13 de dez de 2016

Wild

Lua abriu a porta, depois do segundo toque da campainha,  e encarou o garoto a sua frente.

-Arthur?- ela falou em sobressalto ao vê-lo que estava com as mãos nos bolsos do jeans e as costas tensionadas -Ah, o que faz aqui?

-Posso falar com você um instante? -ele falou e completou rapidamente -Se não estiver ocupada
-Eu...-ela olhou de relance da dentro, deu um passo para frente e fechou a porta atrás de si -Sou toda ouvidos, tá tudo bem?

-Sim! Quer dizer...-Arthur sentia suas mãos suarem -Eu queria saber se você não gostaria de sair comigo? -ele falou com toda a coragem que tinha e daí levantou o olha que encarava seus sapatos para os olhos  dela.
-Você?... -ela perguntou processando a informação.

-Quero dizer eu sei que deveria ter falado antes mas...Você me deixa nervoso...-ele fala e Lua ri com o nariz e ruborizada levemente.
-Bom...Você ainda tinha bastante tempo, quer dizer... ainda falta muito tempo para o final de semana. -ela sorri de canto e Thur contrapõe dizendo:
-Pensei de sairmos antes sabe...sábado a noite é bem clichê. -Lua riu e concordou com a cabeça.

-Que dia você pensou, então? -ela pergunta.
-Que tal agora?-ele arriscou e Lua arqueou uma sobrancelha titubeante.
-Não saia daqui -ela corre porta adentro, passados alguns minutos, ela voltou colocando o celular no bolso do short jeans, e uma blusa de flanela sobre a regata
-OK...Vamos deixar essa vizinhança triste para trás.

* * *

-Esse lugar é lindo - a garota fala fechando a porta do Jeep cinza sentindo a brisa no cabelo  -Se queria me impressionar está em um bom caminho.

-Nem sabia que você  era impressionável.  -ele falou irônico, deu a volta no carro e se encostou na parte da frente. -Mas...Acho que admirar as estrelas é algo que todos devemos fazer uma vez na vida. -ele completou e Lua assentiu andando devagar até encostar ao lado dele no carro.

Um tempo se passou apenas com os dois contemplando a noite, Arthur não sabia como exatamente começar uma conversa mesmo que já tivesse imaginado aquilo diversas vezes nos últimos dias.
-Eu estava pensando...-Lua começou em um tom leve - Apesar de parecermos uma boa dupla...
-Parecemos? - a interrompeu e menina riu, ele colocou as mãos nos bolsos ansioso.
-Sim! -ela animou se - Mas ela acabei de refleti que podemos ter um empecilho...

-Que tipo de empecilho? -ele ajeitou a postura virando se para ela.
Ela aproximou se como se fosse contar um segredo, e sussurrou:
-Podemos não ter química -ela pronuncia e Arthur sorri -Quero dizer é triste quando se cria expectativas e elas são despedaçadas -ela mexe os braços de forma dramática -O que acontece se tivermos uma noite super legal, e quando você me deixar em casa e me der um beijo de boa noite e for horrível? - ela suspira fingindo frustração -A gente mente?

O garoto ria enquanto ela falava concordando com a cabeça, eles estavam próximos o suficiente para sentirem o calor que emanava do corpo um do outro.
Bom...Você tem alguma ideia de como resolver esse grave empecilho? -ele pergunta e concorda com a cabeça -E qual seria sua solução?
Lua sorriu travessa e posicionou se em frente a ele, respirou dramaticamente e depois diz:

-Podemos nos beijar...
-Seja lá o que você for falar em seguida em topo -Arthur a interrompe e ela solta uma gargalhada.
-Enfim, podemos nos beijar e fazer um acordo. - prossegue.
-Sou todo ouvidos.
-Se nos beijarmos e for bom, continuamos com isso, esse encontro maluco e inesperado -O moreno ri com a careta da menina -Se não, vamos para casa e evitamos decepções.  - dá de ombros ao término da fala.
-Parece um bom plano, sem grandes danos aos envolvidos -o menino sorri e estica a mão -Então,  feito?
-Feito. -ela aperta a mão estendida e para sua surpresa Arthur a puxa contra seu corpo.
Ele solta as mãos de ambos, e deposita as suas na cintura de Lua e as dela por sua vez deslizaram pelo peito coberto pela camisa clara até nuca do rapaz.

Lábios finos encontraram , os olhos fecharam se conforme tudo que precisavam se concentrar eram em seus sentidos.
Lua soltou sua respiração contra a boca dele antes de aprofundar o beijo, Arthur intensificou o toque dos dedos contra a pele, ele sentiu uma bagunça de sensações, o toque em sua nuca, o perfume na pele, algo adocicado no hálito, foi como se um choque elétrico tivesse acontecido quando as línguas se encostaram.

Devagar afastaram se,  antes mesmo de olharem se Lua desviou se dele dando um passo pra trás. Sem dizer nada.

Arthur sentiu os ombros caírem e uma vontade insana de jogar a cabeça contra o capô do carro.
"Como em um beijo havia estragado tudo?" Pensou consigo mesmo, e ainda por cima um beijo que havia gostado para caralho.

Levantou o olhar para garota esperando um fora, mas ela sorria para ele, não um sorriso forçado quando tenta se ser legal em uma situação constrangedora, mas um sorriso aberto e divertido, típico de Lu.

-O que você quer fazer agora? -perguntou juntando as sobrancelhas.
-O que? Você não vai me chutar? - desencostou do carro, quase incrédulo.
-Não!  Espera...Você quer que eu te chute?

-Não,  não...Ah...hamburger?  -ele sorriu quase não contendo sua satisfação.
-Com milkshake?  -ele assentiu a pergunta,  foi até a porta do passageiro abrindo a porta para ela.
-Você teve sua chance de me dispensar -Lua riu da fala dele -Tem que chegar a meia noite, Cinderela?
-Na verdade minha fada madrinha tá de folga hoje - a garota sentasse no banco  e deixa-o fechar a porta.

* * *

-Cor? -mordeu uma batata olhando-a.
-Roxo -respondeu -Pessoa favorita?
-Pessoa favorita -ele franziu a testa -Como assim?
-É sabe, aquela pessoa que você guardaria em um pontinho...

-Não sei talvez o Mica, ele é sempre positivo e gentil -deu de ombros - É bom manter por perto.
-Sei, o moreno gato que faz natação. -remexia sua bebida ao rir quando o garoto arregalou os olhos -Sabe minha amiga Sophia?

-Abrahão? -indagou -Sim, ela está na minha turma de história geral .

-Ela é apaixonada no Micael a tempos -Lu falou e Arthur ficou boquiaberto -Eu não esperava por essa -falou

-Porque?
-Sophia está na lista dele de "garotas que eu deixaria partir meu coração" -fez as aspas no ar.

-Ele tem uma lista?! -Lua quase engasgou.
-Não é uma lista grande...tem pessoas óbvias como Angelina Jolie e aquela modelo brasileira muito linda... a questão é que é bom ter alguém que eu possa ajudá-lo a conquistar.

-Eu ajudo-a a partir o coração dele? -sorriu travessa
-Se puder ser misericordiosa.
-Só porque você é o amigo cupido e amigos cupidos se ajudam.
-A é?  Você é boa nesse trabalho? - apoiou os cotovelos sobre a mesa.
-Quem você acha que juntou o Chay e a Fronckowiak?  - falou em tom convencido.

-Aí meu Deus,  você é oficialmente minha heroína! -falou entusiasmado e fizeram um hi-5.
-É - deu de ombros - Foi difícil convencê-los que o amor pode machucar de um jeito bom...-sorriu suavemente.

-Você acredita nisso? -ele pergunta.
-Se machucar, faz nós nos lembrarmos que estamos vivos. -Lua termina sua bebida e os olhares dos dois se cruzam e prendem-se um ao outro.
-Nos mantém selvagens -Arthur diz, perdido na imensidão castanha que eram os olhos dela.
-Você quer fazer algo semana que vem? - ela pergunta e Arthur concorda com a cabeça.
-Se prometer que vamos correr e pular alguns muros no caminho para casa. -ele riu.
-Nunca devia ter te  contado que gosto de fingir estar em filmes de ação.

-Eu ia descobrir de qualquer forma -ele riu e colocou a mão sobre a dela.
É definitivamente eram uma boa dupla.

*Conto inspirado na música "Wild" do Troye Sivan ft Alessia Cara.*

Kisses.
  
-Monna


3 de set de 2016

Amor Sombrio

Amor sombrio
Capitulo 6

22 de jul de 2016

Operação Cupido - 25º Capítulo (Penúltimo)


Capítulo 25 - Penúltimo Capítulo 
 

Operação Cupido - 24º Capítulo



Capítulo 24 -  Últimos Capítulos


Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo