8 de abr de 2013

Eu sou Teu - Capítulo 106.



Pedacitos de estrellas

"A veces, nuestros sueños caen al suelo
Como pedacitos de estrellas que poco a poco se apagan
Nuestro corazón, llora en silencio,

Y cuando las lágrimas caen, hielan todo el cuerpo
Y el corazón de tanto amar se convierte en hielo
Para no sufrir más, para ya no llorar,

Pero se volteas al cielo,
Te darás cuenta que quedan millones de estrellas
Y cada una es un sueño por cumplir,

Y la fuerza en tu interior,
Derretirá el hielo en tu corazón.

Solo nunca dejes de creer,
Porque el amor
Y tus sueños

Son la única puerta hacia la eternidad."



É impressionante que só damos valor a vida quando estamos para perde-la, eu aqui parada olhando a minha morte. Eu não quero morrer, eu não posso morrer antes de me desculpar por todas as coisas que fiz o Arthur fazer, não posso morrer sem dar adeus a minha mãe, não posso morrer sem me desculpar com as pessoas que eu amo, não posso morrer, não me deixe morrer. Morte, me deixe voltar, por apenas um dia, por favor!

- Você acha que um dia é suficiente? – a morte estava escutando os meus pensamentos. É claro que um dia não é suficiente, mas eu quero voltar quero abraça-los e poder dizer eu te amo – Um dia apenas, você já está destinada a mim – então a morte me soltou e do nada tudo ficou escuro e já não estava mais fora do meu corpo, pude sentir o ultimo choque que o medico deu e o barulho do aparelho do coração voltou ao normal.

Pi pi pi pi, esse é o barulho é o melhor som da minha vida, é o som mais importante para mim, é o som do meu coração que está batendo. Eu ainda estou viva, será que a morte vem me buscar amanhã?
...


Lua só foi acordar depois de quase quatro horas daquele episodio, parecia confusa e sentia muitas dores no peito, já que o medico tinha lhe dado choques ali.

Claudia: Você acordou – falou radiante chegando perto dela, Lua olhou para a mãe, para aquele sorriso que tanto quis ver quando a morte queria leva-la, então as lagrimas começaram a escorrer de seus olhos, não queria morrer, não podia morrer.

Lua: Mamãe, eu não quero morrer – falou chorando – não me deixe morrer – então abraçou forte a mãe, Claudia a aninhou nos braços e ficou acalmando ela que chorava de medo.

Claudia: Você não vai morrer, meu amor – beijou a careca de Lua.

Lua: Vou sim – soluçando – ela me falou, ela falou que amanhã vem me buscar – seu corpo tremia de medo, tremia por estar chorando.

Claudia: Shiiiii – passando a mão no rosto da filha – foi só um sonho ruim – acalmando ela. Claudia ficou ali aninhando a filha nos braços, falava coisas carinhosas, beijava o rosto dela, fazia carinhos, até que ela pegasse no sono de novo. Às 23h52 p.m.

Claudia: Você só pode estar brincando comigo – falou radiante.

Arthur: Não brinca com a gente doutor – nervoso e feliz ao mesmo tempo.

Dr. Anderson: É verdade, encontramos um doador compatível com Lua – falou todo orgulhoso.

Um comentário:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo