente.
   Gritava seu nome por toda a parte, mas não a via, tudo deserto, nenhuma casa, nada 5:06 da manhã mude perceber ao olhar o relógio, mas num relance pude enxergar alguém alguns metros de mim, estirada sobre o chão, meu coração acelerou só podia ser ela, estaria ferida? Não, não podia cogitar essa possibilidade. Me aproximei a pegando no colo, ela estava encharcada, toda suja de lama e chorava compulsivamente. Corri para o carro que não estava longe, coloquei a no banco de trás, não dava pra dirigir de volta pra casa naquela situação a chuva tava muito forte. Fui de encontro a ela, a colocando novamente sofre meu colo, sentir uma lagrima rolar meu rosto ao vê-la naquela situação.
- tudo bem meu anjo, vai ficar tudo bem – abracei com toda a força do mundo, queria senti-la em meus braços novamente. longos e incisáveis minutos, pude perceber ela enfim se acalmar em meus braços. Acariciava seus cabelos com carinho.
- Por que você me salvou, por que não me deixou morrer lá sozinha? – perguntou em um sussurro.
- Talvez por que eu te ame mais que tudo, talvez por que desde quando você entrou na minha vida, você não faz parte dela, você é a minha vida, talvez por que acima de tudo eu quero ficar com você independente de tudo, e eu não vou desistir. – afirmei olhando eu seus olhos, a essa altura ela já estava de frente pra mim, me olhando intensamente.
- Talvez eu não te mereça, talvez você seja muito pra mim ou até mesmo talvez eu não mereça ser amada por você, são tantas contradições, mas eu quero tentar, e por mais que não der certo, eu nunca vou me arrepender por ter tentado ser feliz... eu te amo e eu quero ser feliz com você, pra sempre – o sorriso mais sincero se brotou em meu rosto naquele momento, e como eu havia sonhado com isso e agora tudo se realizara.
- Pra sempre e para sempre... – finalizei selando nossos lábios apaixonadamente e agora eu sabia que o que não faltava, nunca faltou era amor entre a gente e nunca iria faltar. Era o inicio de nossas vidas, era um recomeço tanto para mim quanto para Lua e sabia que apesar de tudo seriamos felizes e quanto a isso ninguém nunca poderia duvidar.

“E quando tudo parece esta perdido, e quando nada parece da certo, eu olho pra frente e vejo você e essa é a única certeza que eu tenho, de te amar eternamente...”

Fonte: LMD

3 comentários:

  1. nossa!!!muito linda a historia,queria q muito casais pensassem dessa forma!!!

    ResponderExcluir
  2. A agora to me sentindo tao forever allone...:-(

    ResponderExcluir
  3. A agora to me sentindo tao forever allone...:-(

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo