10 de abr de 2013

Nos caminhos do amor

                                   Nos caminhos do amor
                                           5º capítulo



Lua chegou a empresa de cabeça erguida sorrindo, e como sempre muito elegante saiu do elevador sob o olhar de todos, uns de inveja, outros de admiração, outros de desejo, caminhou cumprimentando gentilmente seus funcionários e encontrou seu velho amigo que também trabalhava na empresa então sorriu mais indo até ele



Lua: Micael Borges (abraçou o amigo com carinho)

Mica: Não acredito! a bela Lua Maria, ainda mais linda (segurou sua mão e a girou , Lua riu, seu amigo não havia mudando nada)

Pedro: Vejo que as coisas não mudaram, continuam amiguinhos (nessa hora Lua o encarou seria, era ele, o causador de seu sofrimento, bem ali na sua frente, ele não sabia sobre a pista de encontrar sua filha, na verdade ele pensava que a filha havia morrido no parto já que Fernando fez questão de ocultar ate mesmo dele, Lua as vezes sentia vontade de espancá-lo ate deixar inconsciente, para tentar diminuir a dor que sentiu durante esse anos, mas tentava entender o lado dele)

Lua: Bom dia pra você também Pedro (ergueu a sobrancelha irônica)

Mica: Que foi cara? Ainda tem ciúmes da gata que você perdeu? (fez biquinho) que dó, que dó eu tenho de você, a Luinha agora é minha (a abraçou de lado, Pedro bufou irritado)

Pedro: Continua um idiota, não vai mudar nunca Micael Borges? (Mica se irritou)

Lua: Não se preocupe Mica, não se aborreça com esse tipo de pessoa, esse aí não merece nem a nossa raiva, eu sei muito bem dividir o lado profissional do pessoal, espero que vocês também (Mica ficou admirado da atitude da loira, e Pedro incrédulo, como assim Lua, não sentia mais nada ao vê-lo? Ele podia jurar que sim. E seu poder de sedução? Será que havia acabado?)

Pedro: Lua, minha linda não fale assim, eu sinto tanto sua falta, sabia? Não te esqueci (tentou abraçá-la porém Lua se esquivou)

Lua: Me faz um favor Pedro, não me toque, sinto nojo de você, quero que nosso relacionamento seja apenas profissional (empinou o nariz e foi para seu escritório, Mica só fez rir da cara de otário que Pedro ficou)

Pedro: quero ver você sorrir quando ela estiver nos meus braços novamente idiota (saiu irritado e Mica continuou gargalhando)



(...)



Ana: onde você vai Belinha, a diretora vai te castigar

Belinha: eu vou pedir um autografo pra Lua Maria (deu de ombros)

Ana: belinha você ta doida? Como assim? (com os olhinhos arregalados)

Belinha: na minha revista tem o endereço de onde fica a empresa dela (sorriu esperta) é só eu sair perguntando

Ana: é perigoso, e alem do mais, a Barbara tem razão, a Dulce Maria não da autografo Belinha

Belinha: ela dar sim, eu vou conseguir (emburrada)

Ana: mas a cidade é muito longe, você não vai conseguir chegar lá Belinha você é uma criança, e se o lobo mau te pega? E vampiros? Você não tem medo?

Belinha: claro que não (riu) vampiros e lobos não existem sua boba, eu vou conseguir porque a minha santinha vai me ajudar (ela pegou sua caixinha secreta e saiu pela parte baixa do muro) tchau aninha, ate amanha

Ana: cuidado belinha (pediu com medo pela amiga)

Belinha: pode deixar, e obrigada



(...)



Mica: Lua , nunca pensei que você fosse tratar o Pedro  tão friamente algum dia

Lua: as coisas mudam Mica, e eu acho que nunca vou me apaixonar novamente, nenhum homem presta (sorriu ao se lembrar do homem que a ajudou mais cedo) bom... tem algumas exceções

Mica: isso ai foi olhar de apaixonada? ( ergueu a sobrancelha com um pouco de ciúmes, ele sempre gostou de Lua e sempre quis se casar com a mesma, mas nunca disse para não perder a amizade dela)

Lua: não Mica, claro que não, bom er..(mordeu os lábios pensae dele ter razão, mas não, claro que não) olha aqui você já esta me deixando louca, e se havia possibilidade tenho que ir no orfanato

Mica: se precisar de ajuda pode contar comigo...sempre ta? (segurou a mão da loira e a olhou intensamente)

Lua: obrigada Mica, você é um ótimo amigo (ele sorri triste, não queria ser apenas um ótimo amigo, Lua se  despediu de Mica e saiu da empresa, as pressas, não via a hora de saber noticias da filha, quando já estava indo, encontrou com Arthur que já estava indo pra casa em sua moto)

Arthur: oi (sorriu) esta indo ao orfanato? (perguntou interessado, ela sorriu continuando a caminhar rápido, e ele atrás dela a seguindo)

Lua: oh sim Arthur, me perdoe mas estou com pressa (olhando a hora)

Arthur:  eu te levo (Lua parou e o encarou)

Lua: ah er... não é necessário, obrigada (séria o encarando fixamente)

Arthur: não acha que é melhor estar acompanhada, não é bom uma moça tão linda andar sozinha, e quem sabe eu possa ajudar em alguma coisa, bom, conheço muitas pessoas e posso...

Lua:  tudo bem, (disse vencida, ate que seria bom uma companhia, olhou para ele e fez careta) vamos de moto?

Arthur: sim ,claro, porque? Tem medo? (sorriu)

Lua: um pouco (sorriu sem graça)

Arthur: não se preocupe, eu vou devagar (segurou a mão da loira e a olhou nos olhos) confia em mim? (Lua assentia atônita, seu coração pulava)

Lua: si...sim, er ... eu... ah vamos logo estou com pressa (sorriu de lado e subiu na moto) 

Arthur: segura pra não cair brincou rindo, e ela o fez sem jeito, Arthur sorriu) vamos primeiro na minha casa, tenho que levar essas coisas lá , é rapidinho (apontou pras sacolas)

Lua: esta bem ,mas vamos logo (Arthur deu a partida e Lua o abraçou mais assustada o que fez ele sorrir satisfeito, ela sorriu junto pois não acreditava que estava fazendo aquela loucura de ir de moto e c om um cara que mal conhecia, mas estava adorando tudo aquilo)

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo