4 de mai de 2013

Nos caminhos do amor

                                      Nos caminhos do amor
                                             13º capítulo

 Arthur se inclinou aproximando-se mais, não sabia de onde tirou coragem, mas precisava provar aqueles lábios e aquele era o momento, Lua fechou os olhos e mordeu os lábios, sabia que o certo seria se afastar, mas porque não conseguia se mexer e se afastar? Porque ansiava aquele beijo? aqueles lábios carnudos? pensou em levantar e sair dali, mas seu corpo não se movia, e um beijo naquele homem não seria nada de mais, ela era solteira se sentia atraída por ele não podia negar, e ele era.... ops lembrou-se da loira, e Belinha oh Belinha podia ser filha dele, ela não sabia muito dobre ele. Afastou-se rapidamente



Lua: Arthur... (constrangida, engoliu a seco mirando outro pondo qualquer)

Arthur: me perdoe... eu não deveria... (ela apenas assentiu) sei que não sou nada pra você, tenho que me colocar em meu lugar

Lua; heyy não é nada disso (virou-se para ele e segurou suas mãos o olhando nos olhos) não tem nada a ver com isso Arthur...

Arthur: mas é claro que tem, não precisa mentir, eu vi que você queria... (Lua tragou a saliva, sim ela deixou visível que queria) eu não vou me magoar Lua, pode falar a verdade, eu sei bem qual é meu lugar, e estar bem ao contrario do seu (suspirou)

Lua: não é por isso... (insistiu)

Arthur: então o que é? (a olhou nos olhos)

Lua: bom... er... não nos conhecemos bem .. e... (Arthur rolou os olhos)

Arthur: fala logo Lua, eu não sou nenhuma criança vou entender se ..

Lua: você tem namorada (ele a encarou arqueando a sobrancelha e depois riu da maneira constrangida que ela ficou) é melhor esquecermos disso e mudarmos de assunto ok? (ele continuou rindo) Do que está rindo?

Arthur: Lua a Sophianão é minha namorada

Lua: você não me deve explicações Arthur... mas também não precisa mentir, deu pra perceber que há algo mais entre vocês

Arthur: está bem, nós ficamos algumas vezes, mas ela é só minha amiga...

Lua: com direitos (ele assentiu olhando pra baixo) amizade colorida , sei...

Arthur: porque ficou assim?

Lua: olha Arthur se você acha que eu sou igual a essas suas amigas com direitos está muito enganado, eu não sou assim

Arthur: de maneira nenhuma eu pensei nisso, apenas... (calou-se não conseguindo terminara frase)

Lua: apenas... (incentivou curiosa)

Arthur: apenas não aguento esse desejo de beijá-la (Lua corou, e ele sorriu vendo que ela queria tanto quanto ele, levou sua mão ao rosto dela e deslizou para a nuca fazendo-a cerrar os olhos soltando um longo suspiro enquanto sua respiração se descontrolava, depois de Marcos nunca mais havia beijado nenhum outro homem)

Lua: Ar...Ar...thur, isso é loucura... (de olhos fechados)

Arthur: loucura é isso que estou sentindo, necessito te beijar, pelo menos uma única vez por favor (aproximou-se roçando seus lábios, Lua assentiu completamente entregue, nem se dava conta do que estava fazendo quando são interrompidos pela voz da enfermeira)

Enfermeira: Isabella Aguiar (Lua rapidamente olhou a enfermeira e Arthur suspirou frustrado com sua vontade contida, levantou junto com Lua)

Lua: Isabella Aguiar? Ela é sua filha? (Sussurrou apenas para ele ouvir)

Arthur: não sei... (Lua o olhou de testa franzida e ele sorriu sem graça) quer dizer er não ela não é, claro que não , só coloquei esse sobrenome pra conseguir interná-la (Lua assentiu e continuou a caminhar) ah e você é a mãe (ela paralisou olhando incrédula pra ele) ah, ela precisava de uma mãe na documentação do hospital, a única mulher aqui é você (deu de ombros)

Lua: você é louco (a enfermeira chamou mais uma vez) nós os pais da menina (forçou o sorriso, enquanto Arthur sorriu satisfeito, incorporando seu papel de pai)

Arthur: como está nossa filha moça? (Lua o olhava incrédula, como ele podia falar tão naturalmente?  ele deu de ombros, estava adorando tudo aquilo)

enfermeira: a Isabella, apenas fraturou uma perna e já enfaixamos, foi um grande susto mas ela só sofreu alguns arranhões, a pancada não foi muito forte, se quiser já podem vê-la, quarto 123

Lua: obrigada (sorriu e olhou para Arthur após a enfermeira se afastar) é melhor só você ir, ela não me conhece, e você sim

Arthur: se não conhece passa a conhecer (deu de ombros e quando ia na frente Lua o chamou) sim?

Lua: er... como vai ficar a situação da menina quando ela sair daqui? Onde ela vai ficar? Você conhece a família? (Arthur ficou calado alguns segundos)

Arthur: eu vou cuidar dela até ela melhorar, agora vamos sim ? (segurou a mão da loira e assim adentraram o quarto, Belinha ao ver Arthur abriu um sorrisão desviando olhar da TV)

Belinha: papai? Você veio (arregalou os olhos incrédula ao ver Lua Maria entrar em seguida)

Lua: papai? (olhou para Arthur que sorriu sem graça, Lua estava ficando irritada mas sorriu ao escutar a menina lhe chamar)

Belinha L...Lu...a Lua Maria (sorriu ainda mais quando Lua assentiu sorrindo e logo queria saltar de felicidade, não podia acreditar)

Arthur: e porque não conhece.... imagina se conhecesse (Lua revirou os olhos e sorriu indo ate a menina que a abraçou pelo pescoço fortemente, enquanto deixava cair um par de lagrimas)

Lua: você me conhece lindinha? (Belinha que estava com seus olhinho cheios de lagrimas assentiu)

Belinha: claro que sim, eu amo você, tenho um monte de fotos e revistas e tenho.... (arregalou os olhinhos, ao dar falta de algo) minha caixinha?

Arthur: não se preocupa, eu guardei sua caixinha (sorriu e colocou a caixinha em cima de uma mesinha que havia ali)

Belinha: obrigada papai ... (Lua o olhou de canto com a certeza que ele havia mentido a respeito de ser o pai da menina)

Arthur: Isabella  eu já conversei com você sobre isso...(Lua paralisou ao se dar conta, agora que havia se dado conta do nome, o nome da menina era...era)

Lua: Isabella? Isabella? Esse é o nome da menina? (arregalou os olhos olhando a pequena atentamente enquanto estava pálida)

Belinha: sim Lua eu sou Isabella , eu tenho todas suas revistas, ninguém vai acreditar que você veio aqui e ... (continuou a tagarelar, mas Lua não ouvia nada apenas se aproximou e tocou o rosto da menina que se calou e a encarou profundamente nos olhos pela primeira vez, Lua acariciou o pequeno rostinho e lembrou daquele olhar de algum lugar, era inexplicável as batidas de seu coração)



Lua: seus... seus olhos... são idênticos os da minha avó... você vo...ce é Isabella...


8 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo