26 de mar de 2013

Eu sou Teu - Capítulo 86.



“Sobre as asas do tempo, a tristeza vai-se embora.”
(Jean de La Fontaine)

11 - Subir uma montanha. #8


Arthur: Está tudo bem tia – falava no telefone da sala – ela está no quarto descansando – olhando para a escada – vou dar algumas olhadinha nela sim – não demorou muito e já estava desligando o telefone. Se jogou sentado no sofá e suspirou, passou a mão no rosto, estava arrependido de tantas coisas, e para piorar sua cabeça doía por causa da ressaca.


Eu nunca falaria uma coisas dessas para ela, eu sou tão idiota. Eu prometi é verdade, mas fazia tanto tempo que não sair para beber, dançar... Vanessa é uma pessoa tão bacana, espero que não tenha ficado chateada por eu ter saído feito jato da boate, mas Lua é a coisa mais importante nesse momento, eu a magoei e me sinto culpado por tudo isso, eu a fiz chorar, é claro que me divirto com ela, só que é muito diferente... Sair com Lua é ser restringido de muitas coisas, por exemplo álcool.

Arthur estava sendo sincero com seus pensamentos, mas não conseguia falar isso tudo para Lua..

Lua tinha acabado de sair de um banho relaxante, parecia que um elefante tinha saído de suas costas, colocou uma roupa leve e se jogou na cama cansada, seus olhos estavam pesadas, seu corpo dolorido e agora carca, ela suspirou e abraçou o próprio travesseiro, não demorou muito e já estava dormindo, quimioterapia a deixava cansada, pesada e pálida.


Era um lugar frio, cheio de neve, estava nublado e muito gelado, Lua cobriu o corpo com os braços, mas o que estava acontecendo? – pensava ela.

- Lua, chegou a sua vez – deu uma risada aguda – se prepare pois falta pouco – Lua olhou ao redor e percebeu que já esteve ali  outras vezes.

Lua: Por favor, não faça nada comigo – porque sentia o rosto molhado, não estava chorando, nenhuma lagrima caia de seu rosto – eu te imploro – era tão agoniante está ali, parada em frente aquela coisa preta, aquilo não tinha rosto.

- Não se preocupe, minha queria – falou colocando a mão no rosto dela, aquela mão era gelada, o que fez Lua ter um calafrio – logo estaremos juntas – quando ia passar os braços em volta de Lua ela gritou.

Lua: NÃO – gritou o mais alto que pode, a tal coisa deu mais uma risada – Jesus me salva – foi o que conseguiu falar antes de desmaiar nos braços da tal coisa.


Lua: NÃO – agora era um grito real, estava em seu quarto, seu rosto estava molhado de lagrimas, havia chorado dormindo é por isso que sentia o rosto molhado no sonho, porque aquele sonho a perseguia tanto? Por que desmaiou ao ser tocada pela coisa preta? Era mais uma vez aquele pesadelo de sempre. Lua suspirou ainda chorando quando a porta de seu quarto foi aberta com força e viu o rosto de Arthur pálido de medo, ele parecia cansado, devia ter subido a escada correndo depois de seu grito. Pensava Lua que não conseguia falar, apenas chorar.

3 comentários:

Não vai sair sem comentar, né?! xD

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo