22 de mar de 2013

Pode ser Para... Sempre - Capítulo 02.



“A ausência apaga as pequenas paixões e fortalece as grandes, como o vento apaga as velas e atiça as fogueiras.”  (François La Rochefoucauld)

Voltar pro Rio não foi nada fácil pra Lua, ela não havia avisado a ninguém nem mesmo sua mãe. Ela ia voltar pra casa e se instalar lá e depois ver o que aconteceria. O que ela não contava é que quando chegasse lá teria uma surpresa não muito agradável. Ela abriu a porta e entrou, a casa estava exatamente como a deixara e ainda tinha o cheiro do perfume de Arthur impregnado nela. Olhou para todos os cantos lembrando dos momentos passados ali, lembranças e saudades de tempos que não voltam mais, ou voltam?

- Lua? – aquela voz, era impossível. Ela se virou

- Arthur? – sim era ele, lindo como sempre. Exatamente os mesmos olhos significativos, a mesma boca desenhada e ela tinha os mesmos pensamentos pornográficos de quando o via

- O que você faz aqui? – perguntaram juntos incrédulos

- Eu vim morar aqui – disse Lua nervosa evitando olhar nos olhos dele

- Eu também – disse Arthur a enfrentando.

- Ah, mas não vai mesmo. Essa casa é MINHA – disse Lua colocando ênfase no minha

- Essa casa é NOSSA. – disse Arthur chegando perto dela

- Mãe? – ouviram uma voz baixa e viram Rafael em pé ao lado do sofá

- Rafa, meu amor. Vem dá um abraço na mamãe, vem. – disse Lua abrindo os braços e Rafael veio correndo se jogando no colo dela

- Mamãe, eu você e o papai vamos voltar a ser uma família de novo? Todos juntos? – perguntava Rafael com esperanças nos olhos.

- Não, meu amor a gente não vai voltar. Mas mamãe precisa conversar com o papai, vai indo lá pro quarto que já já a gente se encontra – disse Lua enquanto os brilhos nos olhos de Rafael sumiam totalmente e Arthur ficava magoado com as palavras dela.


- Precisava falar daquele jeito pro menino? – perguntou Arthur zangado assim que Rafael saiu.

- Você queria o que? Que eu mentisse pra ele? – perguntou Lua ficando vermelha de raiva

- Que pelo menos não acabasse com as esperanças dele – disse Arthur 

- Não é pra ter esperanças, melhor acabar agora do que o deixar iludido – Lua cuspia as palavras em Arthur sem dó nem piedade

- Tem certeza disso ? – disse Arthur chegando perto dela triste

- Te..te...te..nho – ela gaguejou incomodada com a proximidade dos dois

- Não senti firmeza. Diz isso olhando nos meus olhos, diz que não sente nada por mim. Diz que não me ama mais – dizia Arthur puxando o rosto dela e fazendo seus olhares se encontrar

- Eu não tenho que provar nada a você – disse Lua se virando pra sair

- Realmente não tem. Mas já me disse o que eu queria – disse Arthur a vendo sair e logo depois indo atrás dela ver Rafael.

Ao chegar no antigo quarto de Rafael, Arthur viu Lua colocando Rafael pra dormir, era lindo ver mãe e filho juntos, contando com Juliana eram as três pessoas que ele mais amava na vida. Preferiu ficar na porta só olhando...

- Boa noite, papai – disse Rafael fazendo Lua perceber a presença de Arthur

- Boa noite, meu anjo – disse Arthur mandando um beijo com as mãos, e Lua ficou cantando pra Rafael até ele dormir, sua voz era linda e suave e fez Rafael pegar rápido no sono e Lua sair do quarto sem sequer olhar para Arthur

- Lua, a gente ainda não terminou – disse Arthur indo atrás dela e segurando seu braço a fazendo parar no meio da sala.

- Terminamos sim.  Meu único vinculo com você está dormindo – disse Lua querendo se soltar dos braços de Arthur em vão

- O seu único vínculo comigo é esse, Lua? – peguntou Arthur fazendo olhar no fundo dos seus olhos

- Você sabe que não – Lua disse quase num sussurro.

- Então porque essa frieza? Porque a separação? Porque essa palhaçada toda? – perguntou Arthur com a voz saindo quase como uma súplica

- Arthur, não adianta a gente briga e eu me magoou. O amor as vezes não basta – disse Lua triste

- Pra mim amor vence barreiras, basta querer – disse Arthur 

- To sem energia – disse Lua desistindo e tentando se soltar dos braços dele novamente 

- Isso é fácil de se resolver – disse Arthur a beijando, sua língua macia pediu passagem e ela cedeu, provar seu gosto mais uma vez depois de todos aqueles anos era como provar novamente uma fruta que só dá de época em época. E o gosto era o mesmo, doce e gostoso.

- Para, Arthur ... Eu não posso – disse Lua afastando ele

- Porque não? – perguntou Arthur desapontado

- Foram tantos anos, não podemos simplesmente chegar assim na primeira vez que a gente se vê de novo e transar – disse Lua 

- Mas eu to com saudades, de você, do seu cheiro, da sua pele. – disse Arthur fungando o cangote de Lua.

14 comentários:

  1. Posta mais um vai, qual ée!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkk Mais tarde eu posto vai, qual ée!

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkk. Mais tá mt linda sua web.

      Excluir
  2. posta mais por favor :)

    ResponderExcluir
  3. Posta mais, por favor.

    ResponderExcluir
  4. maissssssss, por favooooooor

    ResponderExcluir
  5. eu preciso de maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaais

    ResponderExcluir
  6. +++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  7. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  8. Anw o Arthur cheirando pescoço da Lua <3 Ta ÓTIMA a web, quero mais ++++++++++

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo