16 de mai de 2013

New Feelings : Capitulo 20




Pensamentos . . . 





Pov Roberta.
Eu preferia não ter nascido. Antes eu tinha certeza que o homem da minha vida era o Diego, agora nem tanto. Ele, ele é encantador e eu nunca parei para reparar nas qualidades dele, só conseguia enxergar os defeitos. Aqueles olhos castanhos, a paixão pela música, sua voz, seu sorriso, o seu beijo, aquela boca, quando nos beijamos em senti tudo e também não senti nada. As horas pareciam rastejar e eu não tinha pressa para acabar o beijo, eu parecia flutuar em uma nuvem, pois não sentia nada embaixo de mim, o chão havia sumido. A minha vontade era de beijá-lo por toda a eternidade, no momento eu esquecia que já tinha namorado e deixava todos os problemas do lado. Mas eu também sentia muita coisa, como o coração festejando, o sangue borbulhava, as minhas pernas pareciam varas de bambu, se as deixassem em pé, cairiam. Sabe aquela sensação de você ter 4000 de borboletas em sua barriga? Nunca tinha sentido aquilo quando beijava o Diego. Seus lábios têm gosto de cereja, é delicioso. Um tom recheado de malícias que ele usa comigo me excita, até hoje não tirei aquele clima que rolou na biblioteca da cabeça. Será que tudo isso é obra do amor? Se for, eu estou mais que ferrada.
Deixei novamente as lágrimas correrem livremente pela minha face.
– Ô minha amiga, o Pedro me contou o que houve. – A voz mais confortadora da face da terra ecoou. Alice, o que seria de mim sem ela?
Eu nada falei apenas a abracei fortemente. Afaguei as mãos em seus cabelos lisos e loiros chorando impiedosamente. Acho que a dor que eu sentia, ela também sentia, pois eu senti um pingo de água sobre meu ombro. Ela também chorava.
– O pior de tudo é que o Diego e a Carla vão ficar magoados e demais quando descobrirem isso.
– Não pode revelá-los a verdade Roberta, pensa pelo ângulo correto, a ruína das amizades, os namoros abalados. Isso vai ser horrível!
– Como eu faço pra parar de sofrer? – Ela me olhou como se aquela frase atravessasse seu coração com uma faca. Serviu para me deixar ainda mais triste.
– O esqueça amiga, sempre na vida a duas opções para nós escolhermos.
– É complicado Alice, esse menino colou na minha mente. É chocante, a cada olhar algo dentro de mim cresce.
– O amor? – Arregalei meus olhos, estupefata e incrédula.
– Ridículo! Eu não o amo, só gosto dele.
– Não parece, você já se apaixonou por ele.
– Mas e o Diego?
– Menina, na nossa idade essas coisas simplesmente acontece. É inevitável!
– E porque não aconteceu com você e o Pedro?
– Porque, talvez nós sejamos feitos um para o outro mesmo, almas gêmeas. – Ela adocicou a voz e começou a dar aqueles suspiros de uma estúpida apaixonada.
– E o que acontece com todo aquele amor que eu jurei sentir por ele?
– É claro que você o amou e ama. Só que agora não é do mesmo jeito.
– É como então?
– Você só sente um carinho especial de amigo por ele, só quer o bem dele e não o ama mais daquele jeito. – Respondeu-me.
– Eu me sinto suja.
– Você não é suja Roberta, deixa de drama!
– Nunca pensei que fosse você que diria isso.
– As coisas mudam né?! – Sorriu forçadamente.
– Realmente e muito!
– Cê ficou muito estranha depois que começou a gostar dele.
– Como se eu já não fosse estranha. E eu não o amo!
– Eu não disse que você o amava.
– Mas pensou e chegou a insinuar!
– Vamos? – Ela estendeu a mão, não ignorei como costumava fazer.
– Não sei o que seria de mim sem você.
– Eu sei. Sou ótima para aconselhar! – Ela gosta de se achar.
– Convencida até a alma.
– Sempre!
Conselhos vão e vem, nada resolve meu problema. Sim, é um problema e dos grandes o Tomás! Menino grude.
–x-
Pov Tomás.
O medo que ela tem de amar, o olhar tímido e às vezes destemido, a risada que levanta até um morto, o beijo que deixa qualquer um com gostinho de quero mais, sua face lisa e vermelha, a boca bem desenhada sempre com aquele sorriso meigo e irritante, o corpo robusto deixa qualquer um babando. Tudo isso e muito mais me cativa, tudo nela me cativa, ela é como um anjo.
Eu sei, eu tenho namorada e estou falando da namorada do meu melhor amigo. Isso é errado, é traição, não é só ela que se sente culpada, mas eu também. Mas você sabe quando uma coisa é fatal? É tipo esse meu sentimento, essa atração que estou começando a ter por ela. Eu não vou mentir, não vou mais enganar o meu coração, confesso que minha atração por ela é fatal e avassaladora, nem sei mesmo se é atração ou amor. Confusão feita mano!
Desculpem-me por quebrar o vocabulário de respeito, mas eu to fudido e feio! Nem sei mais como consigo olhar na cara dela, eu deveria era ter vergonha. Roberta, Roberta, Roberta. Que efeito é esse que você cria sobre mim? Suponhamos que to possuído, hipnotizado, encantado por aquela menina de gênio forte.
– Já refletiu demais sobre a Roberta cara! Acho melhor parar porque já tá saindo fumaça do seu ouvido. – Engraçadinho o Pedro não?
– Isso, caçoa vai. Não é você que está preso em um mundo construído de confusão!
– Eu sabia que isso ia acontecer.
– Se eu quisesse ouvir a mesma coisa, conversava com um papagaio.
– Que mau humor cara! Só queria te aconselhar.
– E que tipo de conselho é esse? Não entendi.
– Mano. Cê se apaixonou pela Roberta, não vale mais mentir, o melhor seria você contar para ela sobre seus sentimentos, antes que as coisas virem de cabeça pra baixo.
– Tudo já está de cabeça pra baixo.
– Mas pode piorar.
– E você quer ver o circo pegar fogo né?
– Que isso cara? Que mau juízo você faz de mim, não sou a Pilar e muito menos o Binho. Sou seu amigo, Pedro Costa que quer o melhor pra você!
– Isso soou gay.
– Idiota!
– Eu não quero magoar a Carlinha, ela é tão doce e sensível.
– Ela supera Tomás, ela está em nova fase, não lembra?
– Não vai me animar e eu não tenho nada pra contar para a Roberta, é só atração pequena. Eu acho que se eu tomar uma devida distância dela, isso some como poeira!
– Duvido muito.
– Você tá piorando as coisas!
– Desculpa.
– Eu me odeio! – Bradei colocando as mãos na cabeça, desmanchando meu penteado novo.
– A culpa não é sua se gosta da maluquinha.
– Ela é tão linda. – Saiu automaticamente.
– “Ela é tão linda!” – Pedro tentou imitar minha voz, mas ela ficou muito feminina.
– A loira mais linda que já vi na vida.
– “A loira mais linda que já vi na vida!”
– O sorriso espetacular e o jeitinho que ela tem me fazem perder a cabeça.
– “O sorriso espetacular e o jeitinho que ela tem me fazem perder a cabeça!”
– Quer parar de repetir o que eu digo? Parece papagaio.
– Mal aí, mas você falando feito um idiota apaixonado foi impagável. Sorte sua que eu não filmei! – Ele gargalhava. Divertia-se à custa da minha situação, quanta consideração! Cadê a amizade?
– São os efeitos colaterais da paixão. – Essa foi à frase mais estranha solta por um ser humano.
– Não te entendo, uma hora diz que não está apaixonado e outra está quase assumindo que é amor.
– Me deixa em paz Pedro. – Eu estava fatigado dessa história de paixão. Preciso é de mais tempo para analisar a minha vida azarada.
– Beleza cara! Mas te liga. Amanhã acordar cedo que tem a passagem de som.
– Droga! Vou ter que olhar pra ela.
– Aff, vai dormir!
Afundei minha cabeça no travesseiro fofo e confortável do hotel. As lembranças de cada segundo quente e ativo que passei com ela voltaram como um meteoro atingindo minha cabeça causando uma dor terrível. Roberta, menina grude!
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo