29 de abr de 2013

New Feelings : Capitulo 13


Chantagem 

Medrosa, tremendo dos pés a cabeça, Roberta tinha medo de voltar para a sua sala, ver Tomás e relembrar do selinho. Pior, e quando eles estiverem sozinhos em sua casa para fazer aquele maldito trabalho? Vou te contar, essa menina nasceu para se meter nas ciladas.
– Eu não gosto do Tomás! Não, não gosto! – Exclama a loira, convencendo a sua pessoa de que não possui uma queda pelo amigo.
– Roberta? – Surge Leila, detrás das moitas com um regador e seu avental todo melado de barro e lama.
– Leila! – Brada a menina, amedrontada.
– Eu ouvi o nome do meu filho aí, pode me esclarecer os fatos. – Sorri de canto.
– Que nada, cê tá ouvindo demais. – Mente a menina, sem coragem de ter uma conversa com a mulher.
– Roberta, eu sei que não tenho muita intimidade com você, mas sei muito bem como adolescentes da sua idade estão mentindo, guardando seus segredos. – Leila não era burra, já possuiu a idade dos rebeldes. A loira cora por dentro e por fora.
– Sabe é? – Roberta sorri sem forças.
– É claro né Roberta? Já tive a idade de vocês! – Diz a paisagista, o óbvio.
– Ah, é claro. – Bate com a mão na testa e crispa os lábios. Põe uma mecha encaracolada do seu cabelo atrás da orelha e estala a língua, começando a ficar meio tensa. – Tomás. A gente deu um selinho.
Leila não processa direito a informação, seus olhos arregalam e sua boca se abre. Mas o Tomás não era namorado da Carla? Por que então beijou Roberta?
– Não, não, não. Você deve estar delirando Roberta, vamos! Te levo pra enfermaria.
A paisagista puxa a rebelde pelo pulso, encaminhando-se para a enfermaria. Mas, Roberta liberta-se da mulher e a olha, indignada.
– Não é mentira, e eu muito menos mentiria para você! Foi tudo por causa de uma aposta, eu perdi, deveria dar um beijo em sua bochecha, mas um incidente ocorreu e ele virou aquela cabeça sem cérebro dele. – Leila ri do modo divertido que a loira explicou o acontecimento chocante.
– Típico do Tomás, apostas. – Ela suspira desanimada e abaixa a cabeça.
– Só que eu odeio mentiras, fingir que tudo está bem quando não está. Não quero enganar e me passar por traidora com o Diego. Eu o amo e ele é muito importante na minha vida. – Pilar e Binho que vinham caminhando e conversando animadamente, param atrás da moita para escutar a conversa.
– Ama mesmo? – Roberta fica incrédula com as palavras de Leila, é lógico que ela o amava.
– O que está dizendo? O Di é o amor da minha vida!
– Roberta, vocês são jovens. É claro que você pode se apaixonar pelo Tomás ou qualquer outro garoto, e isso também pode acontecer no inverso, ou seja, com o Tomás. – Falara a paisagista, como se aquilo fosse um conselho para a menina. Serviu e muito, para confundir ainda mais a mente dessa garota problemática.
– Ridículo! Nós já encontramos as pessoas que nos satisfazem e torna o nosso mundo melhor! – Contraria a loira, com sua pose de menina selvagem e incapaz de convencê-la.
– É isso que você diz.
– E é isso que pra sempre direi, por mais que esse “pra sempre”... – Fez aspas imaginárias no ar. – Não dure.
Sai dali andando furiosamente pela grama, Leila ria. Roberta era difícil de domar, uma fera na verdade, não era fácil mostrar-lhe a verdade, esta mesma coisa aconteceu quando a rebelde se apaixonou pelo mauricinho. Ao ver que já tinha tomado a distância perfeita da mulher, encosta-se na parede e murmura coisas desconexas, parecia um bebê falando suas primeiras palavras e ninguém entendendo nada de nada. Olhou seu relógio no pulso, o mesmo marcara 09h12min, faltavam cinco minutos para a aula recomeçar.
Bufa e entra na sala, enterra-se em sua cadeira. Mas para o azar de Roberta piorar, adentram na sala gargalhando, Pilar e Binho. A loira gira os olhos e esnoba a presença dos vilões, eles avistam que a menina está desconsolada e quieta em sua carteira, assim eles ganham chances de ir tirá-la do sério.
– Parece que um novo casal está prestes a se formar no Elite Way. – Pilar implica, Roberta ignora mais uma vez. Dizia-se pra si mesma: “ignora eles Beta, assim eles param de te aborrecer”.
– É mano. To sabendo até de uma história aí que até rolou clima entre eles hoje!
Era difícil, mas que impossível esnobá-los. São maléficos e calculistas, especialmente o Binho. Sempre planejando as piores armações para os rebeldes se enfiarem.
– Por que o lindo casalzinho não toma o rumo de vocês? – Roberta levanta-se, dando um ar doce e falso a sua voz.
– Qual seria esse rumo?
– O lixo, que é de onde vocês são.
– Isso, xinga vai! Mas o Diego vai amar saber que a namoradinha dele o traiu. – Binho sorri de jeito psicótico. A loira congela.
– Eu não o traí seu idiota! – Roberta fala na defensiva.
– Isso é desculpa mal elaborada de quem errou e tá se culpando. – O garoto ataca de novo, repetindo o sorriso.
– Intrometido, bisbilhoteiro, filho de uma mãe! – A garota engrossa a voz, quase socando o rosto de Binho.
– Mais um xingamento que eu conto pro Diego. – Ameaça o rebelde, aterrorizando a menina.
– Binho porque você tem que ser assim? Diz vai, o que vai querer para ficar de boca calada.
– Nada. – Roberta não acredita e ri sarcasticamente. – Qual a graça?
O rapaz a fita, com um olhar irritado.
– Você não vai querer nada para ficar de boca fechada? Isso não é coisa comum de se ver hein?!
– Ah, pensando bem, você me deu uma ótima ideia! – Ele sorri maléfico e olha Pilar de canto, que também sorri maldosa.
– A é? Eu dei. – Roberta mais uma vez, não deixa o sarcasmo de lado.
– Eu quero a Alice. – O vilão diz friamente e desmancha o seu sorriso maléfico dos lábios. Coração petrificado o do jovem hein?
– Você não tem querer Binho, a Alice é namorada do Pedro! Eu nunca faria nada para separá-la do meu melhor amigo, para ela ter entrar em depressão e você se passar por bom moço e oferecer um ombro amigo.
– É isso ou o seu namoro baba. – Deus! Isso é de assombrar, como essa garota consegue se meter em tanta, mais tanta encrenca?
– Psicopata! NÃO É O MEU PAI PARA ME DAR ORDENS! – Grita com sua paciência explodida.
– Não estou dando ordem, isso é mais um favor que te faço e você me vai pagar me dando a Alice como recompensa.
– Completamente podre! Que tipo de favor é esse? Olha aqui sua anta, você pode usar todas as outras suas armas, mas separar a Alice do Pedro, jamais! – Roberta permanece dura na queda, não pode se deixar levar tão fácil pelo joguinho de chantagem do Binho.
– E o que fará para me impedir? – Ele a joga contra a parede brutalmente e segura seus braços com tamanha força, chegando a deixá-los vermelhos e machucados. – Eu sou vivo, Roberta.
– Não, você é tapado seu idiota! – Dá um pontapé no garoto, que cai no chão.
– Você me paga, sua estúpida! – Grunhe de dor.
– Não vai me chantagear Binho, eu mesma contarei ao Diego e a Carla sobre isso e tudo irá se resolver. Possa ser que no começo eles ajam chateados e fiquem magoados, mas logo entenderão que tudo não passou de um equívoco! – Ela estava determinada a fazer o que era certo, mas ainda tinha Pilar que não iria deixar o plano ir por água abaixo.
– Faz o que ele manda ou algo terrível poderá acontecer com a sua amiguinha cor de rosa! – Prenuncia a morena, agarrando Roberta pelo braço igualmente como o garoto fez.
– Outra. – Roberta se solta de Pilar. – Garota, te enxerga! Nunca que o Diego iria acreditar em vocês, todo mundo já sabe a peça que vocês são, a sincronia que vocês têm com o mal é tão perfeita que chega a causar calafrios e medos. Mas eu repito, não vou melar o namoro dos meus dois melhores amigos!
– Você acharia divertido ver a cinderela em coma profundo em um hospital? – Pilar intimida a menina. Roberta sua friamente.
– Não seriam capazes de cometer esse tipo de acidente com a Alice, ou seriam?
Roberta murmura, esperando receosamente pela resposta.
– RESPONDAM PÔ!
– É claro que seríamos, porque não seríamos? Somos perigosos Roberta. – Binho adverte já levantado e recuperado da dor que sentira por ter levado um pontapé da moça loura.
Suspiros vão, suspiros vêm. Roberta decide-se de que concordaria em fazer isso, por mais que lhe doesse todo o corpo – em especial o coração – ela tinha que zelar seu romance com o garoto que amava e para isso, teria que destruir outro.
– Eu aceito. – Fala a garota, com sua voz tremida. Eles sorriem malévolos.
– Menina esperta! Ficaremos de bico fechado!
Binho dá duas batidinhas no ombro da jovem e segue caminho para o seu assento, Pilar copia a ação. Assim que o sinal toca, os alunos entram sorrindo. Roberta já em seu lugar, avista primeiro a Tomás e seus olhos se encontram, ambos se encaram raivosamente e logo mudam suas vistas para outros lugares, em seguida entra Diego – tal amor da vida de Roberta – que ao presenciar a namorada ali, alarga seu sorriso e deposita um beijo em sua bochecha, a rebelde se recorda do selinho dado em Tomás, mas ignora a lembrança. Todos os alunos entram, faltando apenas um casal, ou seja, Alice e Pedro. Eles entram e pedem desculpas ao professor de biologia pela pequena demora, ele não reclama ou intimida os alunos, apenas os deixa entrar na sala normalmente. Agora, a loira estava com essa “treta” na cabeça.
Como separar Alice e Pedro? Droga de novo Tomás!
Continua . . . 
Luane Caroline 

2 comentários:

  1. posta mais !!! posta dois se puder :)

    ResponderExcluir
  2. gostei da ideia do comentário de cima .. posta dois se vc puder e posta logo por favor

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo