22 de jun de 2013

Capítulo único: Just Tonight.


Título: Just Tonight
Tradução: Só Hoje a Noite
Autora: Cris – LuAr Forever
Créditos: TTens RBR Forever.
Classificação: +18 (Romance e erotismo)
Sinopse: Somente aquela noite, ela vai mostrar a ele um lado que ninguém jamais viu. Somente aquela noite ele vai conhecer sua leoa. Somente naquela noite...

“Dentro de todo bombom, tem um licor a mais.”



POV Narrador
Sentada na beirada na cama, Lua devaneava, com um sorriso malicioso no rosto. Ele havia provocado-a, despertou dela um desejo desenfreado e depois a deixou, pedindo por mais. Ele queria jogar? Tudo bem. Aquele jogo poderia ser jogado por dois...

- Me aguarde Arthur Aguiar. Você vai conhecer a Lua Blanco que ninguém jamais viu. – falou alto, antes de pegar a bolsa sair de casa, pra ir comprar seus... Brinquedinhos

* * *

Arthur chegou em casa de noite, e se deparou com o silêncio.

- Lua? – chamou, mas não obteve resposta. 

Será que ela ainda estaria brava com ele? Sorriu com a lembrança da noite anterior, quando a deixou na mão. Foi só uma brincadeira, mas que deixou Lua com muita raiva.
Arthur foi subindo as escadas, em direção ao quarto, Estava cansado, e tudo que precisava era de um banho e depois cama. Ao colocar os pés dentro do quarto, mais uma vez se deparou com o silêncio, mas dessa vez, acompanhado da escuridão. 
Ele levou a mão até o interruptor, e estava pronto para acender a luz, quando a voz de Lua o impediu.

- Nem pense nisso! – a voz soou autoritária, e surpreso Arthur afastou a mão. 

A luz clara do banheiro iluminava somente uma parte do quarto, dando a visão de um tapete vermelho e felpudo, com uma cadeira sobre ele, ao lado da cama. – Tire o paletó e a camisa e sente-se na cadeira. – Lua ordenou e Arthur estranhou aquela situação toda, mas sua curiosidade falou mais alto e ele fez o que lhe foi mandado.
Sentado na cadeira, com o peito e barriga expostos, Arthur esperava ansioso, para descobrir o que era aquilo tudo. O que Lua planejava?
Foi tirado de seus pensamentos, quando sentou algo gelado prender seus pulsos. Algemas? Desesperou-se tentando soltar suas mãos, até que a luz do quarto se acendeu a visão que teve de Lua, fez seu membro se contorcer dentro da calça.

- Lu-Lua... O que é isso? – a voz saiu baixa.
- Seu castigo... – a voz dela saiu sedutora, fazendo com que Arthur prendesse a respiração.
- Castigo? – perguntou Arthur.
- Claro. Ou já se esqueceu do que fez ontem? – o olhar de Lua queimava a pele de Arthur, o que só aumentava o desejo dele por ela.

Lua colocou a perna direita na cadeira, apoiando o pé entre as pernas de Arthur, dando a ele a visão privilegiada de sua intimidade, coberta por uma minúscula calcinha de renda preta.

- Você foi um menino muito mal, não foi? – Lua perguntou encarando Arthur nos olhos, que somente engoliu em seco. Ele não conseguia responder. Estava hipnotizado com a visão que estava tendo de sua Lua. Ela, que sempre foi tímida, calada, e sempre teve vergonha de fazer certas coisas na hora do... Bem, não importa.

Arthur foi tirado de seus pensamentos, quando sentiu uma fisgada nas costas, causada por um chicote de couro, que Lua levava nas mãos. Ficou tão deslumbrado com ela, que não havia reparado nele.

- Responda Arthur! – ela ordenou, lhe acertando as costas mais uma vez. Arthur urrou em um misto de dor e prazer. 
- Fui! Um menino muito mal. – ele respondeu mordendo os lábios.
- Você merece ser punido, não é mesmo? – Lua perguntou outra vez, andando em volta da cadeira, e batendo o chicote na palma das mãos.
- Dependendo da punição, eu mereço com toda certeza. – Arthur falou descendo os olhos pelo corpo de Lua. Lua desceu o chicote outra vez no corpo dele, acertando seu braço.
- Não te dei permissão para me avaliar dessa forma. Abaixe a cabeça. – Arthur obedeceu de hesitar e Lua mordeu a boca. Aquela situação toda a deixava excitada. Lua sentou no colo de Arthur, encostando sua intimidade no membro duro de Arthur. 

Começou a deslizar a boca pelo pescoço dele, dando chupões e mordidas fortes. Começou a descer, passando pelo peito e barriga, fazendo com que saísse do colo dele, e acabasse ajoelhada no chão. As mãos pequenas começaram a abrir o fecho da calça, e a puxaram para baixo, junto com a cueca. Lua gemeu ao ver o tamanho do pênis dele e não tardou em abocanhar.
Arthur gemeu alto, ao sentir a boca de Lua, fazer um vai-e-vem em seu membro inchado de prazer. As mãos dela ocupavam o que a boca não alcançava.

- Merda! Lua... – Arthur sussurrou ao ver as unhas grandes e pintadas de vermelho de Lua, arranhar seu abdome definido. O membro de Arthur começou inchar dentro da boca de Lua, e ela o abandonou.
- Lua. – ele suplicou.
- Eu devia deixar você assim. Da mesma forma que você fez comigo. – ela se levantou sorrindo de forma maliciosa e Arthur estreitou os olhos, numa tentativa de conter a excitação. – Mas eu não consigo... – Lua disse por fim.

Lua levou as mãos no fecho da bota que usava e o desceu lentamente, sob o olhar atento de Arthur, que respirava rápido e alto, forçando as algemas, numa tentativa de se soltar.
Quando as duas botas de Lua caíram no chão, ela virou de costas, e desprendeu o cinto de couro de sua cintura. Levou as mãos ao fecho e o deslizou para baixo, deixando a roupa cair no chão.
Arthur gemeu ao ver a pele de Lua quase exposta, somente coberta pelo lingerie preta de renda. Lua se virou de frente para Arthur novamente, e tirou o cap, o jogando no chão, em qualquer lugar. Desabotoou o soutien, que caiu no chão, em um baque surdo e a calcinha foi rasgada por ela mesma, que gemeu em provocação a Arthur, que se contorcia na cadeira. 
Caminhou na direção dele e sentou em seu colo novamente. Dessa vez, Lua o beijou intensamente, agarrando os cabelos dele. Eles gemiam contra a boca um do outro, deixando as línguas se enroscarem com desejo.

- Lua... Me solta. – Arthur pediu e Lua sorriu, se levantando e pegando a chave no criado mudo, ao lado da cama. Voltou para perto dele e soltou suas mãos, e quando o olhou, não teve tempo de dizer nada, pois Arthur se levantou rapidamente e a agarrou pela cintura, colando seus lábios novamente. Lua amou cada momento da tortura que fez com Arthur, mas nada se comparava a ter as mãos dele em seu corpo, mostrando o quanto ela era amada por ele.

Foram caminhando, até que o joelhos de Lua encostarem na cama, onde Arthur a jogou violentamente, a fazendo sorrir.
Arthur deitou por cima dela, e começou descer beijos por seu corpo, até parar nos seios, onde chupou, fazendo o corpo de Lua arquear na cama, continuou fazendo seu caminho com a boca, até que parou no ponto mais sensível do corpo de Lua. Olhou para o rosto dela, e sorriu, antes de passar a língua lentamente, sobre seu clitóris inchado.

- Ah! – Lua gemeu e Arthur sorriu de novo. Soprou sobre o mesmo lugar Lua e Lua se arqueou, buscando contato. Inesperadamente, Arthur caiu de boca na intimidade de Lua, chupando avidamente. Lua berrou de prazer, e seu corpo todo se convulsionou ao sentir Arthur penetrar sua entrada com dois dedos, de uma só vez. O orgasmo veio no mesmo instante e molhou os dedos de Arthur, que os levou a boca. Ao ver a cena, Lua gemeu jogando a cabeça para trás. Arthur subiu em cima de Lua novamente e a penetrou se avisos, e a surpresa, excitou os dois ao extremo, se possível.
Arthur começou estocar sem corpo de forma firme e rápida, enquanto Lua o agarrou pela cintura com as pernas, e o virou na cama, ficando sentada por cima dele. Começou a se mover lentamente, o torturando e abaixou a cabeça, mordiscando o lábio inferior de Arthur, que a encarava com os olhos nublados de desejo.
Arthur se sentou na cama, ainda dentro de Lua, e segurou sua cintura, acelerando o ritmo dos movimentos, que se tornou frenético, enquanto Arthur estocava por baixo e Lua “quicava” por cima, aumentando o prazer dos dois.
A intimidade de Lua começou a apertar o membro de Arthur cada vez mais forte, enquanto ela sentia o membro dele crescer dentro de si.

- Merda! Arthur! Eu... Eu v-vou! Aaaaaaaaaah! – gritou quando sentiu seu corpo se convulsionar novamente lhe trazendo um orgasmo intenso. Ao sentir o prazer de Lua molhar seu pênis, Arthur chegou a um clímax, tão intenso quanto o de Lua. Os dois caíram na cama, arfantes e suados.

O corpo de Lua pairava por cima do de Arthur, que fazia carinho em suas costas. O corpo dos dois ainda estava conectado, até que Lua rolou para o lado, e os dois gemeram com a falta de contato.

- Esse foi forte! – Arthur falou chamando a atenção de Lua.
- Com certeza foi! – Lua respondeu, e sentiu Arthur puxando seu corpo, para que deitasse a cabeça em seu peito.
- Eu amei a fantasia. – Arthur sussurrou no ouvido de Lua que corou vermelho vivo. Arthur sorriu ao reconhecer sua menina de volta. Essa sim era a Lua que todos conheciam.
- Posso usar quantas vezes você quiser. – Lua falou e Arthur lambeu os lábios, para logo em seguida beijar a boca de Lua de forma apaixonada.
- Você fica linda de qualquer jeito, meu amor. – Arthur falou e Lua sorriu, dando um beijo em seu queixo. 

Se passaram uns segundo até que Arthur falou:

- Sabe, eu estava pensando...
- No que? – Lua se mostrou curiosa.
- Que tal se nós dois, fizéssemos uma viagem? – Arthur falou e Lua sorriu brilhante.
- Eu ia adorar! AAAAAH! Adorar não eu ia amar! – Lua falou se sentando e batendo palmas.
- Sério? – Arthur falou rindo.
- Claro. Vai ser ótimo passar um tempinho a sós com meu maridinho lindo. – Lua apertou as bochechas de Arthur que sorriu e a abraçou, enterrando a cabeça em seu pescoço.
- Depois a gente vê isso. Agora, eu preciso de um banho. – Arthur falou levantando da cama e carregando Lua no colo, que soltou um gritinho abafado, pelo peito dele.
- Eu te amo. – Lua falou enquanto os dois se dirigiam para o banheiro.
- Também te amo! E agora, eu vou te provar isso. – Arthur sorriu de um jeito fofo e malicioso ao mesmo tempo, o que fez Lua soltar um gemido baixo...

Aquela noite, pelo jeito, só estava começando.

Fim

3 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo