27 de mai de 2013

Minha irmã Adotiva.


Capítulo 172.



Lua: Na onde ela tá?(indagou cerrando os punhos e fechando os olhos logo em seguido para que permitisse melhor inspiração)

Arthur: Eu já respondi pela milésima vez que não sei.(revirou os olhos bufando, enquanto levava seu cotovelo a janela do carro de Alexandra, se atencionando ao caótico transito)

Lua e Arthur se encontrava dentro de um carro, rumo ao retorno da casa Aguiar, o sol de 40ºC, e o transito insustentável, tornava o percurso muito mais extenso.

Lua: Então eu vo ligar pra Alexandra.(pegou sua bolsa no banco de tras do carro, retendo apenas em sua mãos seu aparelho celular)

Arthur: Vc não vai ligar pra ninguém.(simplesmente a tomou o celular) Fica quieta menina.(ordenou impaciente)

Lua: (Se ajeitou sobre o banco, se dando por vencida e observando o carro de Chay do outro lado, onde depois de muito insistência de todos, resolveram regressar junto a Lua e Arthur) Vc diz isso por que não é vc quem tá passando por isso.(cuspiu entretidamente as palavras)

Arthur: (coçou a nuca, acelerando mais alguns curtos metros) Qual é “adotada” , vc nem conhece a mulher...(argumentou)

Lua: Mas esse fato não a exclui da ser minha mãe.(negou com a cabeça, ainda mantendo seu olhar pelo jado exterior da janela)

Arthur: Sua mãe é a Alexandra, se lembra?(a mirou por alguns lentos segundos)

Lua: Não era isso que vc dizia à algumas semanas atrás.(a frieza se pregnava na voz da ruiva)

Arthur: Não tem como ser simpático com vc, néh?!(revirou os olhos, voltando sua atenção ao transito)

Lua: O “Miss Simpatia” a última coisa que eu to precisando é de vc, ok?!(usufruiu em excesso da momento sínica)

Arrthur: Ah, não?!( a mirou desafiadora) Então acho que não vai se importar se eu ficar por aqui, néh?(desligou o carro, em meio a rodovia, retirando a chave do mesmo)

Lua: Arthur (implorou com os olhos) Por favor (se pronunciou cabisbaixo, diminuindo seu tom de voz) Eu quero apenas dizer um “Adeus” pra ela.(mordeu seus lábios inferiores)

Aqueles olhos banhados por lágrimas, almejando compreensão, sem duvida nenhuma provocou um certo incomodo no estômago do mesmo, que se limitou a apenas inspirar e expirar pesadamente e retornar ao percurso.

Arthur: Talvez eu saiba o que esteja passando.(Admitiu incoerente)

Lua: Do que vc tá falando?(indagou, confusa)

Arthur: Posso até não ter dito um “Adeus” formidável como vc quer, mas a relação entre eu e minha se assemelha muito a sua. Ela só procura quando necessita de alguma coisa, e eu só a procuro quando preciso de “defesa”.(molhou seus lábios com a língua)

Lua: Mas vc nunca saberá a dor de não ter dito mãe alguma durante 17 anos.(o fitou)

Arthur: Queria poder fazer algo pra tentar amenizar essa dor que vc guarda.(alegou)

Lua desviou seu olhar, já se precipitando a saber onde essa conversa terminaria...Arthur estava sendo “solidário” demais pros olhos de Lua.

Lua: O que estava no seu alcance vc fez.(admitiu sem animo)

Os próximos lentos e interminantes segundos foram sendo arrastados de forma silenciosa e pesada. Ambos possuíam um estrondoso receio das palavras direcionadas um ao outro.

**

Alexandra: Se acalme, querida.(massageando as madeixas loira da mesma de forma relaxante)

Lua: Eu preciso ve-la , Alexandra, por favor.(implorou pela sétima vez levando a boca um copo de água , que fora servido imediatamente após sua chegada)

Alexandra: Lua, entenda que aquele ambiente não é pra vc.(argumento na defensiva, se sentando ao lado da mesma)

Lua: Alexandra..(persistiu quase em um sussurro , deixando que as primeiras lágrimas traçassem seu rosto)

Alexandra: Amanhã, eu a acompanho no hospital logo no inicio da manhã, ok?(arqueou uma das sobrancelhas)

Lua apenas assentiu, não poderia afrontar Alexandra, já que uma vez, vira que quem realmente fora merecedora de sua educação fora Alexandra.

Alexandra: Bom, vou voltar pra empresa, antes que seu pai venha me buscar.(depositou um beijo na testa da mesma, fazendo a mesma ação em Arthur) Qualquer coisa me ligue.(abriu a porta e a fechou em questão de segundos)

Lua: Então pra que ela me avisou dessa noticia?(indagou a si mesma, impiedosa)

Arthur: Porque ela quer te preparar se caso o pior aconteça.(se aproximando da mesma)

Lua: O pior já ta acontecendo.(negou com a cabeça, sentindo as lágrimas borbulhantes continuar a traçar sua face)

Arthur: Ei, não diga isso.(levou sua mão ao rosto da loira, que apenas fechou os olhos sentindo o toque do mesmo amparando suas lágrimas)Quer mesmo ir visitar sua, mãe?(indagou relutante)

Lua se limitou em apenas assentir com a cabeça.

Arthur: Então nós vamos.(se pronunciou certeiramente, mesmo sabendo que se arrependeria logo em seguida) Mas antes..(coçou sua nuca) Tem algo que vc precisa saber.(o olhar do mesmo jorrava indecisão ao contar o que se passava)

Lua: O que aconteceu?(indagou completamente inercia a qualquer outro sentimento que não fora o desespero)

Arthur: Promete não fica chateada e nem culpa ninguém?(se certificando , deixando que se par de olhos fossem ao encontro dos olhos amêndoas da loira)

Lua: Diz logo o que é..(negou com a cabeça impaciente, não desviando seu olhar do dele)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo