27 de mar de 2013

Eu sou Teu - Capítulo 90.


 
11 - Subir uma montanha. #12


Lua:  Creo que estamos hechos en la misma sustancia

(Creio que estamos feitos na mesma substância)

Aunque nos separen somos como un iman

(Ainda que nos separem somos como um imã)

Siento que vibramos en la misma frecuencia

(Sinto que vibramos na mesma frequência)

Esta conexion rebasa la realidad

(Esta conexão excede a realidade)



Arthur: Você ainda lembra-se dessa musica? – sorriu, ambos tinha feito essa musica para uma apresentação no dia dos namorados.

Lua: É claro que lembro – sorriu – continua!



Arthur: Sabes que es cierto, (Sabe que é certo)

Con solo un beso, (Com só um beijo)

Rompemos el silencio(Rompemos o silêncio)

Sabes que es cierto (Sabe que é certo)

Que con un beso (Que com um beijo)

No importa más el tiempo. (Não importa mais o tempo)


Ele a abraçou mais apertadinho e lhe beijou a nuca.

Lua: Eu adoro essa musica, ainda mais na sua voz – sorriu.

Arthur: Eu sei que a minha voz é sexy – Lua afirmou com a cabeça.

Lua: Sua voz no pé do ouvido de manhã é tentadora, ainda bem que você já é meu, se não teria que disputar com muitas – eles riram.

Arthur: Terá-me para o resto da vida – pegou a mão dela e beijou de leve os dedos, um por um. Lua por fora sorriu, mas por dentro tinha aquele bichinho que sempre a colocava para baixo, o bichinho chamado morte.

Lua: Pensei que a Mi fosse ser sua mulher para o resto da vida – olhou para ele.

Arthur: Não posso ter duas mulheres, não? – brincou.

Lua: Claro, se você quiser acordar sem o seu bem precioso – se referindo ao Arthur Junior.

Arthur: Como você é malvada – riu – preciso te confessar uma coisa – falou depois de ter pensado um pouco.

Lua: O que? – fazendo carinho na mão dele entrelaçada a sua.

Arthur: Primeiro promete que não vai me bater e nem me jogar aqui de cima – fazendo carinha de dor.

Lua: Por que eu faria isso? É tão grave assim? – esperou a resposta mais não veio.

Arthur: Você promete? – Lua bufou o que era tão grave, estava curiosa e precisava prometer, então cruzou o dedo em figas.

Lua: Eu prometo – escondendo a figas.

Arthur:Você vai achar até engraçado – falou rindo – se lembra de quando você morava naquele prédio na rua 20 de novembro? – Lua afirmou com a cabeça – e do seu hamster, você lembra?

Lua: Elvis? – Arthur afirmou com a cabeça – o que caiu da janela? – Arthur fez uma careta.

Arthur: Quase isso – falou sem graça.

Flash Black 
Lua: Esta com dor de barriga, Arthur? – batia na porta varias vezes preocupada com o amigo que estava muito tempo no banheiro.

Arthur: Quase isso Lua – Arthur possuía nas mãos um hamster cujo nome era Elvis, o bichinho de estimação de sua amiga, Lua Blanco – vamos ver se rato sabe mesmo nadar – Arthur era um garotinho de cabelos escuros e bastante peralta. Colocou o hamster dentro do vaso sanitário e deu descarga, o bicho ficou desesperado e lutou ao máximo pela vida. Não era a primeira vez que Arthur mexia com Elvis, todas as suas experiências eram feitas com o pequeno animal, claro sem o consentimento de Lua. A água tinha ido embora mais lá estava o hamster ofegante cheio de vida – não vejo a hora de contar para o Enzo que hamster são resistentes – então pegou o bicho, o secou rápido com uma toalha e saiu do banheiro como se nada tivesse acontecido.
Flash Black 

Lua: Eu sabia que você era uma criança doente, mas a ponto de afogar o Elvis – Arthur coçou a nuca.

Arthur: Calma – então voltou a contar.

Flash Black
Toda a tarde Arthur ia para a casa dos Blanco, já que sua mãe estava trabalhando na hora que saia da escola. Naquela quinta feira ensolarada as crianças chegaram da escola correndo e jogando as mochilas em cima do sofá.

Lua: vamos jogar vídeo game? – ambos corriam para o quarto cor de rosa de Lua.

Arthur: Não tem graça jogar com você – Lua fez bico.

Lua: Então eu jogo sozinha – ela cruzou os braços emburrada, juntou os dedos bravinha – Belém, Belém, nunca mais eu estou de bem, até o ano que vem! ♫ - falou os versos e saiu correndo dali para a cozinha, estava morrendo de fome.

Arthur: Meninas, eca – falou colocando o dedo na boca e fingindo vomitar – onde será que está Elvis – olhou para o chão, logo entrou no quarto dela, lá estava o que procurava, Elvis estava na janela tomando um solzinho – Elvis! – Arthur falou com o hamster que arregalou os olhos e viu Arthur se aproximar dele, ele tinha duas opções ou deixava ser testado mais uma vez por aquela peste ou pulava pela janela e ter paz eterna. Então a segunda opção foi a mais concreta, lá estava Elvis pulando pela janela cheio de medo de Arthur que logo que o viu cair fez um biquinho de desgosto.

Arthur: Que má sorte eu tenho – cruzou os braços – não precisava ter pulado – então saiu do quarto, depois daquilo foi só choros e gritos de Lua, Arthur não teve coragem de contar que o hamster era um suicida.
Flash Black

Lua: Não acredito que Elvis se matou por medo a você – Arthur deu um sorrisinho de lado.

Arthur: Nem eu – também não se conformando – eu só queria brincar com ele – falou dando uma gargalhada.

Lua: Você é tão... nem sei qual palavra – mesmo chocada com a história, já fazia  muito tempo por isso nem ligou muito para a história.

Arthur:Não ficou brava? – Dulce deu uma risada.

Lua: Eu prometi, não? – se aconchegando mais nos braços dele – você deve ter deixado ele maluco mesmo – falando do hamster.

Arthur: Eu? Sempre fui uma criança quieta.

Lua: Quieto? Arthur você praticamente quase foi expulso da escola porque grudou aquela menina na cadeira – Arthur soltou uma gargalhada ao lembrar.

Arthur: Ela mereceu quem mandou falar daquele jeito com você – Lua puxava alguns pelinhos da perna dele.

Lua: Nossa é mesmo, nem lembrava mais disso – riu – você lembra-se de umas coisas que só Deus mesmo – rindo.

Arthur: Ai! Amor – ela tinha puxado os pelinhos com força.

Lua: Eu preciso te confessar uma coisa também – ele ficou esperando ela falar – se lembra da Marina? – Arthur tentou lembrar – aquela menina que falava que você era namorado dela – lembrando ele.

Arthur: É claro que me lembro da Marina – sorriu – namorei ela por uns três meses antes dela me dar um tapa na cara – riu ao se lembrar – o que tem ela?

Lua: Então – riu – ela te bateu no rosto porque eu havia falado para ela que você tinha me contado que ela tinha bafo de onça quando acordava – Arthur não aguentou a confissão e deu uma gargalhada – eu fiquei bravinha com o namoro de vocês, você tinha me largado, não ia mais a casa e nem passeávamos como antes – falou bicuda – foram três meses longe de você, ela me mandou se afastar e para não te perder contei essa pequena mentirinha – fazendo pequeno com os dedos.

Arthur: depois fala que não é ciumenta  - riu – nós só tínhamos 13 anos – ainda rindo.

Lua: Pelo menos consegui afastar vocês – sorriu vitoriosa.

Arthur: Foi um belo de afastamento – levou a mão no rosto – dói até hoje – manhoso.

Lua: ownt bebê – falou carinhosa – deixa eu beijar que passa – quando ia beijar a bochecha dele, Arthur virou o rosto e se deram um beijo na boca.


A web já está chegando ao fim, galera! =//

7 comentários:

  1. Sério? Não quero que nenhum dos dois morram no final porque se não vai ser muito triste... Posta mais?

    ResponderExcluir
  2. Nãooooo
    Porque é tão Boa
    Mais ++++++

    ResponderExcluir
  3. Naoooooooo,quero mais...Essa web é perfeitaaaaa

    ResponderExcluir
  4. Ain, queria que essa web jamais tivesse fim!
    Ela é muito perfeita!

    ResponderExcluir
  5. Amooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo essa WEb

    ResponderExcluir
  6. Tááá Linda essa Web!! Posta Mais ....
    Deborah Ferreira

    ResponderExcluir
  7. quero muito mais

    ResponderExcluir

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo