12 de abr de 2013

Eu sou Teu - Capítulo 115 - Últimos Capítulos...



 You belong with me!

Lua queria poder beijar ele, abraçar e o amar muito, mas Arthur a afastou de si, ele deu um passo para trás, Lua olhou sem entender.

Arthur: Estou atrasado – falou louco para agarrar ela ali mesmo – acho melhor você voltar para casa, hoje é véspera de natal e a sua mãe deve esta te esperando – ele caminhou até a roupa na cama e pode escutar o riso dela.

Lua: Senti sua falta – falou carinhosa – quando você saiu por aquela porta – se referindo a do hospital – eu chorei, chorei tanto que tiveram que me dar calmante – Arthur finalmente tinha olhado para ela nos olhos.

Arthur: você poderia ter evitado – falou magoado.

Lua: Eu fiquei com medo de te perder – ela se aproximou mais uma vez dele, colocou uma mão no rosto dele e a outra no peitoral nu.

Arthur: Lua, eu prefiro que você mantenha distancia de mim – tentou se afastar dela mais ela o pegou pelo punho – eu não quero mais sofrer, só Deus sabe como está sendo doloroso ficar longe de você, eu quase quebrei o meu celular para não te ligar, eu tive que me segurar varias vezes para não pegar aquele carro e ir naquela droga de hospital – suspiro – eu não quero que você estrague esse sacrifício, não quero que você venha aqui e diga coisas lindas – olhando nos olhos dela – não quero que você sinta saudades, eu só quero que você dê meia volta e vá morrer sozinha – Lua até então não estava entendendo aquela frieza toda, mas agora que a ficha tinha caído, lembrava que sua mãe não havia ligado para ninguém sobre sua cura, só os do hospital sabiam, então era por isso que Arthur estava tão ardiloso, achava que ela iria morrer, achava que ela realmente tinha escolhido a morte. Então Lua sorriu e espantou os pensamentos da cabeça.

Lua: Como você é bobo, meu amor – passou os braços em volta do pescoço dele e o capturou os lábios, o beijo foi iniciado apenas por ela, dava-se para sentir ele tentando se segurar, mas ela era tentação de mais, e lá estava ele se entregando ao beijo, Lua sentiu os braços dele passar em volta de sua cintura e a puxar para mais perto. Quando o beijo estava para se acabar, Lua desceu a mão pelas costas dele e pousou sobre a toalha.

Arthur: Lua – a repreendeu em um suspiro, sabia se esquentasse mais com certeza ele iria faze-la sua ali mesmo, não se importando com quem estivesse em casa.

Lua: Eu preciso de você – falou com os lábios encostados no dele, então o mordiscou, Arthur apertou a cintura dela.

Arthur: Eu também preciso de você – fazendo carinha de dor – mas não podemos - tentou recuar, mas Lua foi mais rápida e desceu o beijo para o pescoço, fazendo-o arrepiar, Arthur já estava excitado e Lua podia sentir isso em sua barriga.

Lua: podemos sim, você quer e eu quero – sussurrando, Arthur fazia um não com a cabeça, mas seu corpo dia outra, ela já apertava as costas dele e passava os lábios umedecidos pelo pescoço e ombro. Arthur a trouxa mais para perto dele – eu vou viver – Arthur a olhou sem entender – eu escolhi viver – abriu um sorrisão – por nós – Arthur que tinha os olhos duros, agora estavam  mais suaves.

Arthur: Não brinca comigo – novamente ele tentou afasta-la dele.

Lua: Eu aceitei, aceitei o transplante – os olhos de Arthur ganharam vida, e os lábios um sorriso perfeito.

Arthur: Eu te amo, eu te amo muito - Foi a vez dele puxar ela para ele, uma alegria invadiu seu corpo, não podia acreditar que Lua iria viver e ia viver por eles – Eu sou teu - Começou com um beijo calhente e apimentado, era disso que Lua estava falando, era isso que ela queria, depois de tanto tempo sem senti-lo, queria ele ali, naquele momento, Arthur já subia pelas paredes e já tinha se segurado muito com aquele atrevimento dela ainda há pouco, agora queria ela, como a queria, queria faze-la sua, nem que tivesse de matar alguém.

Os beijos eram quentes, as mãos eram bobas, as línguas se tocavam, os lábios eram mordidos, o clima era esquentado e o ambiente invadido por Alexandra.

- Arthur, a sua amiguinha che... O que vocês? – não conseguiu terminar a frase, Arthur pulou de cima de Lua – Seus pervertidos – falou Alexandra assustada com a cena, Lua ficou da cor vermelha, mas foi tomada por gargalhadas ao ver Arthur correndo para o banheiro como um foragido. E por lá ficou um bom tempo.

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo