14 de abr de 2013

Nos caminhos do amor

                                               Nos caminhos do amor
                                              7º capítulo



Lua e Arthur sentados em um dos bancos dentro do orfanato esperando a diretora chamar, a loira olhava aquelas crianças brincando e ficava imaginando que uma poderia ser sua filha, um sorriso se formou em seus lábios, Arthur apenas a admirava, era realmente uma mulher encantadora.



####: senhorita, a diretora Pérola está  esperando (disse uma das mulheres que trabalhava no orfanato santa Luzia)

Lua: obrigada (sorriu e olhou para Arthur) você vem?

Arthur: não, não, acho melhor você ir sozinha (sorriu) eu espero aqui, boa sorte (Lua assentiu contente e deu um beijo demorado no rosto dele que suspirou sorrindo)

Lua: obrigada Arthur, está sendo um ótimo amigo (o abraçou fazendo o coração do moreno acelerar, ele alargou o sorrisão, ela se separou sorrindo e entrou na sala da diretora deixando-o com cara de bobão)

Pérola: Boa tarde senhorita Blanco (se apresentaram e Lua se sentou de frente para ela)

Lua: Boa tarde senhora... Pérola não é isso? (ela assente) bom, eu queria saber sobre uma criança, uma menina que foi deixada aqui há sete anos...

Pérola: sua filha? (Lua assentiu esperançosa) muitas pessoas já vieram aqui à procura de seus filhos, mas é praticamente impossível encontrar sem informações precisas, pois há três anos, houve um incêndio nesse orfanato (Lua arregalou os olhos e pos a mão no coração com medo de ter acontecido algo a sua filha) oh não se preocupe, ninguém morreu e nenhuma criança foi ferida (Lua suspirou um tanto aliviada), mas as crianças foram transferidas para diferentes orfanatos, depois da reforma vieram outras crianças,  bom se a senhorita disser o nome da criança e a data que a deixaram aqui torna mais fácil ajudá-la.

Lua: eu não sei o nome da minha filha, bom,eu a chamei de Isabella mas creio que ninguém soube, meu pai a deixou aqui no dia em que ela nasceu (suspirou) 21 de dezembro, essa é a única pista que eu tenho, por favor me ajudem (implorou) eu faço boas doações para este orfanato, mas tudo que quero é encontrar  minha anjinha e espero contar com a ajuda de vocês

Pérola: eu posso tentar ajudá-la, mas são muitos papéis e...

Lua: eu pago o que for, já disse, pra encontrar minha filha eu dou tudo o que tenho... (Pérola assentiu)



Belinha estava adormecida até que sente o caminhão frear bruscamente e acorda, passando as mãos nos olhinhos, e olhando em volta, onde estava? Não tinha idéia, o medo tomou conta dela, então resolveu descobrir, desceu do caminhão e viu que estava em um posto de gasolina, viu que tinha um restaurante perto, se aproximou, estava morrendo de fome, foi por trás e viu que era a cozinha do local, avistou uma senhora e foi ate ela



Belinha: olá!

Senhora: o que faz aqui menina? (respondeu de mau humor) vai embora, aqui não tem esmola pra você

Belinha: desculpe senhora, só queria um copo de água, estou com sede (fez biquinho)

Senhora: aqui não tem água, já mandei você sair daqui (se alterando e belinha se assustou)

Moça: que isso Nair, não precisa tratá-la assim, vem aqui menina eu te dou água  (abraçou Belinha que foi com medo) ela é assim mesmo, meia rabugenta, não liga não (Belinha sorriu, aquela moça era muito simpática) como se chama?

Belinha: Isabella, mas meus amigos me chamam de Belinha (sorriu para a moça) e você?

Moça: me chamo Lara, eu posso ser sua amiga Belinha? (ela assente) aqui sua água (Belinha pegou sorrindo) não esta com fome? (sorriu ao ver Belinha passar a mão na barriga que estava roncando)

Belinha: estou sim Lara, com muita fome (Isabella comeu tudo, depois se despediu da Lara e quando estava caminhando, mas dessa vez com uma mochila que Ana lhe deu com água e alimento quando escutou uma conversa de uma mulher e uma menina)

Mel: temos que voltar logo Lali, daqui a pouco anoitece filha, e será mais difícil chegar na capital, só vim aqui pra resolver um caso

Lali: já estou indo mamãe, só vou comprar um sorvete, eu num sei pra que você vai trabalhar logo de advogada, por deus, tanto trabalho mais fáceis e legais



Belinha que estava escutando ficou feliz ao saber que alguém estava indo pra capital, entrou no carro na parte de trás sem que Mel percebesse e se escondeu como pode, Lali voltou com o sorvete e se sentou na frente ao lado da mãe, no caminho Lali sentiu algo estranho e quando olhou pra trás tomou um susto ao ver a menina escondida, que na mesma hora fez sinal pra que ela não falasse nada, Lali achou engraçado e assentiu sorrindo, algo divertido seria bom, Lali passando o sorvete para Belinha que agradeceu sorrindo e passando a língua nos lábios com seus olhinhos brilhando, fazendo Mariana dar uma risada



Mel: filha está rindo de que? (olhou para Lali que arregalou os olhos ficando séria)

Lali: nada mamãe (rolou os olhos) olha pro transito vai

Mel: olha como fala comigo (olhou pra Lali e sentiu falta de algo) onde esta seu sorvete? (Lara gargalhou e belinha arregalou os olhos com medo)

Lali: uma gatinha comeu mamãe (sorrindo e Mel a fuzilou com os olhos) ta bom, eu joguei pela janela satisfeita? Não gostei daquele sabor

Mel: você está muito estranha  (Lali soltou um beijo pra mãe que negou com a cabeça)

Bom gente se vocês quiserem me perguntar sobre a web pode perguntar nos comentários que eu respondo no próximo poste



5 comentários:

  1. eu nao entendo uma coisa : tem hora que vc chama a lua de dulce maria e fala que ela e ruiva eu intendo ela e a lua que e loira ou a dulce maria que e ruiva nas outras webs vc tmb coloca isso as vezes me fala pff posta maissssssssss perfeito o capitulo

    ResponderExcluir
  2. MILENA BARROS RAMOS15/04/2013 16:14

    ah posta mais

    ResponderExcluir
  3. Livia Ellen16/04/2013 17:29

    Posta Mais!

    ResponderExcluir
  4. Vai demorar pra Lua ea Belinha se encontra?

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo